Oficina da Net Logo

Smartphone deixa as pessoas mais distraídas, indica estudo

Deixar o smartphone longe dos nossos olhos pode fazer bem!

Por | @oficinadanet Smartphones

Os smartphones, cada vez mais, fazem parte do cotidiano das pessoas. Agora, porém, pesquisadores descobriram que a simples presença do aparelho é o suficiente para reduzir a capacidade cerebral dos usuários. Isso vale se o aparelho estiver ligado ou mesmo desligado.

As revelações foram feitas através da Escola de Negócios McCombs, da Universidade do Texas em Austin. O professor Adrian Ward, juntamente com colaboração de outros pesquisadores, estudou quase 800 usuários de smartphones para poder descobrir o quanto eles conseguiram realizar as tarefas quando o aparelho estava à disposição.

Telefones deixam as pessoas distraídasTelefones deixam as pessoas distraídas

Os participantes, em um dos experimentos, tiveram que ficar sentados em frente a um computador e realizar uma quantidade de testes que demandam total atenção. A intenção era medir a disponibilidade de suas capacidades cognitivas, assim sendo, a habilidade de obter e processar dados a qualquer momento.

Antes do questionário, todas as pessoas receberam instruções de o que fazer com os seus smartphones. Elas deveriam coloca-los no modo silencioso, algumas das pessoas deixariam o aparelho sobre a mesa com a tela virada, e outras no bolso ou na mochila, já outras deveriam guardar o aparelho em outra sala.

Os pesquisadores descobriram que quem deixou os aparelhos em outro local obteve um desempenho melhor se comparado aos demais. O mesmo vale para os que tinham guardado o aparelho na mochila.

A explicação encontrada é que ao saber que o smartphone está no alcance nas mãos já é o suficiente para diminuir a capacidade cognitiva da pessoa.  "Sua mente consciente não está pensando no seu smartphone, mas esse processo — o processo de requerer a si mesmo que não pense sobre algo — usa parte dos seus limitados recursos cognitivos", disse o professor Ward.

Já em outro experimento, eles questionaram as pessoas em relação à sua dependência ao smartphones, com a intenção de descobrir quantas delas acreditam que precisam do aparelho por perto para passar normalmente por um dia.

A situação foi repetida em relação aos aparelhos, e alguns ainda precisavam desligar os seus aparelhos. Como resultado, os que disseram mais dependentes tiveram desempenho pior, mas apenas se o smartphone estivesse por perto. Deste modo, mesmo quem assumia o vício no smartphone conseguia bloquear os efeitos negativos caso o aparelho estivesse fora do seu alcance.

Os pesquisadores perceberam que, nada importava se o aparelho estivesse ligado ou desligado, estando por perto ele tem a capacidade de drenar a capacidade cognitiva do usuário. A razão para isso é que o cérebro precisa ficar se esforçando constantemente para não pegar o aparelho.

"Não é que os participantes estavam distraídos porque estavam recebendo notificações em seus telefones", explicou Ward. "A mera presença de seus smartphones foi suficiente para reduzir sua capacidade cognitiva."

COMPARTILHE
Comentários
Carregar comentários