Conar suspende comercial com famoso ruivo da Vivo

O Conar diz que a suspensão foi solicitada pelas operadoras Tim e Oi que consideraram a peça “denegritória” e “desleal”, já que ela conta com referencias diretas.

Por | @oficinadanet Vivo

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) solicitou liminarmente a suspensão da nova propaganda da operadora Nextel que contava com o ator João Côrtes, popularmente conhecido como o “Ruivo da Vivo”.

A suspensão ocorreu porque a peça publicitária continha muitas referências e provocações direcionadas para as concorrentes Vivo, TIM, Claro e Oi. A propaganda em questão foi desenvolvida pela agência Tribal Worldwide e estava sendo veiculada em emissoras de TV aberta desde o dia 9 deste mês.

O Conar diz que a suspensão foi solicitada pelas operadoras Tim e Oi que consideraram a peça “denegritória” e “desleal”, já que ela conta com referências diretas.

Conar suspende comercial com famoso ruivo da Vivo.Conar suspende comercial com famoso ruivo da Vivo.

A decisão, segundo o Conar, ainda é liminar e cabe recurso, sendo que o julgamento acontece somente em maio.

A Nextel emitiu um comunicado oficial a imprensa dizendo que já interrompeu a divulgação da peça publicitária:

“A Nextel tem como princípio a veiculação de campanhas publicitárias claras e transparentes, que respeitam o consumidor, a concorrência e a regulamentação do setor. A operadora esclarece que o uso da expressão “melhor operadora de celular do Brasil” em sua atual campanha tem como base a pesquisa Melhores Serviços, realizada pelo Jornal O Estado de S. Paulo em parceria com o Blend New Research - HSR que pelo terceiro ano consecutivo apontou a Nextel como líder do ranking de telefonia móvel do país.”

A Vivo, TIM, Claro e Oi não quiseram comentar o assunto. Ainda não temos a informação se a Nextel irá recorrer sobre a decisão junto ao Conar.

DEIXE SEU COMENTÁRIOComente aqui
MAIS SOBRE Conar vivo bitcoin nextel
RecomendadoEnquete
Qual navegador você usa?
Chrome(62,54%)
Edge(14,75%)
Firefox(9,73%)
Opera(7,37%)
Safari(5,60%)
Assine a nossa newsletter

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar