Twitter em excesso prejudica casamento, diz pesquisa

Pesquisa revela que quanto mais um usuário acessa o Twitter, mais chances de brigar com companheiro (a).

Por Redes sociais Pular para comentários
Twitter em excesso prejudica casamento, diz pesquisa

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Missouri mostrou que pessoas que passam muito tempo no Twitter possuem mais chances de terem o casamento prejudicado do que aquelas que usam menos o microblog. O levantamento foi feito com 581 pessoas,  de diferentes idades, que possuem contas na rede social.

A pesquisa foi realizada pelo doutorando da Escola de Jornalismo da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, Russel Clayton. Dentre os questionamentos, Clayton perguntou aos participantes sobre a frequência em que faziam login no Twitter, quantos tuítes, mensagens diretas e respostas escreviam por dia e também quantas vezes olhavam o feed.

Clayton também questionou as pessoas sobre quantas vezes haviam discutido com os seus atuais parceiros ou anteriores pelo uso frequente do Twitter. Levando em consideração todas as respostas dos entrevistados, o pesquisador concluiu que quanto mais um usuário se mantivesse ativo na rede social, mais conflitos tinha com o seu parceiro em relação ao uso do Twitter. Assim, no futuro, as brigas atuais poderiam resultar em traição e separação.

Em decorrência do resultado, Clayton sugere que os casais de todas as idades acessem o Twitter de modo mais saudável, ou seja, limitando o uso diário e semanal. "Apesar de uma série de variáveis contribuírem para a infidelidade no relacionamento e separação, o uso do site de redes sociais, como Twitter e Facebook, podem ser prejudiciais para as relações", concluiu.

E você, concorda com o resultado do estudo? As redes sócias podem mesmo prejudicar os relacionamentos?

Mais sobre: twitter, brigas, casal
Compartilhe com seus amigos:
Rafaela Pozzebom
Rafaela Pozzebom Graduada em Letras pela UFSM e especialista em Tecnologias da Informação e da Comunicação aplicadas à educação
FACEBOOK //
Quer conversar com o(a) Rafaela, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias