Oficina da Net Logo

Facebook está usando inteligência artificial para mapear densidade populacional no mundo

Para conseguir automatizar todo o processo, os engenheiros do Facebook usam dados do projeto de mapeamento de código aberto Open Street Map.

Por | @oficinadanet Facebook Pular para comentários

O Facebook está presente em praticamente todo o mundo, agregando milhares de usuários. A companhia, agora, está tentando mapear a densidade populacional do planeta através do uso de IA.

A iniciativa foi revelada pela primeira vez em 2016, assim que criou mapas para 22 nações. Agora, no entanto, a companhia expandiu os mapas que cobrem a “maioria” da África. “O projeto acabará por mapear quase toda a população do mundo”, disse o Facebook.

Conforme o Facebook diz, criar mapas desse porte é um trabalho desafiador para os seres humanos. Mesmo que haja imagens de satélite de alta resolução que cobrem praticamente todo o planeta, transformar os dados em informação não é tarefa fácil. Para desenvolver mapas de densidade populacional é necessário rotular cada edifício nas imagens, e após fazer um referencia cruzada com o censo.

Facebook está usando inteligência artificial para mapear densidade populacional no mundo.Facebook está usando inteligência artificial para mapear densidade populacional no mundo.

Mas, para a Inteligência Artificial, a tarefa é mais simples. Para conseguir automatizar todo o processo, os engenheiros do Facebook usam dados do projeto de mapeamento de código aberto Open Street Map para conseguir treinar um sistema de visão computacional que é capaz de reconhecer edifício em imagens de satélites. Eles ainda usaram as informações para poder remover grande parte dos dados de satélite que também exibiam terrenos desocupados.

De acordo com o Facebook, os seus novos sistemas de máquina são mais velozes e precisos que aqueles que foram anunciados em 2016. Para conseguir mapear o continente africano, os programas desmembraram 11,5 bilhões de imagens de 64 X 64 pixels. O grupo verificou o trabalho com a ajuda de pesquisadores do Centro para a Rede Internacional de Informações sobre Ciências da Terra (CIESIN) da Universidade de Columbia.

“Avaliações rigorosas - tanto no terreno como através de imagens de satélite de alta resolução - pelas nossas equipas internas e através de parceiros terceiros confirmaram a precisão sem precedentes do nosso lançamento inicial”, disse o Facebook, “e fizemos melhorias significativas nos nossos resultados de última geração nos últimos dois anos. ”

A parir dos dados, os mapas construídos serão disponibilizados de modo gratuito para qualquer um usar nos próximos meses. Em 2016, quando o Facebook revelou os mapas, ele apresentou como não somente um esforço humanitário, mas um modo de “conectar os desconectados”. Isso quer dizer que é um meio de trazer mais usuários para a internet.

Fonte: The Verge

Assista ao nosso último vídeo: