Cientistas da Europa irão tentar recriar cérebro humano através de super-computadores

Cientistas da Europa se reuniram na última segunda-feira na Suíça, para lançar o que poderá ser o mais promissor e ambicioso projeto científico já realizado em cima do cérebro humano.

Por | @RafaelaPozzebon Ciência

Segunda-Feira, 07 de outubro de 2013, obviamente que não é o dia de hoje (11/10) e nem estou fora do ar, mas guardem muito bem esta data, pois foi nesta última segunda-feira que um grupo de cientistas da Europa deu a largada para um dos mais ambiciosos e promissores projetos científicos que a ciência já viu.

Falo do Human Brain Project, que a universidade da Suíça lançou nesta semana, com a participação de 130 cientistas de vários institutos ao redor da Europa; o projeto conta com um orçamento de 1,2 bilhões de euros, o que dá hoje na moeda brasileira, o equivalente a R$ 3,6 bilhões.

O Human Brain Project, “lançado” pela União Europeia, tem como objetivo usar vários computadores de altíssimo desempenho, para simular as funções reais de um cérebro humano a partir desses pontos, simulando o efeito de tratamentos para doenças que custam fortunas de euros e os efeitos das drogas sobre ele.

De acordo com o site do projeto, o objetivo maior é o de construir e testar plataformas ao longo dos próximos 30 meses, onde a partir de 2016 serão usadas para as simulações. Essas plataformas ao quais se refere o projeto são neuroinformáticas, computação de alto desempenho, informática médica, computação neurorobótica e neuromórfica.

Na base do projeto, mais propriamente dito no Instituto Federal de Tecnologia da Suíça, em Lausanne, os cientistas irão compilar dados de pesquisas sobre o cérebro que foi publicado em revistas científicas ao redor do mundo e assim usar seus dados com que já sabem, para gerar uma simulação de um cérebro nesses computadores de altíssimo desempenho.

Sendo que daí por diante, com os resultados obtidos nesta primeira parte da pesquisa servirão de modelo mais preciso de cérebro humano já criado artificialmente. Vale salientar que os estudos terão um prazo de dois anos e meio para acontecer e cerca de 1,2 bilhões de euros para serem aplicados na infra-estrutura do projeto com já informamos acima.

Mais sobre: Ciência, Europa, Cientista
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários
AINDA NÃO SE INSCREVEU?

Vem ver os vídeos legais que
estamos produzindo no Youtube.