CE acusa Facebook de fornecer informações falsas na compra no WhatsApp

As empresas são obrigadas a fornecer informações precisas à Comissão durante o processo de fusão de empresas. Fato que pode não ter ocorrido.

Comentários Rafaela Pozzebon
Seguir
  -

O Facebook está sendo acusado pela Comissão Europeia de fornecer informações enganosas durante o processo de compra do WhatsApp em 2014. Conforme a comissão, a rede social havia dito que não associaria as contas dos usuários dos dois serviços, porém, isso aconteceu ocorrendo em agosto desse ano.

De acordo com a comissária Margrethe Vestage, as empresas são obrigadas a fornecer informações precisas à Comissão durante o processo de fusão de empresas. Porém, neste caso acabou não ocorrendo.

Facebook pode ter omitido informações no processo de compra do WhatsApp. Empresa terá que explicar o caso até 31 de janeiro.
Facebook pode ter omitido informações no processo de compra do WhatsApp. Empresa terá que explicar o caso até 31 de janeiro. Caso seja comprovada má fé, empresa deverá pagar multa mlionária. 

Leia também:

Em 2016, o WhatsApp começou a permitir que os usuários vinculassem os seus números de celular com Ids do Facebook. A alegação era de que isso iria melhorar a sugestão de amigos e relevância de anúncios. Conforme averiguação da Comissão, esta ferramenta já existia em 2014, porém, foi omitida nos documentos da compra.

Agora, a rede social possui prazo até o dia 31 de janeiro para se reportar sobre o caso. A dúvida é se essa omissão aconteceu por pura negligência ou foi mesmo intencional. Caso o Facebook seja considerado culpado, ele poderá receber multa no valor de 1% do seu faturamento total, o que equivale a cerca de R$ 420 milhões.

Mande para o Facebook

Tweet para os seus seguidores

 
COMENTÁRIOS
NOSSOS VÍDEOS NO YOUTUBE

carregando...
Últimas publicações
TOPO