Perfis não autorizados do Lulu devem ser retirados, diz Justiça

No Brasil o Lulu não poderá ter cadastro de homens que não autorizaram o seu perfil.

Por | @nmuller99 Redes sociais

Depois de algum tempo, quando noticiamos que apenas homens cadastrados poderiam ser avaliados, somente agora a justiça brasileira determinou que a empresa Luluvise, remova todas as informações de homens que não autorizaram a inclusão de seu cadastro no aplicativo. 

A decisão partiu da 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios em caráter de liminar e, embora a questão ainda tenha de ser julgada, o descumprimento geraria multa diária de R$ 500. A Justiça ainda determinou que as informações fossem removidas imediatamente.

Desde o final de dezembro, o programa tornou-se indisponível nas lojas locais App Store e Google Play. A remoção se deu logo depois que o app mudou sua política de uso, perdendo o principal apelo: a possibilidade de as mulheres avaliarem anonimamente todos os seus amigos do Facebook.

A juíza considera o aplicativo impróprio, dizendo que permite a publicação de “notas pejorativas dos usuários”. Até o momento, não há informações sobre o posicionamento do Facebook ou da desenvolvedora do Lulu sobre a determinação do TJ-DF.

Perfis não autorizados do Lulu devem ser retirados, diz Justiça

Mais sobre: lulu midias sociais brasil
Share Tweet
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo