Entenda o básico de game design e como começar

Game design é uma ambição crescente no Brasil, por isso separamos algumas dicas introdutórias a esse universo. Confira o básico de game design e como começar a estudar e desenvolver:

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

É natural que em pleno 2020 muita gente aspire a se tornar um criador de jogos, um game designer, responsável por criar universos inteiros para que possamos interagir virtualmente com protagonismo em outra realidade, nos entreter, emocionar e até mesmo viver disso.

Não é uma profissão que exige diploma universitário, mesmo que exista faculdade de Game Design atualmente. Seja para fins profissionais ou simplesmente um hobby, para se criar um jogo devemos entender alguns fundamentos básicos e é esse o intuito deste artigo, introduzir essa área e recomendar como, o que e onde estudar.

Um jogo é composto por vários componentes e trabalhos com focos diferentes. Pode ser comparado a um teatro, uma vez que se trata de um conjunto de fatores que compõem um jogo e é a harmonia e a qualidade do trabalho de cada um deles vai definir se o jogo é bom ou não. Dentre elas, podemos separar quatro categorias:

  1. Roteiro
  2. Cenário e Objetos
  3. Áudio e Música
  4. Programação

O primeiro passo é escolher um foco

Estudar Game Design implica em conhecer todos os fatores, mas para começar, é interessante focar naquilo que mais se sentir qualificado. Se aprimorar naquilo em que se é bom ou que se gosta mais deverá aprimorar seu rendimento de estudo contribuirá para você se especializar em um deles. Dentro de um game, assim como no cinema, cada profissional faz uma pequena parte do todo.

  1. Roteiro: O estudo de como tudo vai fluir no game, (projetos, propostas, história e etc.). Resumidamente, é a parte artística.
  2. Cenário e Objetos: Tudo que há de visível entra nessa categoria (modelagem 2D e 3D, animação, edição de imagem, texturas, vídeo e etc).
  3. Áudio e Música: Como o próprio nome já diz, toda parte auditiva (música e som do game, mixagem e etc).
  4. Programação: Podemos dizer que é o cérebro de tudo, o qual comanda e manipula todos os elementos do game e é responsável pela interação com o jogador (programar em algumas linguagens de programação como C+, Java e etc).

O segundo passo é escolher o programa que você melhor se adapta

Não existe um programa exatamente "fácil" de usar, mas existem programas que se adaptam melhor ao seu objetivo.

Os programas abaixo são comumente usados no desenvolvimento de games grandes quanto a imagem e modelos 3D

  1. Cinema 4D (planos de 59,99 dólares até 3495,00 dólares)
  2. Blender gratuito
  3. 3D max (5309 reais por ano)
  4. Photoshop

Sim, são caríssimos e somente o Blender possui gratuidade, porém assinar um deles é para empresas que realmente vivem disso ou se você realmente está disposto a se dedicar aos estudos e à profissão. O Blender, porém, deve suprir o básico sem problemas e é o melhor caminho para se começar.

Enquanto para programação...

existem inúmeros programas, mas vamos falar dos 3 maiores:

Unity

Um dos melhores aplicativos para criar jogos 3D, mas também com potencial bidimensional. A principal vantagem do Unity em relação a outras ferramentas é sua grande compatibilidade com quase todo tipo de plataforma. Android, iOS, Facebook, HTML5, Windows e Mac, consoles de videogames e até mesmo jogos em realidade virtual. O Unity conta com três planos:

Gratuito: Seu jogo pode ser criado e comercializado normalmente sem a necessidade de royalties, contanto que sua receita não supere a marca de $100.000 anuais;

Plus: Custa $35 dólares mensais e libera mais funcionalidades para criação de seus games e pode ser usado comercialmente caso o jogo não bata a marca de $200.00 em um ano;

Pro: O maior plano do Unity, custando $125 por mês. O plano libera o código-fonte da plataforma para mudanças mais complexas e não limita o rendimento das vendas de seu jogo.

Construct 2

Uma das melhores ferramentas para criação de games, já que é uma das poucas que não exige nenhum tipo de conhecimento em programação para começar. Você pode arrastar e soltar praticamente tudo, porém não pode criar linhas de códigos, então diminui as possibilidades limitando-as às funções do programa.

Existem duas versões para o Construct 2, a gratuita, que permite compatibilidade do seu jogo para navegadores, como aplicativo na loja do Windows, jogo de Facebook ou para Google Chrome, e a paga, que estende a compatibilidade para Android, iOS, Windows, Mac e Linux.

Esse programa exige conhecimento em linguagem de programação C#, mas conta com muito material de estudo e tutoriais sobre o assunto.

Unreal Engine 4

Importantíssimo no mercado, é utilizado por grandes e pequenas desenvolvedoras. O aplicativo foi criado por grandes nomes da indústria e é um dos mais profissionais para criar games. Permite desenvolver games sem utilizar linhas de códigos e possui uma enorme gama de tutoriais e inúmeras possibilidades de criação. A Unreal Engine 4 é totalmente gratuita e apenas cobrará uma taxa de 5% royalties por seu jogo apenas se ele bater a marca de $3.000 em um trimestre.

No final das contas, é possível estudar por conta ou fazer cursos individuais de cada programa, presenciais ou online, cursos universitários de game design e muitas outras possibilidades. O Brasil pode não ser um país destaque no desenvolvimento de games, mas certamente está ganhando visibilidade e importância, começando por games mobile. O mercado é difícil, mas está se expandindo cada vez mais.

Tech Mobile: Inscreva-se!

O nosso novo canal de smartphones surgiu, veja o que preparamos para você que gosta de celulares!

Comentários
Minha foto
Insira um comentário