Quem é a Efígie que estampa as cédulas do real?

Sabe o rosto feminino estampado nas cédulas do real? Você sabe quem ela é? Conheça um pouco desta história e a relação da imagem com outros acontecimentos históricos.

Por | @grasiel_grasel Entretenimento

O contato e manuseio de cédulas de dinheiro são atos cotidianos e corriqueiros, tanto é que muitas vezes nem paramos para observar a impressão ou as figuras contidas neste papel tão precioso. No entanto, de quem é a face contida na moeda de um real e nas demais cédulas? O que fez esta mulher para ser personificada de tal maneira? Vamos ver um pouco da evolução para entendermos este fato.

Depois de várias trocas monetárias, o uso do Real foi implementado em julho de 1994, quando o país estava sobre o mandato do presidente Itamar Franco, sob o comando de Fernando Henrique Cardoso. A escolha do nome 'Real' para a designação da nova moeda tem muitas especulações, sendo uma das mais utilizadas e conhecidas a questão da relação deste nome com a primeira unidade monetária do Brasil, o 'Réis', e, além disso, buscava-se trazer o sentido de realidade, isto é, transmitir o real valor da unidade.

Efígie da república

Sabe-se que a Efígie trazida nas células tem o nome de Marianne e é uma figura do sexo feminino que simboliza a Liberdade da República Francesa, foi inspirada na obra 'A Liberdade Guiando o Povo', do pintor Ferdinand Victor Eugène Delacroix, em 1830.  Esta personificação representa a intensificação dos Valores da República e dos cidadãos franceses, ao ser simbolizada pela razão, nação, pátria e virtudes da república. A escolha de seu nome, portanto, especula-se ser uma junção dos nomes mais comuns entre as mulheres francesas, Marie e Anne.

Quem é a Efígie que estampa as cédulas do real?

A utilização da Alegoria Republicana Francesa Marianne passou a ser usado pela República Brasileira, estampando vários objetos pelo país, como bandeiras, praças públicas e as cédulas do Real. Alguns historiadores afirmam que a escolha da mulher como símbolo representativo da República pode ter sido como forma de demarcar a ruptura com o antigo regime autocrático sofrido pela população, onde este era chefiado somente por homens. Contudo, Marianne passou a ser chamada de 'Senhora da Liberdade' ou até mesmo de 'Senhora da Maçonaria' por alguns.

Marianne e a maçonaria

Marianne, objeto referência do quadro de Delacroix, além de ser a grande representação da liberdade e o ícone simbólico da República Francesa, era também conhecida como símbolo da maçonaria. Estudos revelam que os maçons tiveram uma extensa contribuição na história da Revolução Francesa, uma prova disso é que o lema da revolução: 'Liberdade, Igualdade e Fraternidade', também é compartilhado por este povo.

Quem é a Efígie que estampa as cédulas do real?

Por ser representante da liberdade, principalmente, fez com esta mulher fosse adotada como representação dos princípios franceses. No que se refere a sua relação com o povo maçônico, os bustos de Marianne são objetos obrigatórios em todos os templos franceses de maçonaria. Outro símbolo indispensável a estes templos é o triângulo com o 'olho que tudo vê' e a estrela de cindo pontas, por exemplo.

Contudo, existem ainda muito mais especulações em relação a figura de Marianne e sua utilização nas cédulas do Real, como a presença de objetos ocultos na impressão e outros detalhes que possam remeter às práticas maçônicas. Existem, também, fortes indícios que afirmam que Marianne é a mulher esculpida na Estátua da Liberdade de Nova Iorque, além de sua relação com diversas outras esculturas de deusas da antiguidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIOComente aqui
RecomendadoEnquete
Você assina Netflix?
Sim, sou titular(49,54%)
Sim, sou reserva =) (13,43%)
Não, mas pretendo(21,76%)
Não, nem quero(15,28%)
Assine a nossa newsletter

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar