O Netflix e a polêmica do VPN e Proxy

Uma dúvida que pode causar o banimento da sua causa. Confira:

Por | @Evilmaax Entretenimento

Se você é um usuário assíduo de Netflix então sabe do problema com os diferentes catálogos. Funciona assim: Cada país tem seu próprio conteúdo. Alguns com milhares de títulos, outros com algumas poucas centenas.

E não é pouca coisa, não. Em todo o planeta a Netflix possui 247 catálogos, sendo a grande parte diferentes um do outro, para atender seus mais de 190 países. O Brasil, por exemplo, tem pouco mais de 3.500 títulos, e não é tão pouco não como pensamos. Nosso catálogo está na frente de países como Canadá e qualquer país da Europa. E como não poderia deixar de ser, a biblioteca estadunidense é a maior do mundo, com quase 6 mil títulos, ou seja, o mais desejado do mundo.

Mas mesmo assim, independentemente do país, por menor que seja seu catálogo, eles sempre vão possuir alguns títulos que somente estão disponíveis naquele determinado catálogo. Por isso que a cobiça por novidades exclusivas de outros cantos do mundo é tão grande e o uso de alternativas ilícitas também.

Confira nosso guia de atualizações e remoções da Netflix

Isso faz com que alguns usuários desenvolvessem ferramentas capazes de burlar o sistema e acessar qualquer Netflix do mundo. São os famosos VPN’s, ou, Virtual Private Network. Mas o que é e como funciona essa sigla?

Como funciona o VPN?

Resumidamente funciona assim: Quando você acessa o Netflix pelas redes normais a sua conexão passa por protocolos de segurança que autenticam a conexão proporcionados pelo ISP (Internet Service provider). Esse servidor "seguro" tem a função de barrar os possíveis invasores, as tentativas de ataques, os sites ou conexões sem certificados válidos, etc. Sim, o VPN é um túnel entre sua conexão e o local onde você está indo. Como esse túnel é fictício a ferramenta consegue simular como se você estivesse em qualquer país. Você pode simular uma conexão da Rússia, França, Austrália, Filipinas, etc.

O problema é que quando você acessa direto pelo túnel não tem a garantia dessa proteção extra que uma rede e servidor seguro proporcionam. É como se a internet fosse um tiroteio e o servidor seguro fosse seu colete á prova de balas. Quando você entra numa VPN você entra no tiroteio sem colete. Os tiros vão estar lá, e ser atingido é questão de tempo. Esses tiros podem ser espiões, ladrões de senha, dados de cartão, etc. (espero que tenham entendido com essa explicação tosca).

Um dos mais famosos provedores VPN é a extensão Hola do Google Chrome que funciona e faz tudo de uma forma bem fácil.

O Netflix e a polêmica do VPN e Proxy

Por que essa restrição?

O medo que uma pessoa acessar um material que não esteja permitido para os eu país é um só: Grana. Quando a Netflix paga por um conteúdo paga para exibição em determinado local, para um determinado público, número de assinantes, etc.

Imagine que um filme X é lançado nos EUA e a Netflix irá distribui-lo. Assim sendo a empresa paga tantos dólares para mostrar o título no catálogo da Espanha e França, por exemplo. Porém, o amiguinho da Espanha tem inveja e quer assistir já que no cinema de seu país o mesmo filme só vai estrear daqui 2 semanas. Se ele usar VPN e assistir no catálogo francês, o que vai ocorrer?

O estúdio que investiu dinheiro na produção do filme vai deixar de vender ingressos e dvd’s e, consequentemente, vai diminuir em muito sua arrecadação. Como consequência o estúdio não vai mais licenciar nenhum filme para a plataforma. Isso é ruim para a Netflix também, pois com menos títulos novos e interessantes á natural que se venda menos assinaturas.

Viu só? Esse é o motivo pelo qual a Netflix quer te banir caso você se utilize de técnicas não permitidas.

O Netflix e a polêmica do VPN e Proxy

E as consequências?

Com consequências tão graves para a sua saúde financeira, é natural que a Netflix queira te deixar com medo de usar VPN. Ainda mais se pensarmos que, segundo dados dos próprios, mais de 30 milhões de usuários utilizam VPN regularmente para burlar a proteção, sendo 20 milhões deles somente da China, onde a Netflix não está presente por restrições do governo local.

O problema para esses 30 milhões de usuários é que a Netflix é contra qualquer mutreta para fraudar sua política de direitos e permissões e, anunciou recentemente, em 14 de janeiro de 2016, que quem for pego fazendo isso será banido automaticamente, inclusive, do seu país de origem, aquele mesmo em que tem a conta paga todo mês.

Embasamento para isso eles tem e está escrito naquela política de uso que você aceitou sem ler. Olha só o que diz:

A Netflix poderá encerrar ou restringir seu uso do serviço sem indenização ou aviso prévio se houver suspeita de

(i) infração de qualquer dos presentes Termos de uso ou

(ii) envolvimento com uso ilegal ou inadequado do serviço

Acha que eles estão brincando? Poucos dias depois do anúncio já deu para ver alguns usuários brasileiros falando nos grupos de Facebook que tiveram suas contas suspensas. Bom, o uso de VPN é fácil e está muito bem explicado pela internet afora. Então pense muito bem antes de usar.

Lembrando que o uso de Proxy também é feito para o mesmo tipo de atividade ilegal, igualmente proibido e reprimido. Então, se você quer ficar com a conta em dia, nada de VPN ou proxy, ok?

Você usa VPN, conhece alguém que usa, conhece alguém que já foi bloqueado? Conte pra gente nos comentários.

Mais sobre: Netflix, Cinema, séries
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários