NieR: Automata - Análise do Jogo

Confira o nosso review do game NieR: Automata, um dos mais jogos mais comentados deste ano.

Por | @oficinadanet Games

O review de hoje será uma análise de NieR: Automata. O jogo, desenvolvido pela Platinum Games e publicado pela Square Enix, é uma sequência do jogo Nier e um Spin-off da série de jogos Drakengard. Seu gênero é difícil de descrever, mas podemos dizer que ele se aproxima de um RPG de Ação Mundo Aberto.

O jogo foi lançado primeiro no Japão e para PS4 e poucos dias depois foi liberado para o resto do mundo e para PC. O título tem sido um sucesso de vendas desde o lançamento e vêm atraindo diversas críticas positivas.

  • Nier: Automata é um jogo eletrônico RPG de ação desenvolvido pela PlatinumGames e publicado pela Square Enix. O jogo é uma sequência de Nier lançado e...

    Estúdio Square Enix
    Gênero RPG e Ação
    Classificação 17
    Desenvolvedora PlatinumGames
    Jogadores Multiplayer Não possui multiplayer
    Plataforma Playstation 4 e PC
    Série NieR

História

Nier: Automata se passa milhares de anos após os eventos ocorridos em seu antecessor. O universo do jogo é um cenário pós-apocalíptico no qual o planeta Terra foi invadido por alienígenas, que traziam consigo formas de vida robóticas como armas. Esses robôs dizimaram a maior parte da população humana da Terra, e os poucos seres humanos que sobraram fugiram para a Lua, em busca de refúgio.

Presos fora de sua terra natal, os humanos criaram uma organização chamada de YoRHa, que desenvolve e envia androides para batalhar contra os alienígenas na terra e tentar retomar o planeta. Inicialmente o jogador assumirá o papel de 2B, um dos andróides combatentes, que participa dessa guerra e luta contra os mais diferentes tipos de inimigos.

Com uma história idealizada por Yoko Taro, o mesmo criador da série, notamos sua genialidade durante Nier: Automata. O jogo possui uma história densa e difícil de ser entendida, tanto que, para compreender por completo o jogo, é preciso finalizá-lo 5 vezes, desbloqueando todos os finais principais disponíveis do game. Mas isso não é um defeito. Apesar de complexa, a história é muito bem trabalhada durante toda a duração do título.

NieR: Automata - Análise do Jogo

Contando com personagens cativantes e muito bem trabalhados, além de diversas surpresas na história, o jogo garante a imersão por muitas horas. Durante toda a campanha, questionamentos filosóficos sobre a diferença entre “Ser” e “Existir” são trazidos à tona.

Ficamos boiando em um mar de dúvidas sobre o misterioso comportamento dos seres artificiais que habitam a terra, bem como sobre o sentido da existência dos Androides, ao mesmo tempo em que mergulhamos nas interações dos personagens da trama e tentamos entender suas personalidades. A história do jogo é realmente muito boa e emocionante, e merece ser destacada.

Jogabilidade

E se tratando de Platinum Games, com certeza a história não ficaria sozinha com o destaque. NieR: Automata merece ser lembrado por muito tempo devido ao excelente trabalho realizado pela desenvolvedora no quesito jogabilidade.

Primeiramente, devemos explicar a frase sobre o gênero na introdução do vídeo. O título viaja constantemente entre diversos gêneros distintos durante o gameplay. Enquanto em um momento você está batalhando em uma nave no estilo shoot’em’up, de repente você se encontra em um jogo de ação plataforma, passando por um momento de RPG, trombando em uma fase “à la” Bullet Hell. E ainda existem referências menores de outros gêneros.

A maior parte do tempo, porém, ficamos no gênero de RPG de ação. A empresa trouxe várias referências de títulos passados como Bayonetta e Metal Gear Revengeance, criando um sistema de combate extremamente dinâmico, relativamente simples mas ao mesmo tempo profundamente desafiador e variado o suficiente para deixar o jogador imerso durante toda a duração da campanha.

O jogador tem à sua disposição 2 armas principais, com as quais pode realizar ataques leves e ataques pesados. Os golpes podem ser combinados e através deles é possível realizar combos arrasadores, capazes de pulverizar vários inimigos simultaneamente.

Aliados a esses golpes, temos também o controle de uns robôs conhecidos como Pod, que são metralhadoras flutuantes e podem ter seus ataques melhorados. Não satisfeito, ainda temos acesso à uma mecânica de esquiva que, advinha: Também contribui com os combos, gerando momentos épicos, com sequências intermináveis de golpes e esquivas para arrebentar seus alvos.

NieR: Automata - Análise do Jogo

E não apenas os personagens utilizados pelo jogador que são incríveis e poderosos, os inimigos também são, principalmente os chefes. Cada chefe é diferente, apresenta mecânicas intensas e desafiadoras, e obrigam o jogador a tentar encontrar um padrão em seus golpes para que possam desviar deles e assim ter alguma chance de derrotá-los. Não só isso, durante todas as batalhas, o jogador é constantemente surpreendido com novas mecânicas, que tornam os encontros com os inimigos cada vez menos previsíveis e bastante divertidos.

Saindo um pouco do combate e entrando no mérito do RPG, NieR: Automata não deixa a desejar. Durante sua exploração na Terra destruída você encontrará diversos itens e recursos para serem coletados e NPCs com side quests. Com esses recursos o jogador poderá aprimorar as armas que possui ou comprar novas nos vários comerciantes.

Existe ainda a possibilidade de adicionar Chips de Plug-Ins ao personagem, que servem como aprimoramentos variados. Temos um certo espaço disponível para os plugins, ou seja, só podemos adicionar uma quantidade limitada de aprimoramentos. A variação possível é grande, eles podem aumentar a vida, velocidade, dano críticos e existem ainda alguns chips especiais, como os que controlam a interface durante o jogo. Assim, cabe a cada jogador gerenciar a melhor combinação possível que se adapte a seu estilo de jogo.

Mas nem tudo são flores em NieR: Automata. A câmera do jogo, no geral, trabalha de forma favorável à permitir batalhas mais interessantes mas em alguns momentos ela mais atrapalha do que ajuda. O suposto mundo aberto do título é muitas vezes decepcionante com áreas que te convidam à exploração, mas na verdade são bloqueadas por paredes invisíveis. Por fim, algumas animações não parecem perfeitamente linkadas aos comandos do jogador e podem causar alguma frustração durante a movimentação.

De maneira geral, podemos dizer que a jogabilidade de NieR: Automata é um de seus pontos fortes. O combate extremamente dinâmico e repleto de mecânicas, aprimorado pela customização disponibilizada pelos elementos de RPG e aliado às diversas variações de gênero e perspectiva nas lutas fazem do título um jogo que realmente vale a pena ser lembrado, tanto pela ousadia quanto por sua ótima execução.

Gráficos

NieR: Automata finalmente começa a apresentar algumas falhas no quesito gráficos. Antes de tudo, temos que dizer: os efeitos e partículas dos golpes e explosões durante as batalhas são o que você esperaria. Como as lutas são intensas, o feedback visual guia o jogador e permite que a experiência seja mais fluida, como fica bem claro com o caso da esquiva, onde um efeito nos inimigos é ativado toda vez que essa mecânica puder ser usada.

Agora, indo para a parte ruim, o jogo apresentou diversos problemas gráficos, principalmente com relação à performance, e com agravantes maiores na versão para PC.

NieR: Automata - Análise do Jogo

As texturas utilizadas frequentemente eram de baixíssima resolução e outro problema que pode ser irritante para alguns jogadores é o Texture-Popping. Ele ocorre quando, ao olharmos para algum objeto relativamente distante, se faz possível notar, de maneira abrupta, a mudança da textura desse objeto de uma textura de menor qualidade, usada em objetos distantes, para uma textura mais detalhada, usada em objetos próximos. O que acaba dando a sensação de que as coisas estão brotando de repente na tela.

Além disso, diversos relatos foram feitos sobre o jogo não conseguir acompanhar os 60FPS no console. Já no PC, que foi a plataforma testada pelo canal, trombamos em alguns problemas impostos pelo jogo. Primeiramente, ao jogar em modo Fullscreen, o jogo implicitamente reduz a qualidade visual do jogo para uma resolução menor e apresenta na tela esse resultado só que esticado na tela, comprometendo a qualidade visual. Nas primeiras gravações, a resolução utilizada foi de 1920x1080, mas o vídeo capturado veio na resolução 1600x1024. E se você utilizar um monitor com aspect radio de 21:9 o drama é ainda maior.

Outro problema encontrado foi que as cutscenes apresentam uma queda muito notável de performance, apresentando um número de frames por segundo bem inferior à quantidade durante o gameplay. Até o momento da postagem desse vídeo, nenhum patch de correção foi enviado pela empresa para resolver esse problema.

A interface do jogo onde você vai passar um bom tempo aprimorando armas ou mexendo nos seus itens é bem feia. No computador, utilizando mouse e teclado, ela apresenta problemas básicos e chega a ser bem frustrante de usar. Claro, cada um tem uma sensibilidade diferente para esse tipo de coisa, mas para um jogo desse porte, uma interface feita com mais carinho era o que esperávamos. No fim, a experiência com a interface é bem negativa, tanto pela aparência, quanto pela usabilidade. Nem o mini mapa escapou dessa e muitas vezes ele mais atrapalha do que ajuda.

Sonoplastia

Som

Os efeitos sonoros do jogo são muito bons! A maior parte deles são de lâminas cortando o ar ou o impacto do metal das armas com o metal das armaduras dos robôs, além do incessante som dos disparos das metralhadoras dos Pods, mas o que realmente importa é que esses efeitos são devidamente apresentados, soando como esperados e contribuindo para a imersão do jogador.

Outros efeitos também são bem apresentados, como o som dos passos, que é sempre condizente com a superfície na qual os personagens estão pisando. Mais um efeito fiel é aquele som característico de máquinas, algo meio mecânico e robótico, que podem ser ouvidos principalmente nos encontros com inimigos de grande porte durante sua movimentação.

NieR: Automata - Análise do Jogo

Além disso, Masato Shindo, responsável pelo design de áudio do jogo, falou sobre a nova tecnologia, desenvolvida exclusivamente para esse título e que calcula os efeitos de reverberação de áudio a serem aplicados em tempo de execução do jogo, diferentemente dos títulos anteriores onde esse cálculo era feito previamente e configurado de maneira estática no jogo.

Essa nova tecnologia visa conferir maior dinamicidade e realismo ao áudio do jogo além de reduzir consideravelmente o trabalho, pois como NieR: Automata é um jogo de mundo aberto, a produção de efeitos específicos para cada cenário exigiria uma carga absurda de trabalho.

Música

Se você achava que os elogios tinham parado, eles voltaram, Mais um excelente profissional que participou do desenvolvimento desse jogo foi Keiichi Okabe, o responsável pela música do jogo. Com trilhas fortemente inspiradas na música clássica e bem semelhantes às presentes no título antecessor, a música de NieR: Automata é demais.

Durante as músicas de background, ao invés de utilizar uma trilha sonora única e que se repete, Okabe optou por criar diversas melodias, algumas suaves e outras mais agitadas, e desenvolver um método que faz com que essas trilhas sejam combinadas e reproduzidas de acordo com a situação e o ambiente em que o jogador se encontra.

Então cada ambiente tem um gatilho emocional específico que é despertado tanto pela estética quanto pela música. Assim, o jogador, com o passar do tempo, vai acabar aprendendo a identificar certas localizações com certos sentimentos.

Narração

A dublagem em japonês, por sua vez, é extremamente bem executada, apresentando um excelente trabalho de interpretação feito pelos dubladores. Todos os personagens têm sua própria identidade sonora e é possível associar características das vozes ao comportamento dos mesmos.

Se por outro lado você preferir jogar o título em inglês, assim como eu não vai se decepcionar. Não é que as dublagens tenham sido brilhantes, mas elas entregam o mínimo esperado com alguma folga. O único problema mesmo é a dessincronizarão entre boca e fala que vai acontecer em vários momentos.

NieR: Automata - Análise do Jogo

Conclusão

A combinação entre Square Enix, Platinum Games e o time de criação resultaram em um título incrível e muito divertido. Tirando alguns problemas de performance, principalmente no PC, e as falhas nas texturas e uma interface ruim, o jogo merece muitos elogios, em todos os campos. NieR: Automata é um título que todos deveriam dar uma chance.

A ação proporcionada por seu combate e sua profundidade de história, combinados com toda a ambientação sonora e visual formam uma experiência muito recompensadora e que com certeza servirá de muita inspiração para diversos jogos futuros. Só é uma pena que seu lançamento foi exatamente entre os lançamentos dos jogos Horizon Zero Dawn e Ghost Recon Wildlands, reduzindo a atenção que o título poderia ter recebido. Independente disso, fica aqui como uma recomendação do nosso canal para vocês, pois é um jogo que vale muito a pena, mesmo em seu preço total, e que definitivamente é capaz de te proporcionar mais de 60 horas de gameplay.

Mais sobre: nier GAMES jogos
Share Tweet
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo