Morre Zygmunt Bauman, autor de Modernidade Líquida

Com formação marxista, ele estudou a relação entre modernidade e totalitarismo e a transição do moderno à cultura pós-moderna.

Por | @oficinadanet Redes sociais

Morreu nesta segunda-feira, dia 09 de janeiro, o sociólogo Zygmunt Bauman, aos 91 anos. O motivo da morte do polonês ainda não foi divulgado.

Possuidor de uma extensa biografia com intensas reflexões sobre a sociedade e o mundo atual, o filósofo nasceu no dia 19 de novembro de 1925, em Poznan e chegou a servir na Segunda Guerra Mundial, que viria a ser um de seus principais campos de estudos.

A ‘liquidez” das relações sociais, teoria criada por ele, abriria um vasto terreno de análise para as mais diferentes áreas, como a filosofia, cultura, sociologia, relacionamento humano e até mesmo na revolução que as mídias digitais trouxeram para a sociedade moderna.

Mesmo aos 91 anos, Bauman, que deixa três filhas, se manteve ativo, sem deixar de publicar livros e teorias, sendo considerado um dos maiores filósofos e sociólogos do final do século 20 e início do século 21. A maioria das suas obras foram traduzidas para o português, sendo "A riqueza de poucos beneficia todos nós?", seu último título publicado no Brasil.

Morre Zygmunt Bauman, autor de Modernidade Líquida

DESTAQUESRecomendado
Siga nas redes
Mais compartilhados
O QUE LER EM SEGUIDA
Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar