Tipos de Conteúdo: como escolher os melhores para a sua estratégia de marketing de conteúdo?

Planejar uma estratégia de conteúdo envolve pensar não somente no que dizer para o seu público, mas também em COMO dizer.

Por | @oficinadanet Marketing Digital

Planejar uma estratégia de conteúdo envolve pensar não somente no que dizer para o seu público, mas também em COMO dizer. Assim, a linguagem que você vai utilizar, os temas que você vai explorar e os tipos de conteúdo que vai produzir são muito importantes para ter sucesso. Neste artigo, vamos focar nos tipos de conteúdo, que vão muito além de blog posts, vídeos e e-books!

Como assim?

Imagine que o seu blog tem como principal público-alvo as pessoas que estão iniciando ou que já adotaram a corrida no seu estilo de vida. Você já tem um público cativo, e tem até uma loja virtual acoplada ao blog.

Só que você agora quer vender também assessoria e treinamentos online para esse público, entregando uma planilha personalizada de exercícios e de evolução na corrida, além de oferecer o acompanhamento de um profissional especializado.

Você traz muitos leitores ao seu blog, e aqueles mais fiéis acabam comprando algo na sua loja. Mas...

  • Como fazer quem visitou o seu blog voltar?
  • Como fazer essas pessoas se interessarem por sua evolução na corrida?
  • Como fazer com que elas continuem interagindo com o seu conteúdo?
  • Como se diferenciar de tantos conteúdos na internet e se tornar autoridade para essas pessoas?
  • Como fazer com que elas se tornem fãs e queiram não somente comprar seus produtos, como também adquirir o seu treinamento?

A resposta tem 2 partes.

1. Jornada do Consumidor

João está começando a buscar um estilo de vida mais saudável. Está caminhando no parque todos os dias, mas sente que quer fazer mais. Já até começou a combinar uma corridinha leve à caminhada. E aí, #partiuGoogle para entender como pode evoluir na corrida, buscando treinos para iniciantes.

Gabriela já corre com frequência. Já participou de algumas corridas de 5km em sua cidade, e quer começar a correr os circuitos de 10km. Ela vai ao Google, ou diretamente ao seu blog, para buscar informações e opiniões sobre suplementos que podem ajudá-la a ter uma melhor performance. Além disso, quer uma rotina de treinos com foco na sua primeira corrida de 10km.

Você já entendeu onde eu quero chegar. João e Gabriela são pessoas que buscam conteúdos sobre temas diferentes, que estão de acordo com o seu momento na corrida. Enquanto João ainda busca informações “for dummies”, Gabi já passou por todo esse processo e está mais à frente (ou abaixo) na Jornada do Consumidor.

E quais são as fases da Jornada? Basicamente três:

  • Consciência (ou Topo de Funil): o usuário percebe que tem um problema e começa a pesquisar sobre como resolvê-lo;
  • Consideração (ou Meio de Funil): o usuário já consegue definir o problema mais claramente e busca opções para resolvê-lo;
  • Decisão (ou Fundo de Funil): o usuário já está na fase em que irá escolher uma solução.

Então, basicamente: entenda qual é essa jornada do seu usuário. No estágio de consciência, o que ele busca? O que quer aprender? Como chamar a atenção dele?

Faça a mesma coisa para os demais estágios.

2. Planejamento de Conteúdo

Agora que você já sabe o que chama a atenção do seu usuário em cada fase da jornada de compra, você já pode planejar quais conteúdos produzir. Mais do que isso – e é o foco do nosso artigo –, você pode pensar em quais formatos ou tipos de conteúdo funcionam melhor em cada etapa da jornada.

Assim, a consultoria Smart Insights desenvolveu a Matriz de Conteúdo, que ajuda a escolher o melhor formato de conteúdo de acordo com o seu objetivo e com a fase da jornada de compra em que o usuário se encontra.

Olha só a imagem abaixo:

 Tipos de Conteúdo: como escolher os melhores para a sua estratégia de marketing de conteúdo?


Essa matriz apresenta os tipos de conteúdo mais comuns para cada fase da jornada, e também analisando o quanto você precisa ser racional ou emocional no seu conteúdo.

Por exemplo: em um estágio de Consciência (Awareness), você pode usar formatos como:

  • Música e playlists;
  • Virais;
  • Quadrinhos/Ilustrações;
  • Fotos;
  • Quiz e enquetes;
  • Memes;
  • Endosso de celebridades/influenciadores;
  • Artigos;

Tudo isso em uma base mais emocional. Já na esfera racional:

  • Podcasts;
  • Infográficos;
  • Guias;
  • Ferramentas/softwares.

Viu só a variedade de formatos que sua estratégia pode conter, apenas em um estágio da jornada? Quais desses formatos o seu público mais curte? Cabe a você testar e descobrir. ;)

Vamos às outras fases:

Research (Pesquisa)

  • Competições;
  • Ilustrações;
  • Animações;
  • Vídeos;
  • Jogos;
  • Apresentações de Slides;
  • Twitter e aplicativos de chat;
  • E-books;
  • Blogs;
  • Releases;
  • Templates;
  • E-mails e newsletters;
  • Relatórios de Tendências.

Comparison (Comparação)

  • Widgets;
  • Fóruns e comunidades;
  • Depoimentos de clientes e usuários;
  • Eventos;
  • Características e funcionalidades do produto;
  • Vídeos de demonstração de produto;
  • Relatórios e White Papers;
  • Webinars;
  • Checklists;

Purchase (Decisão de Compra)

  • Estudos de Caso;
  • Avaliações;
  • Calculadoras;
  • Tabelas de preços.

Consegue perceber que, quanto mais fundo na jornada de compra, mais racionais os conteúdos ficam? Além disso, mais eles aprofundam e começam a apresentar soluções para o usuário.

Bom, agora você já sabe que dá pra evoluir muito mais a sua estratégia de marketing de conteúdo. E-book é bacana, tem o seu valor, mas você não precisa saturar o seu usuário somente com isso. Explore os outros tipos de conteúdo, trabalhe bem os temas, mantenha a frequência e a consistência. Os resultados virão!

Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo