Qual a diferença entre 3G, 3.5G, 4G LTE, 4G+, 4.5G e 5G? Conheça a história da internet móvel

Entenda a diferença entre 3G, 3.5G, 4G, 4G LTE, 4G+, 4.5G e 5G, e conheça a história da internet móvel, desde seu início até os dias atuais.

Por | @oficinadanet Tecnologia

Quem, nos dias de hoje, não utiliza, nem que de vez em quando, a internet móvel no celular? Afinal, nem sempre podemos ter um Wi-Fi a nossa disposição, e ficar desconectado está fora de cogitação. Mas você conhece os diferentes tipos de internet móvel, e sabe o que significam? Se não, confira aqui a diferença entre 3G, 4G, 4G+, 5G e LTE.

Para começo de história, a letra "G", que vem depois do número, tipo, 3G, 4G e 5G, significa Geração. Isso quer dizer que é uma geração de tecnologia sem fio. A cada geração, a internet móvel fica mais rápida, e mais segura. 

Na verdade, a cada 10 anos mais ou menos, é lançada uma nova geração de internet móvel. E as novas tecnologias precisam ser oferecidas pelas fabricantes de smartphones e pelas operadoras. Cada uma das Gerações tem padrões estabelecidos por um órgao chamado 3GPP que devem ser cumpridos à risca, para poderem ter direito de usar determinada terminologia G (3G, 4G, 4.5G). 

Diferenças entre 2G, 3G, 4G e 5GDiferenças entre 2G, 3G, 4G e 5G

Pré-história da internet móvel

Primeira Geração (1G): Somente voz

O termo 1G nunca foi muito usado, até que o 2G estivesse disponível. Esta foi a primeira geração de tecnologia de telefonia celular, nascida nos anos 80. O que ofereciam não passavam de ligações telefônicas (e acredite, naquela época isso era incrível). 

Internet 2G: SMS e MMS

A segunda geração de transmissão de celular chegou em 1992 e trouxe alguns recursos a mais ao menu, como mensagens de texto simples. Com essa tecnologia, embora os aparelhos fossem projetados para ligações telefônicas, era possível se conseguir transmissão de mensagens de texto em até 64 kbps.

2,5G: Os primórdios dos dados - GPRS 

O termo 2,5G é usado para se referir ao conjunto de tecnologias que estão entre o 2G e o 3G.  Em busca de smartphones com conexões melhores, essa tecnologia foi desenvolvida. Também conhecida como internet GPRS (General Packet Radio Service). Até 2G, apenas redes com dois pontos ligados por circuito estavam em uso, e eram inadequadas para a internet. Com o GPRS, foi introduzida a comutação de pacotes. Nesse momento pode ser disponibilizada a internet móvel de forma primordial. A transmissão passou a ser de 50 kbps, com 80 kbps de download e 60 kbps de upload.

Quando a internet móvel começou de fato

Internet 3G - HSPA

Nos anos 2000, a internet começou a chegar de verdade no celular. A internet 3G foi um grande avanço quando comparada a tudo o que existiu antes dela nesse quesito.Isso prque, com a taxa de dados de 384 kbps, conseguimos usar com maior qualidade serviços que hoje são consagrados, como as redes sociais. A partir daqui, tivemos navegação na Web, e-mail, download de vídeos, compartilhamento de imagens e outras tecnologias de smartphones foram introduzidas na terceira geração. O 3G deve ser capaz de lidar com cerca de 2 Mbps por segundo.

A velocidade máxima do 3G é estimada em cerca de 2 Mbps para dispositivos móveis e 384 Kbps em veículos em movimento. A velocidade máxima teórica para o HSPA+ é de 21,6 Mbps. As tecnologias eram WCDMA (Wideband CDMA), CDMA 2000 e UMTS (Padrão Universal de Telecomunicações Móveis).

Internet 3.5G - HSPDA 

Lançada pelo ano de 2006, a internet 3.5G, também conhecida como HSPDA (High-Speed Downlink Packet Access), foi uma melhoria da conexão 3G, que teoricamente permitia velocidade de dados de até 42.3 Mbps, mas na prática rondava por algo em cerca de 14 Mbps. No geral, HSDPA são os padrões utilizados e oferecem taxas de dados de 5-30 Mbps.

Internet 4G LTE

Eis que chegamos ao mundo atual. A famosa rede de dados 4G foi lançada em 2008, oferecendo, além do suporte a navegação na web, emails e downloads, serviços de jogos, TV móvel HD, videoconferência, TV 3D e outras coisas que exigem velocidades mais altas.

Com a implementação do 4G, alguns recursos 3G foram removidos, como a tecnologia de rádio de espalhamento espectral. A velocidade máxima de uma rede 4G quando o dispositivo está em movimento é de 100 Mbps ou 1 Gbps para comunicação de baixa mobilidade, como quando parado ou andando.

Na verdade, a velocidade mínima da rede móvel para que ela possa ser considerada uma 4G deve ser de, no mínimo, 100 Megabits por segundo, e até 1 Gigabit por segundo. A rede também precisa compartilhar os recursos de rede para suportar mais conexões simultâneas. À medida que se desenvolveu, o 4G superou a velocidade de muitas conexões de internet doméstica de banda larga sem fio (Wi-Fi).

No começo desta tecnologia, poucos dispositivos eram capazes de suportá-la. A cobertura do 4G era limitada aos grandes centros urbanos até pouco tempo no Brasil. Foi nos dois últimos anos que as cidades do interior começaram a receber o 4G. Até então, as cidades menores recebiam internet no padrão 3G. 

Aqui no Brasil, o 4G é o mesmo que LTE. Nos Estados Unidos, o nosso 4G são as redes HSPA+, que chamamos aqui de 3G+ ou 3G Plus.  

Internet 4G+ e 4.5G

O 4G+ é o 4G com o recurso que permite conexão simultaneamente a mais de uma frequência ou faixa de espectro. Lá nos Estados Unidos é chamada de LTE Advanced.

Já o 4.5G, que atualmente está sendo vendido pela Claro no Brasil, é o que os americanos chamam de LTE-Advanced-Pro, uma versão melhorada da 4G+. Essa rede ultrapassa os 100 Mb/s. 

Veja a diferença entre 4G+ e 4.5G

  • 4G+: Duas faixas de freqüência ao mesmo tempo.
  • 4.5G: Três faixas de freqüência ao mesmo tempo, com 4 antenas de transmissão e 4 de recepção.

No Brasil, poucas cidades tem cobertura para internet 4.5G. São 153 cidades para ser mais exato, e você pode conferir a lista de municípios no final deste post. E além disso, são apenas alguns aparelhos que dão suporte a esta tecnologia:

Internet 5G

Prevista para 2020, a internet 5G será a nova revolução nas taxas de velocidade de dados. Em dezembro (2017), o 3GPP divulgou os requisitos mínimos da rede 5G. O grande destaque vai para a velocidade mínima de 100 Mb/s de download, mas outros detalhes também chama a atenção, como a menor latência (que é o tempo que seu smartphone demora para abrir um site, por exemplo).

A internet 5G também vai permitir que a quantidade de dispositivos conectados seja maior (1 milhão de devices a cada quilômetro quadrado) e distinguir aplicações por camada, permitindo priorizar aplicações críticas dentro do fluxo de dados.

Mas o grande lance do 5G será a capacidade de conectar diversos dispositivos, e interligá-los. Como por exemplo, conectar o seu smartphone ao seu carro, sua câmera de segurança em casa, sua fechadura, entre outros dispositivos que fazem parte da internet das coisas.

A internet 5G deverá substituir o 4G aos poucos, como aconteceu com a troca do 3G para o 4G. No início, poucas localizações e poucos dispositivos terão compatibilidade com a tecnologia, e gradualmente, a população irá ganhando acesso a novidade.

Na imagem abaixo, você pode entender, de forma simplificada, a evolução da internet móvel: 

Evolução da internet móvelEvolução da internet móvel

Cidades com cobertura de internet 4.5G da Claro

  • AC: Rio Branco
  • AM: Manaus
  • BA: Salvador
  • DF: Brasília
  • ES: Vitória, Vila Velha
  • GO: Goiânia
  • MA: São Luís
  • MT: Cuiabá
  • MS: Campo Grande
  • MG: Belo Horizonte
  • PA: Belém
  • PR: Curitiba
  • PE: Recife
  • RJ: Rio de Janeiro, Carmo, Laje do Muriaé, Macuco, Santo Antônio de Pádua, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, São Pedro da Aldeia, Sumidouro, Três Rios, Vassouras
  • RS: Porto Alegre, Capão da Canoa, Imbé, Torres, Tramandaí, Xangri-lá
  • RO: Porto Velho
  • SC: Florianópolis
  • SP: São Paulo, Adamantina, Aguaí, Amparo, Analândia, Araras, Areiópolis, Artur Nogueira, Barra Bonita, Barrinha, Batatais, Birigui, Boituva, Botucatu, Braúna, Caiabu, Campinas, Capão Bonito, Capivari, Caraguatatuba, Casa branca, Catanduva, Cerquilho, Colina, Cordeirópolis, Cruzeiro, Descalvado, Dracena, Elias Fausto, Engenheiro Coelho, Guararapes, Guariba, Holambra, Ibitinga, Ibiúna, Ilhabela, Indiana, Inúbia Paulista, Iperó, Ipuã, Irapuã, Itanhaém, Itapetininga, Itapeva, Itararé, Itirapuã, Ituverava, Jaboticabal, Jaú, José Bonifácio, Leme, Lençóis Paulista, Luiziânia, Macaubal, Magda, Mariápolis, Matão, Meridiano, Mirandópolis, Mococa, Mongaguá, Morro Agudo, Motuca, Murutinga do Sul, Nova Luzitânia, Novo Horizonte, Nuporanga, Olímpia, Orindiúva, Orlândia, Ourinhos, Ouro Verde, Pacaembu, Pedrinhas Paulista, Piedade, Pirassununga, Pitangueiras, Planalto, Porto Feliz, Ribeirão do Sul, Rio Claro, Riolândia, Sabino, Sagres, Sales, Sales Oliveira, Salto de Pirapora, Santa Bárbara D'oeste, Santa Cruz das Palmeiras, Santo Antônio de Posse, Santo Antônio do Pinhal, São João da Boa Vista, São Joaquim da Barra, São José do Rio Pardo, São Manuel, São Miguel Arcanjo, São Pedro do Turvo, São Sebastião, Tanabi, Taquaritinga, Tarumã, Tatuí, Terra roxa, Tietê, Tremembé, Turiúba, Ubatuba, Vargem Grande do Sul, Votorantim, Votuporanga
  • TO: Palmas

Municípios cobertos com tecnologia 4G no Brasil

Operadora 2016 2017 Abr/18 Mai/18
TIM 1.255 3.003 3.120 3.131
Vivo 516 2.600 2.793 2.823
Claro 598 1.409 1.546 1.568
Oi 284 813 831 833
Algar 2 24 25 25
Nextel 10 13 34 34
Total 1.526 3.871 4.004 4.032

* Fonte: Teleco

População coberta com tecnologia 4G no Brasil

Operadora 2016 2017 Abr/18 Mai/18
TIM 66,6% 86,7% 87,2% 87,3%
Vivo 60,2% 84,5% 85,8% 86,0%
Claro 59,6% 76,2% 77,7% 77,9%
Oi 55,1% 66,9% 67,3% 67,3%
Algar 0,4% 1,1% 1,2% 1,2%
Nextel 5,1% 11,3% 15,0% 15,0%
Total 71,3% 93,3% 93,9% 94,1%

* Fonte: Teleco

Leia também:

SHARE
+ Artigos
Comentários
 
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail