Chega ao Brasil o aplicativo de carro BlaBlaCar

Inicialmente, as viagens arranjadas através do aplicativo não terão qualquer tipo de taxa. Porém, assim que o aplicativo “atingir maturidade” no Brasil, o BlaBlaCar começará a cobrar uma taxa dos passageiros, igualmente ao serviço cobrado no exterior.

Por | @oficinadanet Tecnologia

Nesta segunda-feira (30), a empresa responsável pelo aplicativo BlaBlacar, que conecta as pessoas em viagens de carro para outras cidades, desembarcou no Brasil.

A empresa foi fundada na França ainda em 2006 e já recebeu desde o ano passado 300 milhões de dólares em duas rodadas de investimentos para que chegar a outros países. Agora, com o Brasil na lista, o aplicativo está presente em 20 países.

"A situação da economia brasileira de certa forma acaba se alinhando com os objetivos da BlaBlaCar para o país", afirmou o diretor-geral da companhia para o Brasil, Ricardo Leite.

"O Brasil tem uma frota de 50 milhões de carros, tem vários centros urbanos, 100 milhões de usuários em redes sociais, gasolina cara em relação à renda. Com isso, a expectativa de se pagar a operação brasileira é muito grande", acrescentou o executivo.

Chega ao Brasil o aplicativo de carro BlaBlaCar

Leia também:

O Brasil é o segundo país na América Latina a receber o serviço, até então, somente o México contava com a plataforma.

"A América Latina tem infraestrutura que permite viagens de carros e frotas de veículos muito significativas. O potencial é grande uma vez que há uma demanda grande de mobilidade entre as cidades (...) além do próprio potencial gerado pelo turismo", disse  Julien Lafouge, diretor-geral da BlaBlaCar na América Latina, enfatizando os planos de ampliar o serviço para a América Latina.

O valor de investimento nas terras tupiniquins não foi revelado. De acordo com Leite, o escritório da empresa ficará situado na capital paulista e contará com dez funcionários.

Leite diz que o BlaBlaCar não deverá enfrentar oposição no país, já que seu objetivo é reduzir o custo de viagens de carro entre cidades e não criar um serviço de motoristas remunerados.

"O que a gente faz é basicamente conectar os dois lados. Não precisamos adquirir licenças. Temos operado em uma série de países sem arranjar confusão. Não vemos nenhum motivo para que nosso serviço possa levantar problemas", afirmou Leite.

O executivo salienta que, incialmente, as viagens arranjadas através do aplicativo não terão qualquer tipo de taxa.  Porém, assim que o aplicativo “atingir maturidade” no Brasil, o BlaBlaCar começará a cobrar uma taxa dos passageiros, igualmente ao serviço cobrado no exterior.

Conforme Leite, a tarifa cobrada pela BlaBlaCar do passageiros no Brasil irá corresponder a 10% a 15% do custo estimado da viagem.

Mais sobre: aplicativo blablacar brasil
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo