Oficina da Net Logo

Governo francês cria mensageiro para evitar espionagem

O anúncio foi feito pelo ministério digital do país, em que o episódio da Cambridge Analytica foi mencionado.

Por | @oficinadanet Facebook

Como já sabemos, o Facebook está envolvido em um grande escândalo de vazamento de dados. Levando em consideração o fato, o governo francês, que não ficou nada satisfeito com as últimas notícias, resolveu desenvolver o seu próprio mensageiro. Vale mencionar que o país impediu que o WhatsApp compartilhasse dados com o Facebook.

A ideia disso tudo é diminuir o vazamento de informações dos usuários e blindar autoridades de serem grampeadas. O uso será obrigatório nessa fase inicial para 20 funcionários públicos, e no futuro, até o presidente Emmanuel Macron terá que trocar os seus aplicativos pela novidade.

Governo francês irá desenvolver aplicativo próprio de mensagens. A medida será implantada para acabar com os perigos envolvendo vazamento de dados, como ocorreu no Facebook, recentemente. Governo francês irá desenvolver aplicativo próprio de mensagens. A medida será implantada para acabar com os perigos envolvendo vazamento de dados, como ocorreu no Facebook, recentemente.

Leia também:

O anúncio foi feito pelo ministério digital do país, em que o episódio da Cambridge Analytica foi mencionado.

Através da medida os franceses conseguem reduzir os riscos tendo um mensageiro próprio no país e ainda totalmente criptografado. O Telegram, que é o preferido do presidente, é baseado em servidores russos.

Vale mencionar que no ano passado, uma nova polêmica surgiu no país em relação a banir o uso de smartphones em escolas. Assim, nem mesmo nos intervalos as crianças e adolescentes entre 11 e 15 anos poderiam usar os aparelhos. A alegação era de que elas poderiam ter o seu aprendizado prejudicado.

Através da implantação de um mensageiro próprio, a França apenas reforça a sua alta preocupação com o papel da tecnologia no cenário mundial, e ainda procura aprofundar a sua soberania nacional.

O que pensar sobre a tecnologia implantada na França ainda é cedo. Podemos imaginar sim como uma medida protetiva aos usuários, mas também como uma forma de controle governamental, de certa forma arbitrária.

O que você, leitor, pensa sobre o tema?

COMPARTILHE
Comentários