Pinterest, a rede dos apaixonados por imagens, é alvo de scam

O Pinterest surgiu como um das mais atrativas redes sociais de compartilhamento de imagens e fotografias, bem como de outros tipos de conteúdos.

Por | @BitdefenderBR Segurança digital

O Pinterest surgiu como um das mais atrativas redes sociais de compartilhamento de imagens e fotografias, bem como de outros tipos de conteúdos. Graças ao seu visual atraente, sua fácil navegação e interação, muitas marcas seguiram o exemplo de seus clientes e criaram perfis neste espaço. A rede já possui mais de um milhão de usuários ativos diários que, além de aproveitar as vantagens da plataforma, contudo, devem começar a se preocupar com sua segurança virtual.

Isso porque o Pinterest compartilha mais iscas virtuais para golpes do que o Facebook. O motivo? As informações compartilhadas na rede facilmente se tornam virais, causando um impacto muito grande entre milhares de usuários. Por isso, a plataforma se tornou a queridinha de empresas dos mais variados ramos e nichos, mas, em contrapartida, acabou também despertando a atenção e interesse de cibercriminosos.

Devido a inúmeros usuários mal intencionados, as pessoas e marcas que mantêm ativos perfis na rede tornaram-se alvo dos scammers e spammers. Como o scam é a principal armadilha, a rede recebeu, entre os profissionais de segurança na internet, o nada simpático apelido de Scamterest, o que revela a necessidade de proteção ao usá-la.

Segundo especialistas, a forma de navegação do Pinterest é uma das menos recomendadas. Isso porque ela é baseada no clique, ou seja, o usuário precisa clicar para visualizar cada link. Nesse mural virtual, é possível carregar, guardar, classificar e gerenciar os conteúdos que, em geral, são imagens. Os usuários coordenam todas as suas informações de acordo com coleções chamadas de pinboards. Se aproveitando dessas vulnerabilidades, os scammers fixam imagens falsas com fins comerciais.

A infecção geralmente segue o roteiro: o scam pede que o usuário adicione a foto ao seu mural para que ele possa ter acesso a determinado conteúdo – pesquisa ou promoção – e recompensa. Após isso, o link se propaga na rede, pois as pessoas tendem a confiar nos perfis que seguem. Desse modo, o link malicioso se espalha por várias redes.

Há ainda o scam que pede que o internauta complete determinada pesquisa, compartilhe informações ou então se cadastre em outro link. Vale lembrar que o Pinterest não pede essas ações. Portanto sempre que houver algum ‘comportamento suspeito’ na rede, o ideal é se certificar da veracidade das informações, antes de sair clicando em links ou respondendo comandos fora do comum.

Felizmente, estes problemas foram apontados e rapidamente resolvidos pela própria rede social. Para evitar novos problemas, a empresa tomou medidas que permitem que os usuários denunciem conteúdos que considerem não legítimos. Do mesmo modo, proibiu uploads de encurtadores de URL, que camuflam links maliciosos.

Além de contar com as alternativas de segurança do Pinterest, o usuário precisa ainda contar com precauções que só ele pode tomar. O bom senso é um desses cuidados, o que quer dizer que é necessário desconfiar quando houver alguma coisa de anormal se espalhando pela rede. Outra cautela é manter softwares de segurança atualizados, fazendo o download de antivírus sempre que necessário. Dessa forma, será possível aproveitar todas as vantagens e recursos do Pinterest sem cair em armadilhas.

Este artigo foi criado pela equipe Bitdefender Antivírus para uso exclusivo do blog Oficina da Net.

Mais sobre: pintrest segurança
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo