Oficina da Net Logo

Google revela processador quântico Bristlecon, com 72 qubits

Várias empresas apontam a computação quântica como o futuro sendo que muitas companhias já estão desenvolvendo projetos na área.

Por | @oficinadanet Google Pular para comentários

O Google revelou novos detalhes do seu processador quântico. O chip Bristlecone possui capacidade de atingir 72 qubits, deste modo, pode ser considerada uma das máquinas mais potentes do mundo. O processador também está cotado para entregar uma baixa taxa de erro, o que é fundamental neste tipo de tecnologia.

O processador ainda está sendo desenvolvido e não há previsão de quando será lançado. A pesquisa foi mostrada durante um encontro da American Physical Society, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Google revela processador quântico Bristlecon, com 72 qubits.Google revela processador quântico Bristlecon, com 72 qubits.

Leia também: Leia em destaque: 7 serviços do Google que estão desativados e obsoletos.

Várias empresas apontam a computação quântica como o futuro sendo que muitas companhias já estão desenvolvendo projetos na área. Como exemplo de revolução, os modelos comerciais de Bristlecone estão na casa dos 20 qubits, como os que foram apresentados pela IBM e Intel no ano passado.

O Google salienta que não é apenas a taxa de processamento o fator determinante neste tipo de tecnologia. A computação quântica é muito suscetível a erros, o que pode comprometer o resultado final.

Computação quântica

A computação quântica se diferencia das demais por operar em unidades qubits, que é a versão quântica dos bits tradicionais. Deste modo, com a tecnologia o computador consegue processar valores (0 ou 1) de modo simultâneo o que aumenta consideravelmente a quantidade de cálculos que a máquina consegue fazer.

Os programas também precisam ser elaborados especificadamente para computação quântica. A Microsoft, inclusive, está desenvolvendo uma linguagem própria de programação.

MAIS SOBRE: #Google  #quantica  #computação  #microsoft
Comentários