Planejando um site: por onde eu devo começar?

Meu grande amigo Matheus Silva, nos comentários do post sobre o cliente desejar uma loja virtual, deu como sugestão a abordagem do assunto “Faço um site em X dias”, e me pediu para escrever sobre como chegar a esse denominador que necessita ser respeitado em um projeto web.

Por | @andrebuzzoweb Carreira em TI

Meu grande amigo Matheus Silva, nos comentários do post sobre o cliente desejar uma loja virtual, deu como sugestão a abordagem do assunto “Faço um site em X dias”, e me pediu para escrever sobre como chegar a esse denominador que necessita ser respeitado em um projeto web. Entenda, por gentileza, esse “denominador” como “prazo de entrega” ok? Vamos lá então.

Precisamos como sempre (e você já deve estar por essas horas a pensar: “André, vá se tratar! Você é muito paranoico!“) nos atentar a diversos fatores que podem atrasar nossa entrega. Ou adiantar a mesma, já que para isso não existe uma receita de bolo a ser seguida!

Vou dividir o artigo em duas partes e na primeira, vou abordar o que nós, como web designers precisamos saber antes de passar um orçamento e um prazo de entrega para o nosso cliente:

1 - O quanto eu sei sobre o assunto?

Planejando um site: por onde eu devo começar?

E estudei bastante. A pergunta aqui é relativa a diversos âmbitos que temos que levar em conta na hora de prestarmos determinado serviço a um determinado cliente. Primeiramente, é o que eu gosto de ter ciência: sobre o segmento no qual meu cliente atua. E o quanto eu sei sobre esse ramo de atividade.

É um nicho que está atrelado ao meu dia-a-dia? Eu, de certa maneira, estou inserido ou convivo/tenho vivência nele? Ou é sobre um assunto que nunca tive contato na vida? Sabe por que eu me pergunto isso? 

Pelo simples fato de já poder imaginar um layout; o que normalmente empresas concorrentes abordam em suas páginas; e principalmente O QUE NÃO ABORDAM em suas páginas, para que eu possa ofertar ao meu cliente um site com algum diferencial perante seus adversários!

Eu sei o que a empresa de meu cliente comercializa/oferece como produto/serviço? O quanto eu sei disso para discutir com ele o melhor jeito de iniciarmos uma conversa onde ele entenda que eu SEI o que estou dizendo? E o que o que digo não é besteira ou uma maneira de tentar “convencê-lo” (em outras palavras, enrolá-lo!) para que feche o serviço comigo? E fora do âmbito comercial, eu preciso ter a ciência e a capacidade de reconhecer minhas limitações: o que EU posso ofertar que POSSA entregar como vantagem ao meu cliente?

O quanto eu estudei, me aprofundei em design, em programação? Eu tenho o contato de quem sabe mais do que eu e sempre que eu preciso, essa pessoa está disposta a me dar um direcionamento, e não o código pronto na minha mão?

Pois código pronto é como tomar “ASPIRINA” em caso de dengue. Pode até amenizar os sintomas, mas não trata do real problema!

Eu já fiz algo semelhante? Sim. Algo semelhante já é um excelente ponto de início. Eu já fiz um sistema de comentários, e sendo assim, eu posso adaptar o código para montar um painel gerenciável para meu cliente em php e assim vender um site gerenciável? Modesto, mas gerenciável? A resposta é sim. Desde que tenha entendido o código e sua lógica, e não simplesmente tenha pegado ele lá do meu banco de scripts e apenas copiado.

E pior do que copiar e colar um código é ainda ter que aguentar você dizendo aos quatro ventos, no Facebook e no Twitter, e no seu site, que VOCÊ É PROGRAMADOR... 


Mais sobre: gerência planejamento sites
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo

Siga nossas contas no Twitter