Oficina da Net Logo

Ladrão foi pego na Itália graças ao novo algoritmo para prever crimes

Algoritmos são cruciais para máquinas e redes fazerem o que pedimos ou interpretar o que queremos.

Por | @fsbeling Tecnologia Pular para comentários

A polícia italiana está se modernizando graças a um algoritmo inventado em Nápoles, a cidade onde nasceu uma das organizações criminosas mais poderosas do mundo, a Camorra.

Criado por um policial, o sistema de computador é chamado X-law, ele habilita o que é conhecido como "tecnologia preditiva". O sistema permitiu prender um homem, em uma pequena cidade localizada a oito quilômetros da cidade turística de Veneza, antes de cometer um assalto.

A tecnologia informou aos agentes que ele iria cometer um crime entre 3 e 4 horas da manhã, quando prenderam o ladrão. O algoritmo tinha acabado de ser colocado em operação na província de Veneza há poucos dias e permitiu que um homem de 55 anos fosse preso por roubo.

As 3 horas e 45 minutos da manhã, um porteiro de um bar do hotel nas proximidades avisou que ele havia visto um ladrão. Um homem grande e corpulento entrara no prédio derrubando uma porta de vidro e indo ao caixa para roubar o dinheiro. Ele tentou escapar quando percebeu que havia sido descoberto, mas instantes depois foi preso pela polícia, que estava esperando por ele. Quando o levaram para a delegacia, os agentes descobriram que o homem tinha vários registros de roubos e outros crimes que cometera no passado e que o algoritmo havia levado em conta. Leia em destaque: As tecnologias que morreram em 2018.

O inventor do algoritmo disse à mídia local que a inspetora napolitana Elia Lombardo está trabalhando nisso há 20 anos. O programa já foi testado em Nápoles e nas províncias de Prato e Veneza. Se continuar apresentando bons resultados será usado em toda a Itália para evitar roubos.

"Os criminosos geralmente agem sempre na mesma área, com utilizam os mesmos métodos. Eles sabem o comportamento das pessoas, as horas de fechamento dos negócios e quando os idosos retiram a pensão do banco ", disse o inspetor ao jornal La Repubblica. 

Toda essa informação foi introduzida no sistema, que envia informações a cada meia hora anunciando onde é mais provável que um crime ocorra nas próximas duas horas. Graças a esses cálculos matemáticos, a polícia pode ser mais eficaz e prevenir crimes com maior precisão. "Normalmente, uma patrulha de controle do território cobre uma área de cerca de 125 quilômetros por dia", disse o criador do algoritmo. "Com o uso dessa tecnologia, reduzimos para apenas 23 quilômetros, economizando significativamente nos custos de gerenciamento." 

Esta não é a primeira vez que a polícia de um país usa algoritmos para prevenir crimes. Em Chicago, a terceira cidade mais populosa dos Estados Unidos (e uma das mais violentas), a  polícia faz uso desde 2017 de um algoritmo que atribui pontuações baseadas em prisões, tiroteios e outras variáveis ​​para prever quem tem mais chances de pegar uma arma para atirar para outra pessoa ou ser baleado.

Algoritmos são cruciais para máquinas e redes fazerem o que pedimos ou interpretar o que queremosAlgoritmos são cruciais para máquinas e redes fazerem o que pedimos ou interpretar o que queremos.

O sistema cria uma lista coletando dados dos registros policiais. Em seguida, os agentes monitoram os participantes com as pontuações mais altas. Por outro lado, a China está desenvolvendo software para obter informações de possíveis invasores para evitar incidentes violentos. 

O programa usa indicadores de dados de comportamentos "incomuns" por alguns cidadãos para estabelecer padrões de crime. Algoritmos são códigos necessários para ordenar que um computador ou uma máquina faça alguma coisa. É uma lista de etapas a seguir para resolver um problema. É crucial que os passos estejam bem definidos e na ordem correta. Algoritmos são cruciais para máquinas e redes fazerem o que pedimos ou interpretar o que queremos.

 Fonte: AsiSucede

Você tem Telegram? Então inscreva-se grátis aqui no canal do Oficina da Net e recebe todas as notícias pelo mensageiro.

MAIS SOBRE: #algoritmos  #sistema  #x-law
Comentários
Carregar comentários