Twitter bane publicidade política na rede social a partir de novembro

A rede social pretende se resguardar nessa área política, ficando de fora das eleições estadunidenses de 2020 e evitando casos como da Cambridge Analytica e o Facebook.

Por Redes sociais Pular para comentários
Twitter bane publicidade política na rede social a partir de novembro

O Twitter se tornou a principal rede social pela qual políticos divulgam anúncios e suas opiniões. Donald Trump realmente popularizou o formato mundialmente entre governantes, porém, a rede social agora irá banir toda e qualquer propaganda política presente. Leia-se propaganda como de fato anúncios pagos, impulsionados, e não mensagens, opiniões, divulgação própria e etc.

A postura está em contrapartida ao Facebook, que não apenas permite esse tipo de propaganda como defende a liberdade de assim agir. Política e redes sociais estão mais do que nunca atrelados, lembrando do caso emblemático da Cambridge Analytica e o Facebook, onde a empresa utilizou dados de 87 milhões de usuários do Facebook com o intuito de garantir a vitória do Brexit no Reino Unido e a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais americanas.

Tornam-se então muito tênues e delicados os limites do envolvimento de redes sociais com o mundo político, especialmente pelo poder devastador que essas redes possuem de afetar resultados de eleições. O Twitter decidiu portanto se resguardar nesse sentido, com a filosofia de que políticos podem crescer na rede social, mas por mérito, afinidade, carisma e não por dinheiro investido em divulgação.

O banimento desse tipo de publicidade ocorre já em 22 de novembro, deixando a rede social de fora das campanhas presidenciais norte-americanas do ano que vem.

Compartilhe com seus amigos:
Bruno Ignacio de Lima
Bruno Ignacio de Lima Jornalista, gamer e geek. Louco por tecnologia. Redator de smartphones e novidades tecnológicas aqui no Oficina da Net
Quer conversar com o(a) Bruno, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias de Redes sociais