Funcionários listam as coisas ruins de trabalhar no Facebook

A companhia de Mark Zuckerberg também possui funcionários insatisfeitos.

Por | @RafaelaPozzebon Carreira em TI

O mundo tecnológico é bastante atrativo, e o que não falta são pessoas querendo uma oportunidade em grandes empresas do meio. No ano passado, por exemplo, o Facebook ficou em primeiro lugar nas opções de trabalho dos funcionários da Glassdoor. Porém, para quem imagina que o local é o que há de melhor, saiba que nem tudo é realmente como pensamos. A companhia de Mark Zuckerberg também possui funcionários insatisfeitos.

No Quora, engenheiros, desenvolvedores, estagiários e também ex-funcionários do Facebook destacaram as piores situações sobre trabalhar na empresa. Confira abaixo o que alguns dos funcionários do Facebook dizem sobre a empresa:

Sem folga

De acordo com o engenheiro Keith Adams, ele precisa ficar durante seis semanas do ano disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, em caso de surgir uma emergência. No período, Adams não pode deixar a cidade nem aos finais de semana, bem como não pode prolongar qualquer eventual saída. Além disso, é necessário transportar o celular para poder responder qualquer mensagem imediatamente, caso necessário. Nem enquanto dorme o engenheiro pode realmente descansar, ou seja, ele precisa manter sempre uma campainha ao seu lado.

Profissionalismo

Diferentemente do que acontece na maioria das empresas, manter o profissionalismo no Facebook é essencial, porém, sem tanta formalidade. A empresa incentiva que os seus funcionários sejam eles mesmos. Por esta razão, de acordo com um engenheiro que preferiu não se identificar, no Facebook não há o mesmo grau de profissionalismo que é encontrado nas demais companhias.

Falta de foco no trabalho em equipe

Conforme um ex-funcionário do Facebook, que manteve o anonimato, a rede social não costuma valorizar muito o trabalho em equipe, mas sim as vitórias pessoais. Conforme ele, os gerentes se transformam em colaboradores individuais por considerarem que o trabalho em equipe é apenas “mais uma coisa”. Os funcionários acreditam que os líderes são “focados em si mesmos” e que não dedicam o tempo suficiente para as equipes.

Falta de funcionalidade

Funcionários do Facebook relataram que a companhia não conta com “uma infraestrutura verdadeiramente funcional”. Sendo assim, fica muito mais difícil desenvolver coisas interessantes com equipes de 4 mil pessoas, do que se fosse com apenas 500 funcionários. “Estamos crescendo tão rápido e nunca enfatizaram a organização ou estabilidade”.

Funcionários precisam auxiliar amigos

Após começar a trabalhar no Facebook, muitos funcionários acabam sendo interpelados por familiares e amigos sobre dúvidas ou mesmo problemas enfrentados na rede social. Conforme a esposa de um ex-funcionário da rede social era normal que as pessoas solicitassem alguma ajuda ao marido.

“Como esposa, eu era frequentemente solicitada para ajudar sobre como usar as configurações de privacidade unicamente com base no fato de ser casada com alguém que trabalhava no Facebook”.

Agir como startup

Um ex-funcionário do Facebook relatou que mesmo sendo uma grande companhia, a rede social ainda se comporta como uma jovem startup. “Isto é como uma espécie de filme do Adam Sandler em que ele é velho, mas quer agir como um adolescente. Não é funcional”, afirma.

Falta de continuidade

Um estagiário da rede social revelou que no último dia do seu contrato, a equipe em que ele estava inserido resolveu não reescrever completamente um projeto em que havia se dedicado enquanto estava na companhia. “Se uma visão mais clara do futuro do produto tivesse sido comunicada a equipe, eu acho que eu poderia ter feito muitas melhorias nele e impactado a empresa de uma forma mais positiva”, disse.

Mudar o mundo

De acordo com um ex-funcionário, muitas das pessoas que integram o Facebook acreditam que irão mudar o país e a forma de vida das demais pessoas. “Você pode estar trabalhando para uma empresa legal, mas você ainda está trabalhando. Neste caso, você está trabalhando para realizar o sonho de outra pessoa”, afirma.

Sem apoio

Um ex-funcionário contou que era empreiteiro e precisou substituir um colega no setor administrativo. De acordo com ele, não foi passada muita orientação ou mesmo apoio nesta substituição. Além disso, precisou trabalhar com dois líderes que não eram bons. “Foi provavelmente a minha pior experiência profissional até hoje”, afirma.

Colegas esnobes

Muitos funcionários relataram o mesmo problema, ou seja, ter que conviver com colegas que não são nada agradáveis, alguns deles são, inclusive, grosseiros e esnobes.

Tarefas inapropriadas

Um funcionário relatou que ele foi designado a fazer tarefas que não eram de sua área. No caso, precisou separar as roupas sujas do diretor e da sua esposa, incluindo as cuecas sujas.

Instruções inadequadas

Um ex-funcionário revelou que após ser colocado em um plano de alto rigor de 10 dias, a equipe não forneceu um feedback. “Naquele momento, eu parei na hora”, disse ele.

Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg

Um funcionário do Facebook revelou que o CEO Mark Zuckerberg e a  COO Sheryl Sandberg passam muito tempo em atividades extracurriculares.

Superavaliação

O Facebook estava sendo avaliado em US$ 200 bilhões, porém, após oferta pública acabou deixando os seus funcionários com sentimento de impotência após verem o valor das ações despencarem subitamente. As revelações são de uma fonte anônima.

Sempre de olho no Google

Um usuário do Quora disse que não consegue encontrar nenhum fator surpreendente no Facebook. “Muitas vezes o Facebook parece estar mais preocupado com o Google ao invés de focar em seus pontos fortes e sua missão”.

Falta de privacidade

Conforme um funcionário, o local de trabalho não é tão bom quanto parece. A empresa conta com várias filas de mesas com pessoas trabalhando muito próximas, e assim, com nenhuma privacidade. “Isso é como você manter o gado no curral”, afirma. Além disso, ele alega que há muitas pessoas com grande talento e que não são aproveitadas, e pior, ganhando uma baixa remuneração.

Estagiários também podem decidir

De acordo com o engenheiro de software Philip Su, muitas decisões são tomadas por uma só pessoa, ou mesmo após uma conversa com um designer durante o almoço, por exemplo. Além disso, até os estagiários podem decidir algo. “Esse tipo de autonomia de decisão sugere uma completa falta de compreensão de como as empresas devem funcionar”, afirma.

Queixas de usuários não são resolvidas

Um ex-funcionário relatou que mesmo com várias queixas dos usuários sobre o Facebook móvel, nada estava sendo feito para melhorar. Conforme ele, o aplicativo é desajeitado e ainda consome muita bateria dos aparelhos.

Teste de código

De acordo com o ex-estagiário do Facebook Felipe Oliveira Carvalho, muitas vezes, para testar o código é preciso navegar sem fazer uma parada na rede social, o que pode ocasionar em uma grave distração.

Vida pessoal

Sunayana Sen, funcionária na Índia, disse que mesmo em férias, os funcionários da rede social nunca deixam o trabalho por completo. “Uma vez que existem grupos de Facebook para cada equipe / fluxo de trabalho / projeto, as notificações nunca acabam e você nunca consegue realmente deixar o trabalho. Mesmo quando você está de férias”, disse ela.

E-mails

Thomas Moore, ex-funcionário do Facebook disse que teve dias que já recebeu 1.600 ou mais recados por dia, incluindo mensagens internas e e-mails. Além disso, ele ressalta que não gosta da ideia de ser tratado como uma pseudocelebridade por trabalhar no Facebook. Ele diz que sente falta do dia em que as pessoas respondiam com “Facebook, o que é isso?”.

Mais sobre: facebook, google, trabalhar
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários