Apple e Facebook oferecem opção de congelamento de óvulos para funcionárias

Congelar óvulos pode ser uma ótima opção para mulheres que pretendem investir na vida profissional primeiramente.

Por | @oficinadanet Tecnologia

Atualmente, cada vez mais as mulheres investem no mundo profissional e optam pela maternidade cada vez mais tarde. Porém, esse “mais tarde” pode custar caro, ou seja, quanto mais idade, a possibilidade de gerar um filho naturalmente para grande parte das mulheres se torna mais difícil.

Levando em consideração tal fato, empresas como Apple e Facebook irão oferecer para as suas funcionarias a opção de congelamento de óvulos. Assim, as companhias garantem mais tempo de permanência das profissionais e uma certa garantia na formação de uma família. As empresas citadas anunciaram programas internos de até 20 mil dólares por funcionária para cobrir os custos de congelamento de óvulos.

O programa do Facebook, segundo informações da NBC News, iniciará ainda neste ano. A Apple, por sua vez, pretende aplicar a novidade somente em 2015.

"Ter uma carreira e ter também crianças ainda é uma coisa difícil", disse Brigitte Adams, apoiadora do congelamento dos óvulos e criadora do Fórum Eggsurance.com.

 "Oferecendo este benefício, as companhias investem nas mulheres, apoiando a sua decisão de levarem uma vida que querem", afirma Adams.

A tecnologia para congelar óvulos foi desenvolvida em 1986. A intenção é ajudar as mulheres a engravidar mesmo após o término do seu período mais fértil, ou seja, que ocorre entre os 20 e 35 anos. Para o procedimento, as mulheres são sedadas e assim os óvulos férteis são extraídos. O material é mantido congelado em clínicas de fertilização por um período de até 10 anos. O procedimento costuma ser bastante caro, e não oferece total eficácia. Mesmo assim, Apple e Facebook estão decididas a colaborar com tais mulheres.

Porém, o programa das companhias não foi muito bem recebido por todas as pessoas, e vem gerando algumas críticas. O procedimento não é recomendado para mulheres jovens pelos principais conselhos de saúde dos Estados Unidos e, além disso, a contribuição das companhias de tecnologia faz com que a cultura corporativa de não dar suporte para jovens profissionais manterem uma vida familiar conjuntamente ao seu trabalho seja reforçada.

Apple e Facebook já contam com programas voltados para crianças, porém, há quem defenda que existem outras formas de integrar a vida familiar com a profissional, e não apenas dando a opção de formar uma família mais tarde.

Mais sobre: Apple Facebook ovulos
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo