Venda de tablets cai 32% no Brasil

Quando foram anunciados ao mundo, os tablets prometiam ser os substitutos dos computadores. Atualmente, cada vez mais eles perdem espaço entre os consumidores.

Por Negócios Pular para comentários
Venda de tablets cai 32% no Brasil

Em 2016, a venda de tablets no Brasil caiu 32% em comparação ao ano anterior, disse a IDC nesta quinta-feira (9).

Esta já é a segunda queda anual na comercialização de produtos eletrônicos. Em 2015, foi ainda maior, com registro de 38% de declínio. O desempenho do ano passado representa 4 milhões a menos de unidades de tablets no mercado.

Em 2016, foram comercializados 5,8 milhões de tablets. No total, a IDC incluiu os aparelhos destacáveis. Mesmo com isso, os notebooks com telas reversíveis não pesaram muito a favor já que apenas 26,5 mil de tais dispositivos foram vendidos.

A baixa procura pelos tablets, que prometiam ser os sucessores dos computadores, deve-se ao fato da maior oferta de smartphones de tela grande.

Wellington La Falce, analista de mercado da IDC, disse através de nota que o "boom" de venda de tablets já passou. O último ano de crescimento registrado foi em 2014, quando a alta foi de 13%. De acordo ainda com ele, "80% do mercado ficou dominado por três empresas", o que reduz as opções aos consumidores.

A expectativa para 2017 não é nada otimista. A IDC acredita que o mercado de tablets alcance cerca de 3,7 milhões de aparelhos comercializados, ou seja, 7% a menos que em 2016.

Leia também: Positivo anuncia celular, tablet e notebooks na Eletrolar 2019. Acompanhe as últimas notícias de tecnologia aqui no Oficina da Net. Sempre trazendo conteúdos novos e produtos interessantes.

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Carregar comentários