Oficina da Net Logo

Como a tecnologia está moldando o futuro da economia

A tecnologia está mudando tudo, inclusive a economia que rege o mundo, o comércio entre países e a nossa vida.

Por | @Evilmaax Economia Pular para comentários

O mundo está mudando mais rápido do que nunca e você sabe disso, certo? Com bilhões de pessoas hiperconectadas entre si em uma rede global de informação sem precedentes, é cada vez mais comum uma disseminação quase instantânea de novas ideias e inovações.

Combine essa conexão com a demografia em rápida mudança, a mudança de valores e atitudes, a crescente incerteza política e os avanços exponenciais da tecnologia, e está claro que a próxima década está se configurando como uma transformação histórica.

Mas onde todas essas tendências se cruzam e como podemos entender um mundo mergulhado em complexidade e nuances? Além disso, como podemos orientar nossa vida e comportamento para que aproveitemos ao máximo as oportunidades apresentadas por este cenário de mudanças iminentes?

Leia em destaque: Como a tecnologia está moldando o futuro da economia.

Confira agora 8 pontos que vão te fazer repensar muita coisa e, se gostar, confira no final deste post como aprofundar a leitura.

1 - A Invasão da Tecnologia

Durante a maior parte da história dos negócios, as principais empresas do mundo foram focadas no setor industrial.

Pioneiros como Henry Ford e Thomas Edison inovaram no mundo da realidade usando matérias-primas compostas de átomos - tudo o que fizeram foi criar novas maneiras de reorganizar esses átomos para criar coisas como a linha de montagem e a lâmpada incandescente. Então, as empresas investiram enormes quantias de capital para construir fábricas físicas, pagar milhares de trabalhadores e multiplicar essas coisas.

A maioria das grandes empresas blue chip (empresas confiáveis para se investir) foi construída dessa forma: IBM, U.S. Steel, General Electric, Walmart e Ford são apenas alguns exemplos.

Mas a realidade empresarial de hoje é muito diferente. Vivemos em um mundo de bytes - e, pela primeira vez, a tecnologia e o comércio colidiram de uma forma que torna os dados muito mais valiosos do que os objetos físicos e tangíveis.

O melhor lugar para ver isso é como o mercado valoriza as empresas.

Em 5 anos as empresas mais valiosas do mundo passaram a ser aquelas que trabalham com dados e ativos não tangíveisEm 5 anos as empresas mais valiosas do mundo passaram a ser aquelas que trabalham com dados e ativos não tangíveis

Como ver ser visto na imagem acima, empresas como Apple, Amazon e Microsoft já superaram tradicionais empresas blue chip que constroem e vendem coisas físicas.

A invasão tecnológica está alavancando conectividade, efeitos de rede, inteligência artificial e escala sem precedentes para criar plataformas globais que são quase impossíveis de competir. A invasão tecnológica já tomou conta do varejo e da publicidade - e agora as forças invasoras estão de olho na saúde, finanças, manufatura e educação.

Será que um dia os átomos de verdade serão mais valiosos do que bytes novamente?

Fatos interessantes: 

  • 60 centavos de cada dólar investido em publicidade online vai para o Google e Facebook;
  • Estima-se que até 2030 a Inteligência Artificial irá gerar um impacto econômico de 15.7 trilhões de dólares;
  • A Amazon vale hoje mais do que todas as lojas físicas dos Estados Unidos juntas.

2 -  A Evolução do Dinheiro

O dinheiro é indiscutivelmente uma das invenções mais importantes da humanidade. De peles de castores a barras de ouro, a forma e função do dinheiro tem mudado constantemente ao longo da história, mas sem perder a sua utilidade e objtivo primordial.

No mundo moderno, a definição de dinheiro está mais confusa do que nunca. Os bancos centrais optaram por criar trilhões de dólares em moeda a partir do nada desde a crise financeira - enquanto que, por outro lado, qualquer um pode usar a tecnologia blockchain para criar sua própria criptomoeda e concorrer com eles com apenas alguns cliques.

Independentemente do que é dinheiro e do que não é, as pessoas estão pegando dinheiro emprestado em valores recordes. O mundo acumulou US$ 247 trilhões em dívidas, incluindo US$ 63 trilhões emprestados pelos governos centrais:

Estados Unidos lideram o ranking de maiores débitos governamentaisEstados Unidos lideram o ranking de maiores débitos governamentais

Nas circunstâncias monetárias incomuns de hoje em dia, os enormes débitos são apenas uma anomalia.Aqui estão outros exemplos que ilustram a evolução do dinheiro: a Venezuela hiperinflacionou quase todo o valor de sua moeda, a “Guerra ao Dinheiro” está em alta em todo o mundo, os bancos centrais estão emprestando dinheiro a taxas de juros negativas (Suécia, Japão, Suíça, etc.), e criptomoedas como Bitcoin valem coletivamente mais de US$ 200 bilhões.

Como vemos o dinheiro - e como essa percepção evolui com o tempo - é um fator subjacente que influencia nosso futuro.

Fatos interessantes:

  • No final de 2017 havia mais de 680 novas criptomoedas que valiam mais de 1 milhão;
  • A hiperinflação na Venezuela já passou de 1.000.000% por ano;
  • O débito total do mundo é de 247 trilhões de dólares (inclui dívidas governamentais, empresariais e particulares).

3 - O Panorama da Riqueza

A riqueza não está estagnada - e, portanto, para aqueles que procuram aproveitar ao máximo as oportunidades globais (e talvez se tornar o próximo milionário), é imperativo ter uma ideia de como o panorama da riqueza está mudando.

A visão moderna é extremamente saudável ou preocupante, dependendo de como você olha: Amazon e Apple valem mais de US$ 1 trilhão juntas; Jeff Bezos tem uma fortuna de US$ 100 bilhões e o atual mercado operando em alta (chamado de Bull Market, no original) é o mais longo da história moderna em 10 anos.

Esse crescimento continuará nos próximos anos; e de onde virá? Aqui está uma visão baseada em projeções do Banco Mundial:

Como a tecnologia está moldando o futuro da economiaChina continuará puxando a economia mundial

Apesar destas estimativas otimistas, há uma série de itens que os ultra-ricos estão preocupados - tudo desde o retorno esperado da inflação a um mundo onde os cisnes negros geopolíticos (como são chamados episódios inesperados que podem afetar o mercado) parecem estar se tornando mais comuns.

São estes possíveis eventos que aqueles que estão preocupados com a sua riqueza temem:

Os Cisnes Negros (Black Swans) são episódios inesperados que podem mudar o mercado financeiroOs Cisnes Negros (Black Swans) são episódios inesperados que podem mudar o mercado financeiro

Mas o cenário de riqueza não é apenas sobre bilionários e grandes empresas; ele também está mudando de outras formas interessantes. Por exemplo, a própria definição de riqueza está assumindo um novo significado, com nova geração liderando uma empreitada em direção ao investimento sustentável, em vez de simplesmente o retorno monetário.

Como será o conceito e panorama da riqueza daqui a uma década?

Fatos interessantes:

  • Dos 50 maiores bilionários do mundo, 12 deles têm suas fortunas com base na tecnologia. Estes bilionários tecnológicos são, em média, 18 anos mais novos dos que os demais;
  • Apenas 15 companhias detêm a maioria dos títulos mobiliários do mundo: Cerca de 29.8 trilhões de dólares em ações e títulos;
  • 86% dos investidores considerados millennials estão interessados em investir em sustentabildiade e colocam 2 vezes mais dinheiros nestas causas.

4 - Promessas do Oriente

A ascensão econômica da China tem sido uma história mais do que real por décadas. Mas até recentemente, muitos dos seus números ainda eram promessas. Agora, nos próximos anos, poderemos, finalmente, ver do que a superpotência é capaz de fazer, quando estas promessas começarem a se concretizar.

Pensar na China e entender o peso da sua população e da sua economia ainda pode ser bastante difícil, portanto o mapa a seguir pode ajudar, já que combina os dois elementos principais para entender esse milagre chinês. Ele mostra que a China tem diversas cidades que, sozinhas, possuem maior poder econômico do que países inteiros.

Cidades chinesas possuem economia tão forte quanto paísesACidades chinesas possuem economia tão forte quanto paísesA China tem mais de 100 cidades com mais de 1.000.000 de habitantes cada. Muitas dessas cidades, que em sua maioria passam despercebidas no cenário global, têm economias impressionantes - sejam elas baseadas em fábricas, na produção de recursos naturais ou na economia da informação.

Como um exemplo impressionante, o Delta do Rio Yangtzé - uma única região que contém Xangai, Suzhou, Hangzhou, Wuxi, Nantong, Ningbo, Nanjing e Changzhou - tem um PIB de US$ 2,6 trilhões, mais do que o Brasil.

Fatos interessantes:

  • Desde 1990 mais de 800 milhões de chineses emergiram da pobreza extrema;
  • Em 2029 haverá mais pessoas na China vivendo na classe média do que a população total do Estados Unidos;
  • A China será responsável por 35.2% do crescimento econômico mundial no triênio 2017 ~ 2019.

5 - Acelerando o progresso tecnológico

Como já vimos, existem muitas faces dessa mudança que afetarão nosso futuro.

Mas aqui está o gatilho: quando se trata de progresso tecnológico, a taxa de mudança está realmente ficando cada vez mais rápida. A cada ano temos mais avanços tecnológicos do que tivemos no último, e uma vez que o crescimento exponencial entra em ação, as inovações podem acontecer a um ritmo incompreensível.

Estamos sendo "revolucionados" pela tecnologia cada vez mais rápidoEstamos sendo "revolucionados" pela tecnologia cada vez mais rápido

Isso pode ser descrito como uma função da Lei de Moore, e a lei dos retornos acelerados também é algo que futuristas como Ray Kurzweil têm falado por décadas.

Curiosamente, há outro desdobramento de mudança acelerada que se aplica mais aos negócios e ao mundo econômico. Não só a velocidade das mudanças está ficando mais rápida, mas por várias razões, os mercados são capazes de adotar novas tecnologias mais rapidamente:

Estamos adotando tecnologias igualmente mais rápidoEstamos adotando tecnologias igualmente mais rápido

Novos produtos podem alcançar milhões de usuários em apenas alguns meses, e o jogo Pokémon Go serve como um bom exemplo desse potencial: O jogo acumulou 50 milhões de usuários em apenas 19 dias, o que é um piscar de olhos em comparação com os automóveis (62 anos), o telefone (50 anos) ou os cartões de crédito (28 anos).

À medida que novas tecnologias são criadas em um ritmo cada vez mais rápido - e como são adotadas em velocidades recordes pelos mercados - é justo dizer que o futuro pode estar chegando a uma velocidade vertiginosa.

Fatos interessantes:

  • Coisas que consideramos malucas podem acontecer mais cedo do que imaginamos: Erradicação de doenças; nanorobôs; interfaces homem-máquina; etc;
  • O conhecido "futurólogo" Ray Kurzweil diz que a singularidade (quando as máquinas não vão mais precisar dos humanos) ocorrerá em 2045;
  • A partir deste ponto as coisas acontecerão tão rapidamente na tecnologia que é impossível prever o que vai acontece. 

6 - A Revolução Verde

Não é nenhum segredo que nossa civilização está no meio de uma mudança gigantesca para fontes de energia mais sustentáveis.

Mas, para apreciar plenamente o significado dessa mudança, você precisa olhar para o modo como a energia se produziu ao longo do tempo. O gráfico abaixo mostra o consumo energético dos EUA de 1776 até hoje, mostrando que nenhum tipo de energia utilizado para impulsionar o desenvolvimento foi permanente ou estático ao longo da história.

Energia renovável no topo deste gráfico correspondendo a cerca de 5% do consumoEnergia renovável no topo deste gráfico correspondendo a cerca de 5% do consumo

E com a velocidade com que a tecnologia agora se move, esperamos que nossa infraestrutura de energia e sistemas de distribuição evoluam em um ritmo tão alucinante quanto o que experimentamos até aqui.

Fatos interessantes:

  •  Até 2040 um total de 10.2 trilhões de dólares vai ser investido mundialmente no aumento da capacidade de novas formas de energia;
  • Energia eólica e solar responderão por metade da geração mundial de energia daqui 20 anos;
  • O banco de investimentos Morgan Stanley prevê que 1 bilhão de carros elétricos estejam rodando até 2047.

7 - Mudando a Geografia Humana

A demografia global está sempre mudando, mas a mudança drástica pela qual passaremos nas próximas décadas irá remodelar completamente a economia global.

Nos países ocidentais e na China, as populações se estabilizarão devido às taxas de fertilidade e composições demográficas. Enquanto isso, no continente africano e no restante da Ásia, as populações em expansão combinadas com a rápida urbanização se traduzirão no crescimento das megacidades, com mais de 50 milhões de habitantes.

No final do século 21, esta animação mostra que só a África poderia conter pelo menos 13 megacidades maiores que Nova York:

Evolução das megacidades até o final do séculoEvolução das megacidades até o final do século

A essa altura, projeta-se que nenhuma das 20 cidades mais populosas do mundo se encontrarão na América do Norte, Europa, América do Sul ou China. Que outras mudanças decisivas para a geografia humana ocorrerão durante esse trecho?

Fatos interessantes:

  • Em 2050 a população global será de, aproximadamente, 10 bilhões de pessoas;
  • Neste mesmo ano, 70% das pessoas estarão vivendo em áreas urbanas (hoje a taxa é de cerca de 55%);
  • Estima-se que, em 2100, a maior megacidade do mundo seja Lagos, na Nigéria, que, sozinha, terá mais de 88 milhões de habitantes.

8 - O Paradoxo das Trocas

Por definição, um comércio consensual e racional entre duas partes é aquele que traz benefícios para ambas as partes.

Com base nesse princípio microeconômico, e também no consenso dos economistas de que o livre comércio é benéfico em uma análise ampla, os países ao redor do mundo vêm trabalhando consistentemente para remover as barreiras comerciais desde a Segunda Guerra Mundial; e com grande sucesso.

Mas nada é para sempre, e essas antigas verdades estão sendo questionadas e desafiadas em contextos sociais e políticos. Nós agora parecemos estar presos em um paradoxo comercial em que os políticos falam e falam sobre o livre comércio, mas muitas vezes tomam medidas que vão na contramão de seus discursos.

Para ter uma ideia de quão importante o comércio pode ser entre dois países, abaixo desenha-se o relacionamento entre os EUA e o Canadá, caso onde cada país configura-se como o melhor cliente do outro:

Estados Unidos compra mais de 3 quartos de tudo que o Canadá exportaEstados Unidos compra mais de 3 quartos de tudo que o Canadá exporta

Com o recente acordo entre os três países da América do Norte, Eua e Canadá parecem ter resolvido suas diferenças por enquanto - mas o paradoxo do comércio continuará sendo um tema contínuo na economia; enquanto que investir em nível global será cada vez mais complicado, especialmente agora que a guerra comercial entre Estados Unidos e China se acirra cada vez mais.

Fatos interessantes:

  • Barreiras comerciais estão diminuindo desde o início dos do século XIX no mundo;
  • Períodos de tempo em que as barreiras comerciais aumentaram: 1ª Guerra Mundial, Grande Depressão, 2ª Guerra Mundial;
  • Será que a atual guerra entre americanos e chineses é uma barreira temporária ou o início de um período de atrasos?

Interpretando grandes quantidades de dados

Interpretar quantidades absurdas de dados sobre como o mundo está mudando pode ser desgastante até para os analistas mais brilhantes.

Por esse motivo, toda a nossa equipe do Visual Capitalist focou seu poder de narrativa visual para tornar o emaranhado de informações numéricas e socioeconômicas sobre o mundo mais acessíveis para nós. O pessoal se esforçou para transformar dados complexos em gráficos intuitivos, que permitem que nós vejamos as tendências a partir de uma nova perspectiva.

Afinal, se a ciência diz que 65% das pessoas aprendem muito mais com imagens, por que não colocar estes dados em um "idioma" mais fácil para todos?

O resultado que você conferiu acima faz parte do último livro: Visualizing Change: A Data-Driven Snapshot of Our World (Visualizando Mudanças: Um Vislumbre do Nosso Mundo Através de Dados - em tradução livre). O livro centra-se em oito grandes temas que vão desde a geografia humana em mudança até a evolução sem fim do dinheiro.

Para saber mais clique aqui e leia o post original em inglês.

MAIS SOBRE: #economia  #tecnologia
Comentários
Carregar comentários
  • PARTICIPE DA NEWSLETTER

    As novidades de tech no seu
    e-mail, inscreva-se grátis ;)