Nasa está em busca de voluntários que possam ficar dois meses deitados em uma cama em troca de 14 mil libras

Através do experimento os cientistas pretendem ter uma melhor compreensão sobre como a gravidade artificial pode afetar o corpo humano.

Por | @oficinadanet NASA Pular para comentários

Você aí? Está cansado do seu trabalho, da sua rotina, precisando descansar um pouco? Se a resposta for sim, talvez eu tenha a solução para o seu problema. A Agência Espacial Americana está procurando voluntários para ficarem deitados em uma cama por dois meses. Em troca, a NASA oferece 14 mil libras, o equivalente a R$ 73 mil.

Através do experimento os cientistas pretendem ter uma melhor compreensão sobre como a gravidade artificial pode afetar o corpo humano.

O AGBRESA (Estudo de Descanso de Leito de Gravidade Artificial) foi lançado esta semana pela Nasa, em cooperação com a Agência Espacial Europeia (ESA) no Centro Aeroespacial Alemão, localizado na cidade de Colônia. 

Nasa está em busca de voluntários que possam ficar dois meses deitados em uma cama em troca de 14 mil libras.Nasa está em busca de voluntários que possam ficar dois meses deitados em uma cama em troca de 14 mil libras.

Aos interessados, os pesquisadores estão em busca de 12 voluntários do sexo feminino e 12 do sexo masculino, com idade entre 24 e 55 anos. Os voluntários terão que passar dois meses deitados e todos devem falar alemão.

O estudo AGBRESA será em duas etapas. Os primeiros participantes iniciam os testes no final deste mês de março, e após uma segunda turma será testada no início de setembro.

As inscrições para a segunda terminam em 24 de maio.  Os interessados podem enviar um e-mail para probanden-bit@dlr.de.

Sobre o experimento

As camas ficarão localizadas em uma instalação de pesquisa médica do Instituto de Medicina Aeroespacial do Centro Aeroespacial Alemão, em Colônia. Os experimentos refeições e atividades extras serão feitos em momentos de descanso no leito.

Os voluntários serão testados sobre suas habilidades cognitivas, força muscular, equilíbrio e também função cardiovascular.

Os dois grupos serão comparados, levando em consideração os que passam pela simulação de gravidade artificial e o que não passam. Os cientistas esperam obter respostas sobre o efeito nos astronautas durante as viagens espaciais de longa duração.

Fonte: Tnh1