Operadoras de telefonia móvel aplicam alto em tecnologia contra aparelhos clonados

De acordo com as companhias de telefonia celular do Brasil, a partir de 2013 aparelhos celulares e smartphones falsificados e clonados não homologados pela ANATEL, poderão deixar de funcionar

Por | @oficinadanet Smartphones

De acordo com as companhias de telefonia celular do Brasil, a partir de 2013 aparelhos celulares e smartphones falsificados e clonados não homologados pela ANATEL, poderão deixar de funcionar, pois as operadoras Claro, Oi, TIM e Vivo investiram alto em um sistema que irá restringir o uso desses aparelhos.

A tecnologia que custou cerca de R$ 10 milhões as operadoras utiliza um software que reconhece o IMEI do aparelho em uso e compara o código com uma lista mantida pela ANATEL com todos os modelos certificados, sendo assim, se o número do aparelho não coincidir com a relação da agência, o celular não poderá mais fazer chamadas.

Tudo começa na verificação durante o cadastramento do chip e mais, não vai adiantar o usuário usar um aparelho cadastrado para identificar o chip e depois usar um desses outros, pois o sistema também irá monitorar constantemente o IMEI dos telefones móveis.

Para muitos, isso poderá soar como uma restrição no mercado, ou até mesmo como uma intervenção no direito de escolha, mas as operadoras alegam que a medida tem o objetivo de reduzir as queixas dos serviços prestados e para as mesmas o uso de aparelhos de baixa qualidade é uma das causas para a queda de qualidade nas chamadas.

O novo sistema também irá funcionar em um futuro próximo para rastrear e bloquear aparelhos roubados.

Mais sobre: operadoras telefonia anatel
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar