Google, Amazon e Apple unem forças para estabelecer um padrão para IoT

Em meio a tantos problemas de privacidade com dispositivos inteligentes conectados para nossas casas, o Connected Home over IP, tem como objetivo facilitar a comunicação entre dispositivos e reestabelecer a confiança nos mesmos.

Por Tecnologia Pular para comentários
Google, Amazon e Apple unem forças para estabelecer um padrão para IoT

Os maiores nomes da categoria de casas conectadas estão juntos com um propósito, criar um padrão de código aberto para facilitar a compatibilidade e integração entre dispositivos conectados.

A Amazon, Apple, Google e a Zigbee Alliance estão a frente desse projeto, juntamente com a Ikea, Legrand, NXP Semiconductors, Resideo, Samsung SmartThings, Schneider Electric, Signify (Philips Lighting), Silicon Labs, Somfy e Wulian, com o mesmo objetivo.

O projeto "Connected Home over IP" objetiva criar um padrão de conectividade para aumentar a compatibilidade entre empresas e seus dispositivos. No momento o cenário não é dos mais favoráveis, cada fabricante possui seus próprios dispositivos, tornando a escolha dos usuários de certa forma as amarras de somente um fabricante.

Mesmo diante de um projeto como esse, em algum momento as escolhas por determinada marca trará benefícios para seus usuários e o restringirá a se comunicar com outros dispositivos não compatíveis.

A ideia de tornar mais fácil a fabricação de dispositivos que funcionem com Alexa, Google Assistant, Siri e similares. Da mesma forma que acontece hoje com o Google Chromecast e o Amazon Firestick. Antes não era possível utilizar o Amazon Prime Video no Chromecast e nem os serviços Google no Firestick e agora isso já é possível.

"O projeto é construído em torno de uma crença compartilhada de que dispositivos domésticos inteligentes devem ser seguros, confiáveis ​​e fáceis de usar", de acordo com o comunicado conjunto. "Com base no protocolo Internet (IP), o projeto visa permitir a comunicação entre dispositivos domésticos inteligentes, aplicativos móveis e serviços em nuvem e definir um conjunto específico de tecnologias de rede baseadas em IP para certificação de dispositivos."

Além disso a segurança e a privacidade dos usuários deverá estar em primeiro lugar da lista de compatibilidade e comunicação. Esse ano falamos sobre problemas de privacidade na maioria dos dispositivos dos fabricantes acima citados, criando um certo desconforto no uso dos mesmos. É esperar para ver como esse projeto seguirá e de que forma ele será benéfico para todos que em algum momento pensam em tornar suas casas inteligentes.

Comentários:
Carregar comentários