Campanhas on-line baseadas em perfis off-line e vice-e-versa

A ligação entre off-line e on-line pode nos fornecer dados valiosos para campanhas de mídias sociais. Nortear nosso trabalho baseando em perfil de usuários faz com que as chances sejam bem maiores, para tratar disso escrevi este artigo baseando-me na ligação humana entre off-line e on-line.

Por | @luizcastrojr Redes sociais

Trabalhar com mídias sociais é um campo totalmente aberto, abrangente e novo que precisa ser trabalhado com muita seriedade e competência, estamos falando do meio mais eficaz e o mais comprometedor de mídia para se fazer marketing. Eficaz ao ponto de projetar sua marca a milhões de pessoas ao mesmo tempo e com a capacidade de medir, analisar e descobrir cada vez mais o comportamento do consumidor. Comprometedor a ponto de que uma única palavra errada pode comprometer sua marca para sempre na Web, temos que lembrar que na internet as coisas tendem a ser permanentes, ou seja, as informações vão ficar lá para quem quiser buscar por elas. Cuidado, o uso das ferramentas sociais que a Web possuí hoje tendem a ser comprometedoras por questões lógicas.

O ser humano se afasta a cada dia mais do contato pessoal para mergulhar no mundo virtual, colegas de trabalho que sentam na mesma mesa conversam via comunicadores virtuais ao invés de se comunicar verbalmente, verdade, isso acontece comigo também... As pessoas estão cada vez mais entretidas no virtual considerando então o real como sua segunda opção de contato, telefones celulares, internet, redes sociais e a facilidade de compra de aparelhos de tecnologia que permitem conexões com outras pessoas fazem com que essa realidade torne-se cada vez mais agressiva contra a convivência física, mas apesar dessa dura realidade posso afirmar que é apenas um hábito paralelo no dia-a-dia. Se faz bem ou não isso é assunto para outra postagem, porém mostra de forma ampla que estamos caminhando para uma verdadeira mudança na forma de comunicação humana, cedo ou tarde estaremos familiarizados com pessoas no outro lado do mundo e não com o nosso vizinho da esquerda, da direita ou da frente só que isso não deixará de existir, estamos nos treinando para termos mais capacidade de nos expressar virtualmente do que no mundo real, chegamos ao ponto de digitar mais do que escrevemos. É por isso que cada vez mais o profissional de Mídias Sociais está ganhando espaço no mercado, as empresas são obrigadas a migrar para onde estão os consumidores, tocá-los quando estão mais receptíveis e envolve-los com algo abrangente, esses consumidores pesquisam sobre tudo que querem na grande Rede é por isso que o mundo corporativo está vendo a Internet como uma nova mina de ouro... Não é fácil, não se tem garantias de que tudo possa funcionar mais de uma forma ou outra tudo pode dar certo em uma pequena campanha como errado em uma grande, o que vai dizer se esse fato terá seu termino bem sucedido ou não vai ser a capacidade do profissional em falar a linguagem daquele determinado público, tão importante quanto os 'anos' de experiência do profissional é saber se ele tem ou não a compreensão de um todo sobre o produto que se quer anunciar, da promoção que se quer fazer. Não é possível soar verdadeiro um jornalista esportivo que não gosta de esportes, com esse exemplo posso relacionar o jornalista como o novo profissional de mídias sociais, ambos tem que além de gostar da profissão ter feeling para o produto em questão.

A parte mais complexa dessa atividade é justamente ganhar a atenção desejada dos consumidores, como eu costumo falar - 'trazê-los para perto', fazer isso é a tarefa complicada e que não se pode dizer como fazer porque cada situação é diferente, então se você pretende entrar nessa área estude muito, seja criativo, seja profissional ao ponto de recusar o trabalho que você não tem idéias louváveis para realizá-lo, seja coerente e acima de tudo, sempre verdadeiro. A verdade é uma coisa que cada vez mais está sendo sentida na Web, o seu público alvo se importa mais com a verdade do que receber itens, por isso nem tudo em mídias sociais se resume em sorteios em Twitter e curtir páginas de facebook, estou vendo isso ser feito até mesmo por 'cyber-cidadão' comuns, que não são empresas, blogueiros e muito menos tem características financeiras na web, fazem sorteios até de caros e desejados itens pelo simples prazer de dizer "cheguei a 10.000 followers". Cuidado, se você estava imaginando que tudo era sorteio revise o material que estas lendo, repense por qual caminhos estás buscando trilhar e só depois realize alguma ação de marketing digital.

Tratando-se de mídias sociais posso te dar uma boa notícia. Para quem vem do marketing tradicional sabe por experiência que no tradicional o mais difícil não era ser criativo e sim saber como mensurar os resultados de forma assertiva, tinha-se sempre a média, mais nunca com exatidão e precisão que podemos ter através das ferramentas de monitoramento e medição de mídias sociais na web.

Gerar um relatório chega a ser até mesmo simples, bastando as vezes poucos minutos para se ter um quadro comparativo e de fácil análise sobre sua campanha em mídias sociais. Vou abordar neste artigo algo que pelo menos não encontro com facilidade na web, o assunto - Perfil, para isso temos ferramentas que nos permitem criar e imaginar esse perfil seguindo comportamentos do usuário. Se você pensou que estamos falando das ferramentas que a Google fornece parabéns você acertou. Temos que dar os créditos a Google que fez com que a Web em praticamente todos os campos tenha que estar envolvida com ela, não é gestão totalitária por parte da Google mas sim Gestão eficiente e muita competência.

Vamos então ao que interessa...

Quando falamos em monitorar dados de analises para web temos o termo Web analytics, dentro disso existem inúmeras ferramentas de monitoramento desses dados, tantas e com imensa variedade de recursos porém a ferramenta preferida, pelo menos por todos que conheço é o famoso Google Analytics. Mas, independente da ferramenta escolhida o bom proveito dela só se dá no momento que se aprende a interpretar os dados que nelas são gerados, por isso mais importante que a ferramenta é a capacidade de análise de quem à usa.

Entre as informações fornecidas por esse tipo de ferramenta estão o tempo gasto para observação do seu site por parte do seu público, de onde vem, por que páginas percorrem, qual é a intenção ou o desejo ao entrar em sua página, ou seja, pelo que procuram, será que encontram... Essas ferramentas lhe permite fazer a análise do perfil de usuário, para quem é fã da série Criminal Minds isso é bem interessante, faço essa comparação pelo fato de que aqui não sabemos quem são, mais sim identificamos e tentamos forjar um perfil capaz de nos dar uma direção correta de como chegar a esse cliente através do perfil do mesmo. Talvez trazer essa série dentro desse artigo o faz parecer menos relevante, pois bem, o que importa aqui é a capacidade de se fazer entender, ou seja, a didática desse artigo e como pretendo difundir tanto a carreira do profissional em Social Mídia como também as práticas por nós usadas, mas para quem gosta de séries '#ficadika'.

Existem profissionais que não vêem ligação entre as campanhas de on-line e as off-line, porém eu vejo e gostaria de compartilhar isso com vocês. Digamos que tenho em mãos um contrato de uma empresa cujo o objetivo é firmar sua marca na Web, ok, completamente normal... Portanto essa marca está consolidada no meio off-line, e por isso já existe a possibilidade de haver informações preciosas sobre a marca, produto ou serviço prestado por essa empresa no ambiente on-line, afinal é justamente isso que movimenta ações on-line, a possibilidade de se posicionar diante o consumidor como uma empresa capacitada, transparente e que acima de tudo está onde seus clientes estão. Mas, afinal de contas o que a analise on-line tem para oferecer ao campo off-line e vice-e-versa?

O fato de se trabalhar com clientes virtuais não é de forma alguma coerente dizer que estamos certos em 100%, porém quando tratamos de buscar detalhes de comportamento, ou seja, desejos de compra, informações e necessidades então temos em mãos dados valiosos e que podemos dizer que são conclusivos em essência, pois com eles podemos criar campanhas mais influentes no ambiente on-line como no off-line, não somos ainda seres completamente tecnológicos, temos nosso lado 'analógico' sempre ativo o que faz do virtual apenas um reflexo dos nossos desejos no mundo real, por isso grande parte das compras off-line se dá depois de uma boa pesquisa on-line, quando fazemos uma pesquisa para comprar algo estamos deixando nosso desejo visível para quem tem faro perceber. Estamos tratando então de um perfil de consumidor, que tanto deseja comprar como também se preocupa com o que vai comprar a ponto de pesquisar no ambiente on-line. Estamos longe de podermos ser oráculos tecnológicos e por isso afirmar que as compras off-line serão vencidas pelas compras on-line é uma forma interessante de mostrar-se tanto lunático como também não capacitado para a tarefa, esqueça a tentativa de separar off-line de on-line, pode até dar certo só que você poderá ter conseguido bem mais se ligando os dois lados da moeda. Seu cliente quer resultados, se separarmos as possibilidades temos somente 50% para trabalhar quando podíamos apresentar soluções para ambos os ambientes - on-line e off-line, ambos ambientes podem servir para determinar o rumo mais prático e eficaz para as campanhas.

Traçar um perfil de consumidor antecipadamente a primeira campanha on-line é importante, e basear-se no off-line ajuda e muito a realização de um projeto, fazemos isso pensando primeiramente em quem compraria determinado produto, se posicionar como consumidor é extremamente eficaz para tirar conclusões sobre o comportamento desse tipo de consumidor. Por isso dizer que off-line não tem ligação com o mundo on-line é prematuro, insensato e irracional, só poderemos dizer isso quando máquinas comprarem o que precisamos ao invés de nós mesmos pesquisar. A busca do perfil de compra está ligada e sempre estará nos dois mundos, por isso fazer uso dos dados do Google Analytics ou de outra ferramenta de análise para criar campanhas off e on-line são completamente possiveis e plausíveis.

Não se permita ao erro de não considerar ambos os ambientes (on-line e off-line) e bom trabalho.

Mais sobre: midias sociais, marketing, on-line
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários