Cientistas conseguem bloquear genes causadores da obesidade

O excesso de peso contribui para várias doenças, como diabetes tipo 2, problemas cardiovasculares e ainda câncer, sendo que podem até levar à morte.

Cientistas conseguem bloquear genes causadores da obesidade

A obesidade vem sendo um enorme desafio para a saúde pública nos últimos anos. O problema afeta no mundo mais de 500 milhões de pessoas. O excesso de peso contribui para várias doenças, como diabetes tipo 2, problemas cardiovasculares e ainda câncer, sendo que podem até levar à morte. Somente nos Estados Unidos a doença custa aos cofres cerca de US$ 200 bilhões ao ano.

A boa notícia é que a obesidade poderá ser prevenida ou até mesmo curada. De acordo com um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) juntamente com a Universidade de Harvard, e publicado no New England Journal of Medicine, os pesquisadores tem conseguido através de experimentos controlar o metabolismo fazendo uma espécie de bloqueio nos genes causadores da obesidade.

"A obesidade tem sido tradicionalmente vista como o resultado de um desequilíbrio entre a quantidade de alimento que nós comemos e quanto nós exercitamos, mas esta visão ignora a contribuição da genética para o metabolismo de cada indivíduo", diz o autor sênior Manolis Kellis, um professor de ciência da computação e um membro de Ciência da Computação do MIT e Laboratório de Inteligência Artificial (CSAIL) e do Instituto Broad.

Sendo assim, nem sempre uma pessoa obesa precisa comer muito para continuar engordando. Todo o processo está ligado um gene associado a obesidade que deixa as pessoas com excesso de peso.

Os pesquisadores, desde 2007,  já sabiam da existência de um gene conhecido como FTO que tinha ligação com a obesidade, porém, ainda não estava comprovado como era a real ligação entre eles,  e mesmo sobre a relação do gene com o apetite ou a falta de exercícios, por exemplo.

O estudo agora revelou que um defeito do gene é responsável por agir diretamente sobre a energia consumida e transformada em gordura. Porém, em vez de queimar tal gordura, a alteração genética faz com que ela fique apenas armazenada no organismo, o que propicia o aumento de peso.


Credit: © Valentina R. / Fotolia

"Muitos estudos tentaram ligar a região do FTO com circuitos do cérebro que controlam o apetite ou propensão para o exercício", diz primeiro autor Melina Claussnitzer, professor visitante da CSAIL e instrutor em medicina no Beth Israel Deaconess Medical Center e Harvard Medical School. "Os nossos resultados indicam que a região associada a obesidade atua principalmente em células progenitoras de adipócitos de uma forma independente do cérebro."

"A gente já sabia que havia um defeito genético, pois qualquer pessoa que comer demais e não se exercitar corre o risco de ganhar peso. Mas há ainda aquelas pessoas que comem um pouco mais e a obesidade vem, mesmo assim. Essas pessoas estariam nesse grupo da ‘obesidade genética’", disse o nutrólogo Marcos Dantas.

Experiência

Para a experiência, ratos receberam genes modificados que aceleram o metabolismo, e com isso perderam até 50% da sua massa corporal, mesmo estando submetidos a uma dieta rica em hidrato de carbono.

O estudo, que foi publicado no New England Journal of Medicine mostrou que os cientistas conseguiram controlar o acúmulo de gordura fazendo a alteração de alguns componentes do DNA.

Fonte: Sciencedaily

5 Fones Bluetooth, qual comprar?

Conteúdo relacionado

Sem internet? Experimente 10 ótimos jogos offline para Android em 2021
Aplicativos

Sem internet? Experimente 10 ótimos jogos offline para Android em 2021

Nada pior do que estar entediado e sem acesso à internet. Mas relaxa, pensando em tornar seu momento desconectado mais divertido, separamos 10 jogos offline para Android.

Ciência, Engenharia da Computação ou Sistemas de informação. Qual a diferença entre os cursos?
Carreira em TI

Ciência, Engenharia da Computação ou Sistemas de informação. Qual a diferença entre os cursos?

Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Sistemas de Informação são os cursos mais conhecidos nas universidades e faculdades que oferecem graduação em computação.

Ciência: Cavalos são domesticados a cerca de seis mil anos atrás
Programação

Ciência: Cavalos são domesticados a cerca de seis mil anos atrás

De acordo com estudos realizados pela Universidade de Cambridge e publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, os primeiros cavalos domesticados por humanos, forma adestrados pela primeira vez a cerca de 6 mil anos atrás