Justiça eleitoral do MS nega liminar do Google e executivo será preso

O Tribunal Regional do Mato Grosso do Sul (TER-MS), negou no último sábado (22/9), o pedido de liminar do Google Brasil na ação do candidato a prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), que estava solicitando a retirada de vídeos que julgava “ofensivo” do YouTube

Por | @oficinadanet Redes sociais

O Tribunal Regional do Mato Grosso do Sul (TER-MS), negou no último sábado (22/9), o pedido de liminar do Google Brasil na ação do candidato a prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), que estava solicitando a retirada de vídeos que julgava “ofensivo” do YouTube.

De acordo com “O Estado de São Paulo”, o juiz Amaury da Silva kuklinski ordenou a retirada de tais vídeos, obedecendo a decisão da 35ª Zona Eleitoral, e ainda ordenou prisão ao presidente do Google Brasil, ao qual havia descumprido com a decisão de retirada dos vídeos.

"Conquanto seja um espaço livre e democrático, o uso indevido da internet, na esfera eleitoral, deve ser coibido, medida em que não se trata de território isento de responsabilidade", escreveu Kuklinski.

Vale lembrar que a decisão já havia sido tomada pelo juiz Flávio Saad Peren, da 35ª Zona Eleitoral, na semana passada. No entanto, o Google recorreu, porém o pedido foi negado.

 

 

Mais sobre: Google justiça YouTube
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar