Reino Unido pretende aumentar o monitoramento na internet

Caso o projeto seja aceito, a nova lei irá obrigar as empresas de internet a armazenar todas as atividades de seus usuários nas redes durante o período de 12 meses.

Por | @RafaelaPozzebon Tecnologia

Na quarta-feira (4), a ministra do Interior do Reino Unido, Theresa May, apresentou no Parlamento, um projeto de lei que tem como objetivo facilitar às forças de segurança os meios necessários para poder acessar toda a atividade de criminosos e supostos terroristas na internet.

May, em um pronunciamento na Câmara dos Comuns, disse que o Projeto de lei de Poderes de Investigação é necessário para enfrentar uma ameaça terrorista “clara”. A conservadora, ainda pediu apoio da oposição trabalhista.

Reino Unido pretende aumentar o monitoramento na internet

Leia também:

A lei irá obrigar as empresas de internet a armazenar todas as atividades de seus usuários nas redes durante o período de 12 meses, caso a informação seja solicitada pelo governo britânico.

De acordo com May, nos últimos 12 meses as forças de segurança do Reino Unido acabaram frustrando seis complôs terroristas “significativos”, e que aumentou a frequência dos ataques virtuais.

"[O documento] tornará as garantias e as medidas de supervisão mais fortes", comentou May. "E dará aos homens e mulheres de nossas agências de segurança e de inteligência os poderes que precisam para proteger nosso país.”

David Cameron, primeiro-ministro do Reino Unido, defendeu a necessidade de colaborar com a polícia e os serviços de segurança para manter a sociedade protegida. Ele ainda ressaltou que este é um dos mais importantes projetos legislativos do governo.

O projeto de lei será debatido pelas duas câmaras parlamentares, a Comuns e Lordes, nos próximos meses. Em 2016 deverá acontecer a votação.

Andy Burnham, porta-voz trabalhista de Interior, sinalizou positivamente ao projeto, salientando a necessidade de dar poderes para as forças de segurança para proteger o país.

As forças de segurança, atualmente, tem liberdade para ouvir conversas telefônicas e interceptar e-mails, com prévia autorização das autoridades do Ministério do Interior e somente por razões de segurança nacional. 

Mais sobre: internet, seguranca, lei
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários