Apple vence mais uma batalha judicial nos Estados Unidos

Apple venceu mais uma batalha judicial no dia de ontem, onde em um tribunal norte-americano o juri deliberou a favor da empresa da maça, alegando que a atualização do iTunes lançado em 2006 foi ótima para seus usuários. Entenda o caso:

Por Carreira em TI Pular para comentários
Apple vence mais uma batalha judicial nos Estados Unidos

Foi preciso apenas três horas para resolver um problema que se arrastava há dez anos; calma, eu explico. A toda poderosa Apple foi absolvida do processo judicial ao qual era acusada de violar a lei da concorrência no mercado da música digital entre setembro de 2006 a março de 2009.

Consumidores e serviços de compartilhamento de música acusavam a empresa da maçã de manter os preços artificialmente de seus iPods e de se utilizarem de atualizações de software do iTunes para atingir a concorrência neste período; assim sendo, a Apple era acusada por violar leis e causar prejuízos a seus consumidores, tudo isso para se manter na liderança do mercado de música online.

Durante a acusação, foi declarado em julgamento que quando um usuário adquiria uma música através de um serviço concorrente para o seu iPod e tentava sincronizar o aparelho com a sua lista no iTunes, a Apple apresentava uma mensagem de erro que indicava ao mesmo, que ele deveria restaurar as definições de fábrica.

Ontem, terça-feira, 16 de dezembro, no tribunal distrital norte-americano de Oakland, na Califórnia, o júri desta instituição, deliberou que o iTunes 7.0 lançado durante o inverno de 2006, foi uma ótima atualização para seus usuários, significando que em prática, a empresa da maçã não havia assim violado a lei da concorrência, uma vez  que a mesma poderia vir a custar cerca de bilhões de dólares a empresa.

Em comunicado após saber do resultado da "sessão", a Apple informou que: "Nós criamos o iPod e o iTunes para oferecer a nossos clientes a melhor forma de ouvirem suas músicas favoritas; sempre que atualizamos esses produtos e os demais produtos da Apple ao longo dos anos, fizemos para os tornar ainda melhor, oferecendo a esses clientes uma nova experiência".

Logo depois de divulgado o resultado da ação, o advogado de acusação, Patrick Coughlin, informou que irá entrar com recurso da decisão, assim sendo, essa história ainda terá muitos capítulos pela frente. 

Fonte: Público.pt

Recomendação do editor:

Comentários:
Carregar comentários