A era digital: Apropriação tecnológica e inclusão digital

No artigo anterior, vimos o conceito de Tecnologia Digital de Rede -TDR, bem como suas partes separadas, como tecnologia, digital e rede. No artigo de hoje, vamos dar continuidade na conceituação de termos tecnológicos, explorando apropriação tecnológica e inclusão digital. Bons estudos!

Por Internet Pular para comentários
A era digital: Apropriação tecnológica e inclusão digital

Veja o artigo anterior: Informática como tecnologia de aprendizagem.

O processo de apropriação tecnológica vai ao encontro do processo de inclusão digital que tem como objetivo formar cidadãos capazes de tomar decisões e de compartilhá-las com outras pessoas, em uma dinâmica de exercício da autoria e é definida como processo dinâmico e provisório que se renova e aprimora na ação e na interação dos nós, sobre e na rede de sentidos e suas interconexões. Para isso, é necessária a apropriação crítico-reflexiva dos fenômenos sociotécnicos numa perspectiva de contextualização sociocultural, bem como o desenvolvimento e a manutenção das habilidades necessárias à interação com e através deles (TEIXEIRA, 2005, p. 25).

Para que esse processo ocorra, deve haver uma democratização do acesso acompanhada da alfabetização digital, com vistas ao desenvolvimento da fluência tecno-contextual, que, por meio da cultura de rede, rompe-se com paradigmas de recepção e reprodução, instaurando uma dinâmica de criação de cultura, cujos nós de rede devem interagir entre si, formando novas conexões e colocando em sinergia saberes.

A era digital
A era digital

Alfabetização digital é "uma aproximação das redes sociais que se constituem a partir do acoplamento com máquinas de manipulação simbólica" (MARASCHIN, 2006). Já Cultura é um conjunto de ferramentas com técnicas e procedimentos para entender seu mundo [do indivíduo] e lidar com ele [...]. É um modo de lidar com os problemas humanos: com as transações humanas de todo o tipo, representadas em símbolos (BRUNER, 2001, p. 98-99).

Com esse pressuposto, a tecnologia não é apenas um canal para se comunicar, cuja comunicação traz o significado de ação recíproca que ocorre entre emissor e receptor da mensagem, mas sim, faz parte do ato comunicativo, estando integrada a ele. É uma nova maneira de aprender e agir, é construir novos alicerces na forma de comunicar e conhecer. Com isso, a lógica da atual sociedade consolida-se para a lógica das redes.

Essa interação mediada pela tecnologia não objetiva apenas transmitir informações, mas também tornar essa interação multidirecional, isto é, tem que haver tanto uma transmissão quanto uma recepção de sentidos e significados, saberes e conhecimentos, demonstrando um rompimento com a lógica broadcast, apesar de ainda se estar muito preso a ela. Tal lógica é o processo pelo qual se difunde e transmite informações de um canal de comunicação e informação para muitos indivíduos, os quais desempenham apenas o papel de receptores, não havendo a possibilidade de produção e troca de mensagens, sentidos e significados.

Por esses motivos, é que o presente trabalho escolheu a nomenclatura tecnologia digital de rede (vimos esse conceito no artigo anterior) para se referir às tecnologias, pois atende às demandas e exigências da era digital. Para preencher as atuais demandas, foi realizado um estudo sobre as características da era digital, como mostra a Figura 1:

Figura 2 - Características da Era Digital. Fonte: Primária.
Figura 1 - Características da Era Digital. Fonte: Primária.

A Figura 1 demonstra que há que se refletir a respeito de conceitos, fenômenos, lógicas e tecnologias desta era, que compreendem: cibercultura, sendo a cultura modificada pelas tecnologias; ciberespaço, enquanto espaço de interação e comunicação; hipertexto, como a lógica do ciberespaço onde a hipermídia consolida-se como linguagem e suporte de acesso simultâneo aos hipertextos e outras informações. Através da hipermídia, processos interativos e comunicacionais se instalam, demonstrando tecnologias que podem desempenhar um importante papel na aprendizagem, como, por exemplo, as redes sociais.

Nos próximos artigos, vamos abordar esses e outros assuntos. Até lá!!

Compartilhe com seus amigos:
Andressa Foresti
Andressa Foresti Andressa Foresti, mestre em Educação pelo PPGEDU/UPF, concluiu a especialização em Desenvolvimento de Software em 2009 e a graduação em Ciência da Computação em 2007, ambas pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Publicou 4 artigos completos em anais de congressos, 1 capítulo de livro, 3 artigos completos publicados em periódicos, além de outras apresentações de trabalhos acadêmicos. Também participou de outros 27 eventos, dentre eles: 6 seminários, 3 simpósios e 4 encontros, 1 congresso, 11 participações em eventos diversos, sendo que em alguns participou da comissão organizadora, além de participação em grupos de pesquisa e de comitês de programas. Em 2006 ganhou o prêmio de Honra ao Mérito CCAA. Atualmente trabalha com produção técnica de desenvolvimento de softwares e páginas web. É professora do Curso de Bacharelado em Administração Pública e também atua como auxiliar de técnica de informática, ambas na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM/CESNORS. O currículo completo pode ser visualizado em: http://lattes.cnpq.br/0535871762854924
Quer conversar com o(a) Andressa, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias de Internet
  • Emoticons no teclado

    Emoticons no teclado

    Aprenda como fazer emoticons para Facebook e Twitter. Aprenda como usar os emoticons dos principais sites de relacionamento e alguns outros genéricos usando a tecla Alt

  • Correios anunciam fim da greve

    Correios anunciam fim da greve

    Ontem foi decidido, cumprindo a determinação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), através de assembleias realizadas por todo o país, que os Correios encerraram a paralização a partir das 22h. Confira os detalhes!

  • Os 10 maiores canais do YouTube no mundo e no Brasil

    Os 10 maiores canais do YouTube no mundo e no Brasil

    Organizamos algumas listas com os 10 maiores canais do YouTube por diferentes perspectivas. Atualizado dia 29 de agosto de 2019. São quatro listas, duas a nível mundo, duas a nível Brasil.

  • As melhores ferramentas para encontrar passagens aéreas baratas em 2019

    As melhores ferramentas para encontrar passagens aéreas baratas em 2019

    Existem certamente mais de 100 mecanismos de busca de voos, mas qual é capaz de trazer os melhores para preços e voos flexíveis? Se você está programando sua próxima viagem, aqui você terá as melhores dicas e as melhores ferramentas para isso.

  • Internet 4G da Oi é medíocre quando comparada a Tim, Claro e Vivo

    Internet 4G da Oi é medíocre quando comparada a Tim, Claro e Vivo

    A internet 4G está crescendo no Brasil, mas ainda é um problema nas zonas rurais do país. Nas zonas urbanas, é possível ter uma boa conexão estável oferecida pela Claro, Tim e Vivo. A Oi ainda é um problema.

  • O que é um roteador ou acess point (AP) dual band?

    O que é um roteador ou acess point (AP) dual band?

    Está cada vez mais comum planos de internet fixa com velocidades acima de 100MB com tecnologia de fibra ótica. Ao mesmo tempo, conteúdos veiculados por streaming estão ficando cada vez mais comuns. Para isso é necessário o dual band, conheça!

  • Saiba a diferença entre internet ADSL, HFC e GPON (fibra)

    Saiba a diferença entre internet ADSL, HFC e GPON (fibra)

    No intuito de esclarecer as dúvidas quanto a tecnologia de internet fixa utilizada pelas operadoras de telecomunicações, iremos abordar neste artigo sobre as principais diferenças entre a tecnologia ADSL, HFC e fibra.

  • Claro Flex é "barato" por apenas três meses?

    Claro Flex é "barato" por apenas três meses?

    O novo plano controle Claro Flex, que é uma promoção muito interessante da operadora, disponibilizando até 10GB de internet por mês a baixo custo, teve seu regulamento reformulado.