Morre Zygmunt Bauman, autor de Modernidade Líquida

Com formação marxista, ele estudou a relação entre modernidade e totalitarismo e a transição do moderno à cultura pós-moderna.

Por | @oficinadanet Redes sociais

Morreu nesta segunda-feira, dia 09 de janeiro, o sociólogo Zygmunt Bauman, aos 91 anos. O motivo da morte do polonês ainda não foi divulgado.

Possuidor de uma extensa biografia com intensas reflexões sobre a sociedade e o mundo atual, o filósofo nasceu no dia 19 de novembro de 1925, em Poznan e chegou a servir na Segunda Guerra Mundial, que viria a ser um de seus principais campos de estudos.

A ‘liquidez” das relações sociais, teoria criada por ele, abriria um vasto terreno de análise para as mais diferentes áreas, como a filosofia, cultura, sociologia, relacionamento humano e até mesmo na revolução que as mídias digitais trouxeram para a sociedade moderna.

Mesmo aos 91 anos, Bauman, que deixa três filhas, se manteve ativo, sem deixar de publicar livros e teorias, sendo considerado um dos maiores filósofos e sociólogos do final do século 20 e início do século 21. A maioria das suas obras foram traduzidas para o português, sendo "A riqueza de poucos beneficia todos nós?", seu último título publicado no Brasil.

Morre Zygmunt Bauman, autor de Modernidade Líquida

Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo

Siga nossas contas no Twitter