Review Star Wars Jedi: Fallen Order

Um game que traz excelência em combate, gráficos e progressão, mas que peca bastante em narrativa. Fallen Order consegue se fazer valer a pena?

Star Wars Fallen Order - Imagem: Divulgação
Star Wars Fallen Order - Imagem: Divulgação

Mais um game muito esperado da franquia Star Wars, Fallen Order foi lançado em novembro de 2019 e carrega a expectativa de ser o primeiro jogo single-player do universo em mais de 10 anos. Por um lado, essa expectativa é plenamente atingida pela gameplay de ação muito satisfatória e realmente bem elaborada na qual você verdadeiramente se sente um Jedi e acompanha o progresso e aprendizado de um padawn até um Jedi completo, por outro a história não parece nem um pouco ambiciosa e promove uma experiência que decepciona um pouco quem já jogou muitos jogos Star Wars e esperava um jogo como os lançados na década passada. O game é da Respawn Entertainment e é disponível para PlayStation 4, Xbox One e Microsoft Windows.

Como fator comparativo, a série The Force Unleashed lançada lá trás para Playstation 2 e 3 acaba por ser muito mais envolvente na narrativa, enquanto Fallen Order é absolutamente mais complexo e desafiante nas batalhas. Porém, quanto maior é a expectativa também maior é a queda e Fallen Order não inova em história, não surpreende e apela para a aparição de personagens conhecidos para emocionar.

Bom, mas são inúmeros fatores que compõem um game e de maneira nenhuma Fallen Order é um game ruim, só não cumpre todas as altas expectativas de uma década de fãs da franquia e dos games de Star Wars. Muito provavelmente um Review feito por uma pessoa que não jogou a vasta maioria dos jogos do universo seria muito menos crítico, mas eu acredito que eu falo por muitos fãs ao sentir uma relativa decepção ao finalizar o novo game.

Além disso, Fallen Order se inspirou abertamente em elementos bem-sucedidos de outros 3 games. Ao jogar é realmente difícil não lembrar de Dark Souls no combate, Uncharted na exploração de terreno e Metroidvania na construção de cenário. Não são originais, mas são todos elementos que fizeram sucesso em seus game originais e que também acabam por ser pontos positivos em Fallen Order, ou seja, o jogo fica em uma zona de segurança, sem ousar demais ou inovar, mas entregando um conjunto divertido e que "não tem erro".

A Gameplay de um verdadeiro Jedi:

Realmente é o melhor que o jogo tem a oferecer. Ele se propõe a fazer o jogador se sentir na pele de um Jedi e entrega perfeitamente o prometido. É absolutamente evidente a inspiração em Dark Souls no sistema de combate. Movimentos mais duros, restritos e mais verossímeis do que em jogos anteriores de Star Wars, limitações de fôlego e a mecânica de aprendizado em lutas são bem similares à Dark Souls. Em toda luta com chefes como a Nona Irmã (com a qual você luta mais de uma vez) se faz necessária a análise de padrões de movimentos e então prever o que o inimigo vá fazer para que você consiga se defender ou encontrar uma brecha para atacar.

Esse sistema é bem desafiador e bem satisfatório quando o player efetivamente derrota o inimigo. Existe um sistema de balanceamento de dificuldade muito bom, nem difícil demais a ponto de ser um jogo irritante e nem fácil demais a ponto de ser monótono. As lutas trazem na medida certa a emoção, estratégia e recompensa.

Claro que há dificuldades diferentes dentro do game que podem ser ajustadas para cada player, inclusive gerando até mais de uma campanha para se superar cada vez mais, mas a dificuldade de maneira geral é muito bem sistematizada.

As batalhas também trazem elementos divertidos e muito bem adaptados dos filmes Star Wars. Acrobacias, usar a força e ao mesmo tempo artes marciais e seu sabre de luz contra um grande inimigo icônico, monstro alienígena ou hordas de droids e stormtroopers, em Fallen Order a imersão na batalha é magnífica.

A progressão e aprendizado:

A gameplay faz você se sentir um Jedi em conjunto com um sistema de progressão a altura. Você começa o game como um padawan que sofre em lutas contra oponentes pequenos e com acesso limitado à movimentos e ao uso da força. Existem um sistema de acúmulo de experiência que possibilita a aprendizagem de poderes, até aí não é nada original e nem um pouco extraordinário, porém ao longo da aventura você naturalmente aprende mais sobre a força, mais sobre seus inimigos e sobre si mesmo. Tanto no sentido literal de aprender novos poderes ao longo da história e seus poderes causarem mais dano, inimigos como stormtroopers passam a ser fáceis enquanto eram difíceis no início.

O interessante é que isso não acontece apenas pelo óbvio fortalecimento do personagem principal, mas também porque você, o player, aprendeu combos, aprendeu mecânicas de combate e também aprendeu padrões de habilidades e ações de inúmeros inimigos. Nesse sentido, o sistema de progressão é acompanhado por um sistema de conhecimento e experiência do próprio player que realmente complementa a gameplay de ação para o jogador se sentir cada vez mais um Jedi em crescimento.

Cenário e exploração:

Outro fator excelente em Fallen Order vem de uma mistura entre Metroidvania e Uncharted na construção do universo, rotas, segredos e mapas. Existem vários planetas muito bem desenhados, desenvolvidos e com muito a ser explorado. Mas uma coisa interessante é que a história não te obriga a seguir determinada rota, você pode escolher a sequência de mapas a seguir, explorar e também pode retornar a cada um deles. Inclusive, o sistema de progresso pelo qual você aprende novos poderes possibilita acesso à novas regiões em planetas já visitados. Então cada mapa possui uma quantidade razoável de conteúdo em todo momento dentro do jogo, conteúdo desde fácil até mais avançado. Isso lembra bastante Metroidvania, e é retornando a lugares já visitados, mas com novas habilidades, que você adquire colecionáveis, pedaços de sabre de luz, roupas novas e outros.

Quanto à exploração de mapas, existe um sistema bem parecido à Uncharted com pulos, cordas, escaladas e muitas outras interações de cenário. Mas não se trata de um mundo aberto exatamente, existem rotas e essas interações são feitas em pontos específicos até pontos específicos. Não se pode explorar plenamente o mapa inteiro que se tem em vista e não é tudo acessível ao player. Isso traz mais um elemento de desafio e recompensa para o jogo. O mapa por si só traz desafios geográficos que se o player decidir superar poderá alcançar recompensas ou seguir pela história principal.

A história clichê:

Por mais que Fallen Order traga muita coisa legal, a história é simples e óbvia e é o defeito do game. O player joga na pele de um padawan chamado Cal Kestis no período de tempo posterior ao qual a ordem 66 de exterminação de todos os Jedi é emitida. Cal é um sobrevivente que passa a viver escondido do recém ascendido Império. Ou seja, a uma história paralela no universo canônico de Star Wars. Cal vive em um planeta de catadores e acaba por ser descoberto pelo Império. Ele então conta com a ajuda de Cere Junda, que é uma ex-jedi, e do capitão Greez Dritus. Após ser resgatado, Cal deve cumprir uma missão deixada pelo mestre Jedi Eno Cordova, missão essa deixada gravada no clássico estilo Star Wars: Em um droide chamado BD-1. A missão implica em encontrar uma possível nova geração de Jedi, mas o arquivo de suas localizações é restrito e Cal primeiro precisa se provar confiável.

Cal parte para diversos planetas em busca de segredos de uma civilização que também podia usar a Força. Sua jornada implica também em lidar com problemas pessoais, traumas e seu passado, assim Cal também cresce como Jedi.

Sem mais spoilers, mas a história parece simplesmente preguiçosa. Existem personagens muito interessantes, inimigos muito bem desenhados e desenvolvidos, mas tudo é pensado para se adequar à ação, e não o contrário. Se trata de um game cuja história é um fator secundário, e se tratando de um jogo do universo de Star Wars isso é um tanto decepcionante. A conclusão é óbvia, clichê, mas conta com a aparição de um personagem muito conhecido para trazer emoção e surpresa, algo que a história por si só não traz.

Conclusão:

Fallen Order é uma bela obra muito bem contextualizada no universo de Star Wars, construída visualmente de maneira bem fiel aos filmes, com uma gameplay extremamente satisfatória, muito conteúdo para completar e explorar, mas sem uma narrativa envolvente. Star Wars Jedi: Fallen Order vale a pena jogar por todos os elementos que compõem sua gameplay, mas não por sua história. Como já dito, parece que a narrativa funciona para dar contexto à ação e cenário, e não o contrário. O jogo pode então ser decepcionante para fãs dos jogos de Star Wars passados, mas entrega o que promete: Uma experiência completa de um cavaleiro Jedi, tanto em ação quanto em crescimento. O jogo tampouco requere grandes conhecimentos sobre o universo de Star Wars e sobre as histórias dos filmes, tanto que é um jogo que alguém completamente leigo poderia jogar sem qualquer dificuldade de entendimento. É um jogo feito para o grande público e que agrada o grande público.

Acer Nitro 5: Não compre sem ver esse vídeo!

Comentários
Minha foto
Insira um comentário