Review: Just Cause 2

Após o pequeno sucesso de Just Cause, lançado em 2006, o agente da CIA, Rico Rodriguez volta a ativa em Just Cause 2, desta vez sua missão é ajudar sua parceira Maria Kane a localizar e assassinar seu antigo chefe, Tom Sheldon que está escondido na ilha de Panau na Malásia. Na verdade, esta não é a verdadeira missão de Rico na Ilha, só jogando para descobrir.

Por | @@leomoraes88 Games

Após o pequeno sucesso de Just Cause, lançado em 2006, o agente da CIA, Rico Rodriguez volta a ativa em Just Cause 2, desta vez sua missão é ajudar sua parceira Maria Kane a localizar e assassinar seu antigo chefe, Tom Sheldon que está escondido na ilha de Panau na Malásia. Na verdade, esta não é a verdadeira missão de Rico na Ilha, só jogando para descobrir.

Requisitos Mínimos:

  • Processador: Core 2 Duo 1.6 GHz ou Athlon equivalente
  • Velocidade do processador: 2 núcleos de 1.6 GHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Memória de vídeo: 512 MB
  • Chipset de vídeo: NVIDIA 8800 / ATI HD 2600
  • Versão do DirectX: 10.0
  • Sistemas Operacionas: Windows Vista, Windows 7 - Não roda em XP e anteriores
  • Espaço: 10 GB livres em disco

Requisitos Recomendados:

  • Processador: Core 2 Duo 2.6 GHz ou Athlon equivalente
  • Velocidade do processador: 2 núcleos de 2.6 GHz
  • Memória RAM: 4 GB
  • Memória de vídeo: 512 MB
  • Chipset de vídeo: NVIDIA GTS 250 / ATI HD 5750
  • Versão do DirectX: 10.1
  • Sistemas Operacionas: Windows Vista, Windows 7 - Não roda em XP e anteriores
  • Espaço: 10 GB livres em disco

O jogo:

Antes de começar, vale lembrar que o 1º jogo da franquia Just Cause não teve tanto sucesso, tanto por seus bugs que por várias vezes estressavam demais. Mas agora os produtores se superaram e conseguiram fazer um jogo que agrada a todos. Just Cause 2, é o típico jogo que você pode andar, andar e andar que não vai encontrar o fim do mapa, de tão grande que ele é.

Novamente na pele do Agente da CIA Rico Rodriguez, onde "aterriza" na Ilha de Panau na Malásia, que está sobre forte regime ditador. Não posso dar muitos detalhes sobre o enredo do jogo, pois ele muda muito e se contar perde a graça de jogar.

O que parece bem claro no desenvolvimento do game, é que a jogabilidade foi o quesito número 1, o que facilita muito no docorrer das missões (que por sinal, as vezes são até fáceis demais). É possível se locomover de todas as maneiras, seja a pé, de carro, de moto, de ônibus, de helicóptero, de avião. Também é possível fazendo o chamado do glorioso sistema "Black Market", que fornece, além de locomoção para qualquer parte do mapa, armas de alguns tipos conhecidos e veículos diversos.

Rico também dispõe de um gancho de alpinismo em seu braço diretio, que lhe permite subir em qualquer lugar de alcance médio ou longo e também para alcançar veículos a uma distância razoável. O que na minha opinião acomoda o jogador, já que por muitas vezes nem corre mais, só se locomove pelo ganho que pode ser mirado no chão.

Gameplay:

[relatorio]

Mais sobre: review just cause games
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo