Twitter proibirá mensagens com discursos de ódio voltadas aos grupos religiosos

Novamente, o Twitter, com o objetivo de reduzir impactos nocivos aos seus usuários, altera sua política de controle de conteúdo dessa vez para conter mensagens que disseminam ódio sobre grupos religiosos.

Por | @bgssilva Redes sociais Pular para comentários

A nova tratativa chega para inibir mensagens de ódio direcionada a grupos religiosos, trazendo uma mudança significativa na forma como a plataforma modera as mensagens incitando ódio.

A nova política entra em vigor a partir de hoje e, com as regras atualizadas, a moderação  imediatamente passará à aplicar as novas regras. 

Muitos certamente enxergarão como censura o nova regra, mas independente da liberdade de expressão, qualquer tipo de mensagem que incite o ódio em qualquer segmento, deve ser observada de perto, muito perto.

No ano passado, o Twitter havia feito um apelo para que as pessoas participassem de sua política para controle desse tipo de mensagens, inicialmente propondo uma política contra mensagens de ódio em "grupos identificáveis" em geral.

A empresa recebeu mais de 8.000 respostas de pessoas de mais de 30 países, com grande parte do feedback sugerindo que esta "categoria" era muito ampla e que era necessário definir grupos menores.

Twitter controlará mais de perto mensagens de ódio direcionada à grupos religiososTwitter controlará mais de perto mensagens de ódio direcionada à grupos religiosos

Como resultado, o Twitter está testando a política com a proibição de mensagens com discursos de ódio voltadas aos grupos religiosos, em particular.

A nova política estabelece exemplos específicos de conteúdo direcionados a membros de grupos religiosos que devem ser removidos, se relatados. Os tweets com esse tipo de mensagem de ódio se referindo a religiosos como “ratos”, “vírus” e “animais imundos”, entre outras coisas são agora explicitamente proibidos pelas regras da plataforma.

"Criamos nossas regras para manter as pessoas seguras no Twitter e elas evoluem continuamente para refletir as realidades do mundo em que operamos", escreveu a equipe de segurança do Twitter em um post no blog. "Nosso foco principal é abordar os riscos de danos offline, e pesquisas mostram que a linguagem de ódio aumenta esse risco".

O Twitter tem lutado muito para detectar e policiar o assédio em grande escala, resultando em mudanças significativas e contínuas na política de moderação da plataforma.

No final do mês passado, a empresa anunciou que notificaria os usuários quando os tweets postados por figuras políticas proeminentes violassem as regras da plataforma.

Se um líder mundial twittar algo nocivo, a empresa agora colocará uma caixa cinza antes do tweet dizendo aos usuários que o conteúdo estava violando suas políticas. Os usuários precisarão clicar na caixa antes de poderem visualizar o conteúdo.

Mas e você, acha que isso é censura? Ou concorda que o Twitter assim como outras redes sociais devem monitorar de perto discursos de ódio na internet?

Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal