Dois usuários do Ashley Madison do Canadá podem ter cometido suicídio

Conforme a polícia, vários episódios estão ligados ao caso, incluindo extorsão de clientes, disseminação de vírus de computador e até dois suicídios.

Por | @oficinadanet Redes sociais

Nesta segunda-feira (24), a polícia do Canadá informou que iniciou uma investigação sobre o vazamento de dados de usuários do site de traição Ashley Madison. Conforme a polícia, vários episódios estão ligados ao caso, incluindo extorsão de clientes, disseminação de vírus de computador e até dois suicídios.

O caso mais grave está relacionado ao suicídio de duas pessoas que teriam tido suas informações vazadas do Ashley Madison. Ainda não há confirmação por parte da polícia se os casos realmente são de suicídio, porém, as autoridades apostam nisso.

Além disso, a polícia também identificou vários casos de tentativas de extorsão. Conforme mensagem de e-mail, as pessoas que tiveram seus dados revelados pelos hackers deveriam transferir uma quantia em bitcoins caso não quisessem que seus amigos e familiares soubessem que eles tinham perfil no Ashley Madison.

Dois usuários do Ashley Madison do Canadá podem ter cometido suicídio

Leia também:

“Seus dados foram vazados quando o Ashley Madison foi hackeado recentemente, e eu tenho todas as suas informações. Eu também usei o seu perfil para encontrar sua conta no Facebook, e usando isso eu tenho agora uma linha direta para entrar em contato com todos os seus amigos e familiares. Se você quiser evitar que eu compartilhe essa sujeira com todos os seus amigos e familiares (e talvez até com empregadores?), você precisa enviar exatamente 1.05 bitcoin para o seguinte endereço”, diz o texto.

“Criminosos já começaram a colocar em ação esquemas online para prover informações desse banco de dados. E, ao clicar nesses links, você expõe seu computador a malwares, spywares, adwares e vírus”, disse o superintendente Bryce Evans.

O Ashley Madison é um serviço online pago usado por pessoas casadas que buscam um relacionamento extraconjugal. O principal atrativo do serviço seria o anonimato.

Em conferência de imprensa, na sede da Polícia de Toronto, o superintendente revelou que a Avid Life Media, proprietária do Ashley Madison, está "oferecendo uma recompensa de 500 mil dólares para  quem tiver informações que permitam identificar, deter e condenar a pessoa, ou pessoas, responsável pelo ataque ao servidor do Ashley Madison".

Mais sobre: redesocial facebook asheleymadison
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo