O que significa Neutralidade da rede?

No dia 23 de junho entrará em vigor o Marco Civil da Internet, projeto criado pelo deputado Alessandro Molon. Mesmo muito comentado, muitas pessoas ainda não sabem exatamente o seu real significado.

Por | @RafaelaPozzebon Internet

Pois bem, o Marco Civil é uma espécie de Constituição para a Internet, com leis que irão regulamentar o uso da ferramenta no Brasil.

"Hoje, tudo o que você faz na internet é gravado e vendido para empresas de marketing ou mesmo outras finalidades sem a sua permissão. A partir do Marco Civil, isso ficará proibido. Seu provedor não pode sequer guardar o que você fez. E o Google, por exemplo, não pode vender dados sobre você", explica o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), relator do projeto.

Dentre os vários aspectos do projeto em questão, um chamou mais atenção: a chamada neutralidade da rede, ou seja, os dados não podem receber tratamento diferenciado. As operadoras não podem criar, por exemplo, serviços com velocidades e preços diferentes para textos (arquivos menores e de fácil transmissão) e vídeos ou músicas (arquivos mais pesados).

Se você quer saber mais sobre o Marco Civil em sí, acesse este artigo que mostra o que é, e como ele muda sua vida.

Afinal, o que é neutralidade da rede?

De acordo com o site Wikipédia “A neutralidade da rede (ou neutralidade da Internet, ou princípio de neutralidade) significa que todas as informações que trafegam na rede devem ser tratadas da mesma forma, navegando a mesma velocidade”.

O conceito de neutralidade da rede define que todos sejam tratados com igualdade, assim, não podendo haver benefício para uns e não para outros na hora de navegar pela internet ou mesmo que haja alguma limitação para determinados clientes.

Leia também:

Assim sendo, com uma internet neutra, as operadoras de telecomunicação não podem fazer diferenciação de tráfego baseados em interesses comerciais, bem como privilegiar a transferência de alguns pacotes de dados em benefício de outros.

A neutralidade da rede garante que os dados que circulam possam ser acessados sem qualquer distinção de destino, origem, conteúdo ou mesmo serviço usado para troca de informações. Os provedores não podem, por exemplo, analisar ou discriminar o acesso do usuário. 

Em suma, a neutralidade da rede defende que a rede deve ser igualada para todos, sem qualquer diferença de uso.

Para exemplificar a dimensão do fato, sem a chamada neutralidade da rede os provedores de internet poderiam fixar valores extras para que usuários participassem de determinados eventos, como jogos, serviços on-line, para baixar músicas, etc. Além de tudo, o provedor teria liberdade para bloquear algumas postagens nas redes sociais, caso achasse conveniente.

Por essa razão, muitas empresas no setor de telecomunicações tentaram impedir a inclusão da neutralidade da rede no projeto do Marco Civil da Internet. Qual é a sua opinião sobre o assunto?

DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários