AMD RX Vega 56 roda a 30 FPS em 1080p no Crytek Real-Time Ray Tracing

Recentemente no site da Cryengine, foi noticiado uma demo de Ray Tracing real-time conhecida como Neon Noir. Essa demo foi lançada no mês de março e permitiu que o Ray Tracing fosse utilizado pela maioria das placas de vídeo AMD e NVDIA.

Por | @Vitor_Valeri Placas de vídeo Pular para comentários

Recentemente no site da Cryengine, foi noticiado uma demo de Ray Tracing real-time conhecida como Neon Noir. Essa demo foi lançada no mês de março e permitiu que o Ray Tracing fosse utilizado pela maioria das placas de vídeo AMD e NVDIA.

Segundo a Crytek, a demo pode ser rodada através de qualquer GPU mais recente da AMD e NVDIA (não precisa, por exemplo, ser da série RTX). Isso foi constatado após uma primeira demonstração em que a placa de vídeo Radeon RX Vega 56 da AMD foi utilizada para executar Ray tracing real-time. Conseguiram atingir 30 FPS estáveis na resolução de 1080p. A Crytek chegou a mencionar ainda que através da resolução de reflexões do Ray tracing, é possível chegar a um desempenho ainda maior, elevando os frames por segundo para acima de 40 em uma resolução de 1440p (Ray tracing real-time no half resolution mode).

Esse desempenho é realmente surpreendente, se considerarmos que a tecnologia Ray tracing real-time é um recurso gráfico muito pesado chegando a travar até mesmo placas de vídeo da série NVIDIA RTX.

Veja o vídeo de demonstração:

A Crytek ainda chegou a informar que as APIs das VGAs RTX podem melhorar o desempenho do Ray tracing real-time com uma eficiência muito maior, conseguindo até mesmo rodar com resolução 4K e Ray tracing.

A NVIDIA soltou atualizações que permitiram o suporte de Ray Tracing em suas placas de vídeo GeForce GTX no início do mês de abril. Isso serviu de exemplo para perceber os benefícios que as linhas mais recentes da NVIDIA, a RTX, podem trazer por possuírem uma arquitetura mais atual.

Um fato que trouxe um desempenho com maior eficiência de placas de vídeo não-RTX é a possibilidade de alternar de forma flexível e dinâmica entre o pesado mesh tracing para o low-cost voxel tracing, sem perda de qualidade no geral. Inclusive, quando possível, é utilizado também técnicas como environment probes ou SSAO. Essas tecnologias nos ajudaram a diminuir o esforço necessário para se utilizar o Ray tracing, tornando possível a sua utilização em GPUs mais simples e antigas.

Fonte: wccftech

Mais sobre: Crytek, Ray tracing, NVIDIA

Comentários
    Destaques