Gerência de Projetos: Análise de Riscos

Pode-se chamar de bem-sucedido um projeto que foi realizado dentro das expectativas de tempo, custo e qualidade, além de o cliente ter ficado satisfeito e o moral da equipe estar alto.

Por | @irialuppi Carreira em TI
Respondendo a pergunta então sobre riscos de um projeto, realizada no artigo anterior temos:
Pode-se chamar de bem-sucedido um projeto que foi realizado dentro das expectativas de tempo, custo e qualidade, além de o cliente ter ficado satisfeito e o moral da equipe estar alto. Nem sempre a existência de um bom planejamento de prazos, recursos, custos e qualidade é suficiente para o sucesso de um projeto.Muitas vezes, fatores externos têm influência decisiva no sucesso ou no fracasso. Em projetos do governo, pode ocorrer, de um momento para o outro, o surgimento de uma notícia no jornal, a ação de uma organização não-governamental ou um depoimento de um político, que simplesmente desmoronam o projeto. Em projetos da iniciativa privada, é possível descobrir a necessidade de alterar completamente o escopo de um projeto em decorrência da iniciativa da concorrência, que já lançou um produto similar. Riscos são todas estas anomalias. Na moderna concepção das funções do gerente do projeto, ele é o responsável pelo levantamento dos riscos e pelo planejamento e execução de  contramedidas que neutralizam os riscos.

RISCO: é  uma quantificação das conseqüências que poderão ser advindas caso o projeto se atrase ou estoure orçamentos ou tenha problemas técnicos, etc. Preferencialmente, a quantificação deve ser financeira. Alguns exemplos:

-Qual seria o prejuízo para a empresa caso o novo software não fique pronto em 12 meses?
-Qual seria o prejuízo para a empresa se a concorrência lançar um software similar antecipadamente?

Os procedimentos para se efetuar o levantamento dos riscos se desdobram nas fases: identificação, qualificação e quantificação. Na primeira fase, os itens de riscos são identificados e existem diversas técnicas para se realizar esta fase. Uma técnica bastante utilizada é o uso de tabelas padronizadas contendo os itens de riscos geralmente enfrentados pela empresa. Outra técnica, que pode se juntar ou não à anterior, é o brainstorming, pela qual se reúnem diversos profissionais em uma sala e procede-se um levantamento ordenado dos possíveis riscos. A maneira de executar um brainstorming avançou muito graças à prática extensiva recebida nos programas de Qualidade Total. Seu uso correto deve ser procurado por todo profissional que ocupa cargo gerencial em informática. Após a identificação, os riscos são qualificados em baixo, médio ou alto relativamente à expectativa de atraso, excesso de gastos, qualidade comprometedora e prejuízo para a carreira/imagem do gerente do projeto. Logo após é feita a quantificação do prejuízo que ocorreria caso os riscos identificados realmente viessem a ocorrer. Completado o levantamento dos riscos, inicia-se a fase de efetuar um plano de ação de contramedidas para neutralizar os riscos. Neste plano, para cada item de risco, é identificado um responsável e uma data limite para que a ação neutralizadora seja concretizada.

Para empresas que desenvolvem produtos para clientes externos, os itens de risco geralmente se relacionam com a possibilidade de serem aumentados os custos planejados. Ao efetuar cálculos orçamentários para uma futura proposta, o levantamento de riscos deve ser conduzido por uma pessoa com bom amadurecimento em negócios e em informática, pois, do contrário, é possível haver tantos acréscimos no preço que tornariam a proposta inviável, por isso a importância de se escolher o correto gerente do projeto que, pela sua experiência e 'agressividade', saberá medir os riscos e aceitar os desafios.

Mais sobre: gerencia riscos projetos
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo