Oficina da Net Logo

Após desbloqueio de iPhone, três pessoas ligadas ao atirador de San Bernardino são presas

A polícia prendeu o irmão, a cunhada e a mulher de um amigo do atirador Syed Rizwan Farook.

Por | @oficinadanet Tecnologia Pular para comentários

Na quinta-feira (28), três pessoas ligadas ao atirador de San Bernardino, que matou 14 pessoas em dezembro, acabaram sendo presas pelos FBI nos Estados Unidos, disse o procurador-geral do país.

Conforme o procurador, a polícia prendeu o irmão, a cunhada e a mulher de um amigo do atirador Syed Rizwan Farook. Vale notar que o amigo, Enrique Marquez Jr, já foi preso e acusado em dezembro por conspirar para cometer crimes de terrorismo em 2011 e 2012 e ainda pela compra ilegal de dois fuzis de assalto que foram usados no tiroteio na Califórnia.

Após desbloqueio de iPhone, três pessoas ligadas ao atirador de San Bernardino são presas

O casal acabou sendo preso em Corona, já a mulher, em Ontário. Ambas as cidades são vizinhas a São Bernardino. Eles afirmaram que participaram de fraude de casamento para obter benefícios com a imigração. As mulheres presas são imigrantes russas. Caso sejam declarados culpados, os detidos podem pegar até cinco anos de prisão.

"Este é o último passo da ampla investigação sobre os terríveis ataques em São Bernardino no ano passado", declarou, em um comunicado, o promotor distrital, Eillen M. Decker.

"As detenções realizadas hoje (quinta-feira) abrem uma nova fase no processo para levar à justiça todas as pessoas que supostamente cometeram crimes evidenciados durante esta exaustiva investigação", destacou.

No tiroteio de San Bernardino, que ocorreu em 2 de dezembro, Faraook e sua mulher mataram 14 pessoas e ainda deixaram 21 feridos ao abrirem fogo em uma confraternização em um centro de serviços sociais.

 

iPhone desbloqueado

Mesmo que as recentes prisões tenham ocorrido após o desbloqueio do iPhone do atirador, o FBI não relatou se o conteúdo contribui para isso, ou mesmo para outras evidências ligadas ao crime.

O que se sabe até então é que o Agência de Segurança americana desembolsou cerca de US$ 1 milhão para conseguir violar o aparelho.

“O FBI pagou aproximadamente US$ 1 milhão para a técnica utilizada para desbloquear o iPhone usado por um dos atiradores do caso de São Bernardino - um valor menor do que os US$ 1,3 milhão que o chefe da agência indicou que iria precisar inicialmente para fazer o hack, segundo várias agências dos Estados Unidos disseram na quinta (28/04). O Federal Bureau of Investigation será capaz de desbloquear outros modelos do iPhone 5c rodando a versão 9 do iOS - as especificações do telefone do atirador - sem ter que fazer pagamentos adicionais para o contratado que forneceu o serviço, essas pessoas disseram”.

Assista ao nosso último vídeo: