Malware contido no CCleaner queria atacar o Google

A intenção dos responsáveis pela ação era conseguir infectar os computadores internos de grandes companhias.

Por | @oficinadanet Google

Conforme noticiamos dias atrás, o CCleaner continha um malware que foi responsável por afetar mais de dois milhões de computadores em apenas um mês. Porém, ao que tudo demonstra, a intenção não era atacar os pequenos usuários, mas sim as grandes empresas de tecnologia.

Conforme informações divulgadas pela Cisco e também pela Avast, o ataque contava com um endereço específico e mirava para ao menos 20 gigantes do meio tecnológico, incluindo o Google, Microsoft, Samsung, HTC, D-Link, entre outras.

CCleaner queria atingir Google, Microsoft e SamsungCCleaner queria atingir Google, Microsoft e Samsung

A intenção dos responsáveis pela ação era conseguir infectar os computadores internos de tais companhias, sendo que o malware original seria usado apenas como um modo de fazer um segundo malware acessar tais sistemas.

Segundo os pesquisadores da Talos, a intenção dos hackers era observar a sua base de máquinas afetadas para encontrar computadores que estivessem conectados às redes dessas companhias. Vale mencionar que 50% das tentativas de instalação do segundo malware tiveram sucesso, sendo que algumas das empresas acabaram sendo infectadas duas vezes e outras que acabaram saindo ilesas.

O relatório divulgado não menciona se a ação foi feita como uma tentativa de espionagem ou apenas um modo de instalar um ransomware e keyloggers nos computadores dos usuários. Uma revisão atualizada diz que 700 mil computadores tenham sido afetados, e não os 2,2 milhões como haviam sido mencionados anteriormente.

Mais sobre: ccleaner google malware
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo