O que é B.Y.O.D.

Vou resumir o tema “B.Y.O.D.” e o que ele significa realmente a você. Em geral, todas as pessoas de TI devem entender bem isto e seus impactos.

Por | @oficinadanet Negócios

Muitas são as tecnologias e termos que surgem quando pensamos em tecnologia. Difícil até mesmo acompanhar todas elas, principalmente quando não temos acesso a canais confiáveis de informação. 

B.Y.O.D. é a sigla para “Bring Your Own Device”, em tradução livre significa “Traga seu próprio dispositivo”, na prática a empresa permite que você utilize seus próprios dispositivos para acessar informações corporativas, exemplos mais clássicos são os smartphones e os notebooks, em outros casos podemos pensar no seu computador pessoal, que esta em sua casa e com o qual você pode acessar a rede da empresa.

A grande questão está na Segurança da Informação. Imagine a situação onde você permitiu a um vendedor usar seu notebook e ele baixou as planilhas com as regras comerciais e relatórios da empresa e,  este equipamento foi roubado/furtado, é evidente que este problema poderia ocorrer com o equipamento da empresa, agora como proceder para garantir que este equipamento não possibilite que as informações sejam acessadas se o seu departamento de TI não aplicou naquele equipamento os softwares para isto, e porque não fizeram? Não fizeram porque este equipamento não faz parte da política da empresa e não há licenças de software para estes. A questão deve ser entendida sempre pela ótica da pior situação quando falamos de segurança, mas não são apenas males, há coisas boas em se utilizar o BYOD, entre elas:

  • Permitir ao funcionário/colaborador utilizar as tecnologias que ele está mais habituado, afinal se ele ganhou ou tem aquele smartphone última geração talvez não queira trocar por um iPhone ou outro modelo mais limitado;
  • Reduzir custos com aquisição de equipamentos, afinal se ele for do usuário há uma economia real, algumas empresas oferecem ao funcionário um valor mensal para que ele custeie estes recursos ou até mesmo divida com ele transferindo a propriedade do equipamento ao fim de um determinado tempo;
  • Existe ainda a possibilidade do funcionário participar da escolha dos equipamentos a serem utilizados.

Para se ter ideia, daremos como exemplos de empresas que utilizam o BYOD: Intel e IBM. A segunda inclusive ressalta em sua política que se o usuário quiser acessar os dados com seus equipamentos a empresa pode ter acesso a estes para bloqueá-lo se necessário.

Podemos concluir que a área de TI terá uma carga de trabalho no que se refere a criação da política que será criada, quais aplicativos e recursos os usuários terão acesso, quais as implicações e obrigações dos usuários além de verificar quais equipamentos ou plataformas serão compatíveis com o programa.

O treinamento será algo imprescindível para o sucesso de um programa de BYOD. Ausente em muitas literaturas, mas de extrema importância é o controle de licenças de software para que estes equipamentos não acessem a rede corporativa fazendo uso de softwares não licenciados, para não dizer pirateados. Encare o BYOD como um projeto estratégico que envolva a gestão da empresa e a área de TI para seu sucesso. 

Mais sobre: oquee BYOD TI
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo