Oficina da Net Logo

Hackers estão roubando quantidade mínima de dinheiro de vários usuários do Facebook

Ciberataques são responsáveis pelo roubo de aproximadamente 20% de toda a receita gerada na internet.

Por | @fsbeling Hacker Pular para comentários

Um estudo do Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS) revelou que os ciberataques são responsáveis pelo roubo de aproximadamente 20% de toda a receita gerada na internet, ou seja, cerca de US$ 400 bilhões ao ano. Sem ninguém notar, os hackers estão conseguindo roubar quantidades mínimas de dinheiro de muitos usuários do Facebook. Isso porque os hackers encontraram uma nova forma de gerar uma grana extra através do grande aumento de compras realizadas pela internet que utilizam as redes sociais.

A pouco tempo atrás, os hackers costumavam infectar e roubar dados de vítimas, assim como seu dinheiro, através do envio de vírus disfarçados de outros arquivos. Agora, uma nova estratégia vem sendo utilizado pelos criminosos virtuais, os malwares são inclusos em apps pagos pelo smartphone, assim como em páginas falsas que promovem o phishing contam em Websites como em anúncios falsos no WhatsApp. O objetivo é o mesmo em ambas as ações, ganhos monetários. No entanto, agora o Facebook também está sendo utilizado com está finalidade.

O Golpe

Os cibercriminosos entram em ação desta forma: no momento em que o usuário paga para promover uma publicação ou uma fanpage no Facebook, os dados do seu cartão de crédito são armazenados a fim de facilitar suas compras futuras. Desta forma, quando os hackers invadem estes perfis, conseguem criar um anúncio utilizando os dados do cartão da vítima com o objetivo de promover sites maliciosos.

Valores baixos no cartão de crédito passam despercebidos por muitos usuários.Valores baixos no cartão de crédito passam despercebidos por muitos usuários. Leia em destaque: Hackers invadem site da Previdência Social e ameaçam divulgar dados de brasileiros contra reforma.

Leia também:

Com isso, eles acabam ganhando uma espécie de comissão por estarem realizando um trabalho de promoção para estes determinados sites. O problema não é identificado facilmente porque os anúncios são realizados utilizando valor mínimos que variam entre US$ 2 a US$ 6 cada, o que torna a identificação por parte do usuário mais difícil. Com a estratégia dando certo, os hackers voltam a invadir o perfil da mesma vítima por diversas vezes sem ser notado. Um relato de um ouvinte da rádio BBC revela que uma vítima chegou a perder aproximadamente US$ 16 mil com a fraude.

Proteção

Caso você já tenha efetuado algum pagamento para impulsionar uma publicação no Facebook, vale conferir se os seus dados do cartão de crédito não estão armazenados na plataforma, conferindo tanto no site da rede social como no app.

Outra opção é eliminar o acesso de seu perfil à sua conta do PayPal, assim como em qualquer outro serviço de pagamentos online, autorizando tal acesso somente quando fizer uma nova compra usando o serviço atrelado ao seu perfil.

Vale também renovar suas credenciais de acesso ao Facebook frequentemente, com senhas seguras, que não sejam usadas por você em outros serviços.

Além disso, outra dica extremamente importante é conferir o extrato de seu cartão de crédito com frequência para identificar qualquer transação suspeita. Entretanto, no caso, se você já patrocinou anúncios na rede social, mas não pretende mais fazer, pode solicitar a instituição financeira que administra o seu cartão de crédito que não aceite mais cobranças que venham do Facebook, sem a sua autorização.

MAIS SOBRE: #Facebook  #redesocial  #hackers
Comentários