Como eram feitas as Katanas?

Descubra como eram feitas as Katanas, espadas poderosíssimas do exército japonês medieval.

Por | @grasiel_grasel Entretenimento

Quem nunca ouviu falar dos lendários samurais que viveram na época do Japão Medieval no início do século XVII? As armas usadas por eles naquela época eram as espadas de um só gume mais precisas e bem forjadas que o mundo já viu, mas algo que é mais interessante que a sua qualidade, é a afeição que o samurai tinha por sua Katana.

A Katana de um samurai era muito mais que uma arma, ela era praticamente a sua alma, espiritualidade, essência e valores, tudo isso ligado ao duro treinamento regado de regras de conduta por que passavam antes de finalmente receberem o título de samurais, hoje vamos aprender como eram feitas essas espadas e tentar perceber, por meio do seu processo de criação, o quão importantes essas armas eram na vida dos corajosos guerreiros do Japão.

Como eram feitas as Katanas?

Antes da espada de um Samurai ser forjada, o armeiro tirava todas as medidas que precisava para saber qual seria o tamanho exato da Katana, qual a sua curvatura para ter uma melhor eficiência, normalmente as Katanas tinham de 60 a 75 cm e sua curvatura iniciava no meio da lâmina, dependendo do projeto final que o armeiro obtinha, como detalhes na bainha, a espada podia levar mais de cinco anos para ficar pronta.

O mestre e seus discípulos que estavam sendo preparados para se tornarem samurais caminhavam até um rio próximo e coletavam uma areia chamada Satetsu, um produto recorrente da erosão do minério de ferro que podia ser encontrada na maioria dos rios no Japão Medieval, essa areia era fundamental na diferença de tempera e resistência da lâmina de cada Katana.

Como eram feitas as Katanas?
Satetsu (um produto recorrente da erosão do minério de ferro)

O modo com que acendiam o Satetsu também passava por uma espécie de ritual, onde as chamas seriam geradas a partir de um espeto de metal, que era aquecido até que ficasse incandescente então um papel de arroz era encostado no espeto que o ascendia, só então esse papel era jogado dentro de um recipiente de barro chamado Tatara onde estava o Satetsu, 72 horas depois carvalho, carvão de pinho e algumas palhas naturais eram adicionadas, aumentando o fogo dentro do Tatara.

Depois de 5 dias queimando a 1500 °C, o carvão, o ferro e o carbono gerados na queima se fundiam gerando um bloco de uma tonelada do aço chamado de Tamarragem, esse bloco era repartido em pedaços ainda cheios de impurezas, mas, se você acham que essas impurezas eram algo ruim, você está muito enganado.

Como eram feitas as Katanas?
Tatara (recipiente de barro)

Depois que cada aprendiz escolhia o seu pedaço de aço, era hora de iniciar o processo de fundição, onde o aço seria golpeado várias vezes, tornando a distribuição de carbono mais homogênea e melhorando a dureza da lâmina.

Depois de golpeada, a chapa de aço resultante seria quebrada em vários pedaços e então empilhada para ir ao forno, para evitar que o aço fosse totalmente derretido, argila liquida era derramada sobre a pilha de chapas antes de essas irem à fornalha.

Depois de sair da fornalha, as camadas de aço incandescentes eram golpeadas para que se compactassem ao máximo, quando chegavam a um bom nível de compactação, o aço era dobrado ao meio e novamente golpeado até atingir seu nível ideal, esse processo era repetido por seis vezes dobrando para um lado e outras seis vezes na direção oposta, sendo periodicamente posto na fornalha novamente para manter o material incandescente e criando um alto número de camadas de aço cada vez mais compactadas, se apenas uma vez fosse dobrado o aço para um lado errado, a lâmina acabaria ficando desproporcional e o trabalho teria que ser recomeçado do zero.

Quando o processo de formação das camadas é finalizado, o aço já tem o formato parecido com o de uma lâmina pronta, porém sem a curvatura, o mestre inicia o desenho do fio com uma mistura de argila liquida e pó de carvão usando pincéis de bambu, nesse momento o mestre se tornava um verdadeiro artista deixando sua marca na Katana.

Como eram feitas as Katanas?

Pela ultima vez o aço estaria se encontrando com o fogo, a mais difícil das etapas se inicia, mergulhar a lâmina incandescente em tina com água de dois metros de comprimento por um metro de largura e altura, onde a água devia estar a uma temperatura exata selecionada de acordo com o mês do ano e as condições climáticas do local, o seu mergulho deve ocorrer em um ângulo que só os mais experientes conseguem calcular, esfriando cada camada periodicamente e gerando a curvatura perfeita na lâmina, um pequeno erro pode acabar jogando fora o trabalho que talvez tenha levado anos.

Depois de tanto tempo de trabalho o único processo restante é o de polimento, que era realizado com mais de cinquenta tipos de pedras diferentes dependendo do tipo da lâmina obtida no final.

A criação do Tsuba (a proteção do punho, mais conhecida como guarda) e do Tsuka (o punho, onde a Katana é segurada), também tem um sentido especial em cada Katana forjada, em todas elas ambas as partes tem algum sentido sentimental ou histórico para seu criador e podiam ser retiradas através da remoção de dois pequenos pedaços de bambus que os fixavam na lâmina, assim esta podia ser consertada se levasse algum dano sério ou se o Samurai quisesse trocar o Tsuba por outro.

Como eram feitas as Katanas?
Tsuba (guarda) com um dragão de ouro

O Tsuba sempre era a peça da Katana que dava o maior valor estético depois da Saya (bainha da Katana), e a que tinha mais detalhes em ouro ou outros metais nobres, como prata, cobre, bronze e etc. A Saya, por serem a maior parte da Katana, sempre eram muito bem decoradas e feitas de uma madeira não necessariamente tão resistente quando a madeira do Tsuka, tendo também vários desenhos e acabamentos em ouro e outros metais.

Como eram feitas as Katanas?
Saya (bainha)

O Tsuka precisava ser feito da madeira mais resistente que fosse encontrada no Japão Medieval, pois era ela que aguentava toda a pressão dos golpes do Samurai e também precisava ser coberta com o Same (couro de arraia ou de algumas espécies de tubarão) que era responsável por não deixar com que o Tsukaito (amarração que trançava o Tsuka com cordas de seda) deslizasse e acabasse se desamarrando ou soltando do Tsuka. As tranças do Tsukaito, além de não permitirem que a Katana deslizasse nas mãos, absorviam o suor e aumentavam a aderência.

Como eram feitas as Katanas?
Tsuka (punho)

Leia também:

Comente aí em baixo se você gostou da matéria! Não se esqueça de compartilhá-la em suas redes sociais para valorizar ainda mais o nosso trabalho e nos inspirar a trazer cada dia mais conteúdos interessantes para você.

No vídeo abaixo você vê como uma Katana é feita nos dias de hoje.

Que tal assistir a batalha de uma Katana contra uma metralhadora?

Mais sobre: Curiosidades comoefeito historia
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar