Morre um dos maiores cientistas do Brasil e pai do primeiro acelerador de particulas do hemisfério

Antonio Ricardo Droher Rodrigues tinha câncer de pulmão, mas deixou um grande legado científico no Brasil com dois projetos de aceleradores de partículas, os UVX e Sirius.

Por Ciência Pular para comentários
Antonio observando amostras metálicas  no LNLS em 2014 - Foto: Julio Fujikawa/LNLS/CNPEM
Antonio observando amostras metálicas no LNLS em 2014 - Foto: Julio Fujikawa/LNLS/CNPEM

Morreu na sexta-feira, 3 de janeiro, Antonio Ricardo Droher Rodrigues, considerado pai do Sirius, o primeiro acelerador de partículas do hemisfério Sul. Ele tinha 68 anos e lutava contra o câncer. Ele encabeçou dois projetos, o UVX (acelerador de dois síncrotons) e posteriormente seu sucessor Sirius.

Os projetos aconteciam em Campinas, no do Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), do Centro de Pesquisa em energia e Materiais (CNPEM). Ele era engenheiro de formação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e ainda possuía douturado em física pelo King´s College de Londres.

Infelizmente, Antonio possuía câncer de pulmão, e por sua condição de saúde não pôde presenciar a primeira volta de elétrons de Sirius em novembro de 2019, e também não presenciou quando conseguiram armazenar elétrons no interior do acelerador em dezembro.

A equipe científica, posteriormente, conseguiu fazer com que a luz síncroton chegasse em uma das estações experimentais do Sirius. "Fizemos por ele. E ele ficou muito feliz", comentou o diretor-geral do CNPEM, José Roque da Silva

Antonio Ricardo Droher Rodrigues é lembrado pela comunidade científica brasileira como um dos maiores profissionais nacionais. Rogério Cezar Cerqueira, o diretor do conselho do CNPEM, lembra da importância de Antonio para a ciência: "Ricardo foi um engenheiro genial, responsável pela parte principal no projeto do primeiro Síncrotron UVX. Foi também quem projetou o Sirius e dirigiu as operações que levaram ao seu sucesso como grande obra instrumental para a ciência, inteiramente projetado e, em grande parte [80%], construído no Brasil".

Recomendamos ler:

Acompanhe as últimas notícias de tecnologia aqui no Oficina da Net. Sempre trazendo conteúdos novos e produtos interessantes.

Comentários:
Carregar comentários