Web 3.0, 2.0, 1.0? O que isso significa?

Outro dia estava lendo sobre a Web 3.0. É sim! Web 3.0. essa nova tendência de tecnologia que Já é assunto nas páginas dos jornais e nos BLOGs mais antenados. Uns falando bem, outros nem tanto...

Por | @oficinadanet Marketing Digital
Outro dia estava lendo sobre a Web 3.0. É sim! Web 3.0. Essa nova tendência de tecnologia que  Já é assunto nas páginas dos jornais e nos Blogs mais antenados. Uns falando bem, outros nem tanto...

Em linhas gerais, definimos a Web 3.0, como a Web semântica, a Web que passa a dar sentido aos dados. Sistemas que conseguirão não só apresentar o dado ou informação, mas dar contexto a esse dado.

Imagine que o Google respondesse, precisamente, a seguinte questão: "preciso da configuração de um computador para jogos e edição de imagens?" Para isso, seria necessário que o Google, ou qualquer outro sistema, além de conhecer as configurações possíveis para micros, soubesse para que serve e qual a melhor aplicação de cada uma delas.

Para essa situação acontecer, é fundamental a criação de um segundo nível de informação, ou seja, a criação de dados que descrevem dados, ou os meta dados.

Em curtas palavras: sistemas mais inteligentes e dados que descrevem dados, essa é a Web 3.0.

Minhas leituras me puseram a refletir. Tudo isso aí é muito bacana. Para o pessoal dos conceitos é um prato cheio. Para os técnicos e desenvolvedores é um interessante (mais programação e modelos de dados e sistema, na verdade, conseqüência). Mas... E para as pessoas? O que isso significa? Qual a relevância? Como elas vão lidar com isso?

Hoje, existe a Web 2.0. O grande salto, aqui, foi o surgimento da possibilidade de “todos” produzirem conteúdo, de forma colaborativa ou não, de forma relacionada ou não. Mas, será que “todos” conseguem fazer isso? Será que as pessoas reconhecem essa possibilidade? Será que as pessoas sabem usar essa possibilidade? Pra mim, a resposta é não!

Falamos muito em Web 2.0, 3.0, x.0, seja qual for. Mas, ninguém se lembra de ensinar o que é isso e de como utilizar esses recursos. Tudo bem, que Orkut e Cia viraram uma explosão. O Gmail desbancou muitos outros. A Oficina da net  surge com força. Mas, de verdade, as pessoas mais “comuns”, apenas usuárias da Web, continuam apenas usuárias da Web. Entram e usam seu e-mail, tenha AJAX ou não (vejo até muitos reclamando dos novos webmails). Acessam e usam o Orkut, sem fazer idéia dessa tal revolução da Web 2.0 e consultam a Oficina como um site, um site de leitura ou, no máximo, um site de tecnologia, veja um  exemplo da  oficina da net , ela é uma boa demonstração da web 2.0. e a  Web 2.0 é muito mais que somente tecnologia. É também uma questão de atitude.A Web 2.0 se baseia em conceitos simples. Aliás, a simplicidade é um deles.!! Calma isso não é magica é tecnologia.  Você pode lançar uma versão hoje e outra amanhã, sempre a partir do feedback conseguido com cada incremento. Os programas rodam em todos os lugares, mas só existem em um lugar: o servidor. Por isso você pode lançar seu produto hoje e não mês que vem. (Daí vem, provavelmente, o fato de praticamente todo serviço do Google trazer a palavra beta ao lado do nome) Lance o produto com o mínimo de funcionalidades para atingir seu objetivo e cresça com ele.

As pessoas não sabem "produzir o tal conteúdo". Têm medo de modificar um artigo,  não querem escrever besteira. Por outro lado, expõe-se desnecessariamente no Orkut e até em seus Blogs. Não fazem idéia da possibilidade de alcance das suas "publicações". Só vejo as pessoas usando a Web, simplesmente usando, na maioria das vezes de forma equivocada e pouco produtiva, seja ela de qual número for.

É muito importante, começarmos a pensar em como ensinar as pessoas, usuários comuns, a utilizarem de forma eficiente, coerente e ética todas essas ferramentas e possibilidades. Temos que descobrir como dar sentido a toda essa profusão tecnológica. Nesse aspecto, as escolas podem e devem ser um desses caminhos.

Antes de criarmos os meta dados da Web 3.0, dos sistemas, das inteligências artificiais, vamos nos preocupar com os nossos “meta dados”, com a semântica disso tudo para nós mesmos.

--------------------------------------------------------------
estar ai pessoal até a próxima

correção e edição: Diego Darlan
autor: Daniel Monteiro

Mais sobre: Web 3.0, web 2.0, web
Share Tweet
DESTAQUESMais compartilhados
Comentários
Continue lendo