Entrevista com Felipe "Yang" Zhao

Confira a nossa entrevista com um dos principais nomes do competitivo brasileiro de League of Legends, Felipe "Yang" Zhao, o Top Lane da INTZ.

Por | @grasiel_grasel Games

Mais uma vez voltamos a entrevistar um dos melhores jogadores do cenário brasileiro de League of Legends, que por si só é o game que tem a maior comunidade competitiva a nível mundial, servindo de inspiração para outros jogos que tentam formar os seus próprios profissionais. Hoje conversaremos com o Felipe Fa Yeg Zhao, mais conhecido como Yang pelos jogadores de LOL, ele tem 19 anos e faz parte da INTZ, uma equipe de bastante destaque nas competições que participa.

Embora a equipe tenha sido criada em junho de 2014, seu desempenho nos últimos campeonatos tem sido bastante satisfatório, podemos destacar títulos importantes como a conquista do primeiro lugar no primeiro Split CBLOL 2015, assim como o segundo lugar no segundo CBLOL 2015 e também o bicampeonato da XMA/BRMA 2015, dos quais todos tiveram a participação de Yang.

No bate papo que tivemos com o jogador você ficará sabendo um pouco mais sobre ele e a INTZ, assim você poderá se sentir mais perto do “mascote” da INTZ, que não é pouco perseguido por suas fãs apaixonadas.

Entrevista com Felipe "Yang" Zhao

Equipe - Existe uma rotina de treinos a seguir para ter uma preparação para os campeonatos que a INTZ disputa?

Yang - Sim, normalmente os treinos são de segunda a sexta no período da tarde e da noite, as vezes incluindo sábado.

Equipe - É possível viver sendo um jogador de League of Legends?

Yang - Sim, você normalmente mora em uma gaming house, onde os custos como comida, energia, equipamentos, etc... são arcados pelo clube, então da pra tirar uma renda muito boa dependendo de como você trabalha a sua imagem.

Equipe - Qual é o seu campeão preferido no jogo? Por quê?

Yang - Meu campeão preferido é a Elise, porque foi o primeiro campeão que eu peguei e gosto de jogar.

Equipe - Qual é o título que você mais se orgulha de ter ganho pela equipe?

Yang - O título que eu mais me orgulho foi o 1 split do cblol 2015, foi o primeiro campeonato grande que eu ganhei.

Equipe - Qual é a equipe brasileira que, na sua opinião, apresenta mais perigo para INTZ? Por quê?

Yang - Hmm, acho que a atual equipe que mais oferece perigo é a paiN, atual campeã brasileira, porque eles estão num momento muito bom.

Equipe - Por ter se destacado nos últimos torneios disputados, a INTZ vem sendo uma sensação do cenário brasileiro de e-sports, como é ter que aguentar a pressão de jogar por uma equipe tão grande?

Yang - Essa pressão ia vir uma hora ou outra se você deseja ser o melhor, eu tento dar o melhor de mim e tento não pensar muito sobre isso.

Entrevista com Felipe "Yang" Zhao

Equipe - Infelizmente a INTZ não conseguiu levar o título de grande campeã da CBLOL deste ano, portanto, o que é preciso mudar na equipe para levar o próximo campeonato?

Yang - O mesmo de sempre, consertar os erros, continuar melhorando no jogo e ter a mentalidade de querer vencer.

Equipe - Qual é a sensação de chegar na final de uma competição como a International Wild Card Invitational, realizado na Turquia, representando o Brasil? E perder essa final, foi difícil suportar?

Yang - A sensação é indescritível, é sempre bom representar algo por seu país e saber que é você ali. Infelizmente não conseguimos trazer o título, foi bem difícil suportar isso, afinal, perder é sempre ruim independente de ser final ou não.

Equipe - O que é preciso para se tornar um jogador profissional de e-sports do game?

Yang - Dedicação, força de vontade e se esforçar muito, além de claro habilidades no jogo.

Equipe - Vendo alguns comentários na internet, percebemos que você é "bem quisto" pelas torcedoras da INTZ, você já sofreu algum tipo de assédio?

Yang - Risos - Nunca parei para pensar sobre isso, mas acho que nunca sofri nenhum assédio na vida real, as vezes alguns comentários na internet, mas nada demais.

Equipe - Muito obrigado ao Yang por ter aceitado nos ceder esta entrevista, ao Caique "Dolan" Henriques por ter mediado a nossa conversa e um agradecimento especial ao Eduardo Jacobi Tasso, por ter colaborado com a matéria.

Continue acompanhando o Oficina da Net que teremos mais conteúdos relacionados ao e-sports, assim você descobre um pouco mais como anda o cenário brasileiro dos jogos competitivos e também como é a vida dos nossos competidores.

Mais sobre: especiale-sports onentrevista LOL
Share Tweet
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo