Entenda a treta entre Gabi Cattuzzo, a Razer e o machismo dos gamers

Após um lamentável caso de machismo, a digital influencer dos games Gabi Cattuzzo, que acabou generalizando ao responder um tuíte machista de um seguidor, acabou perdendo o patrocínio da Razer.

Por Games 47 comentários
Entenda a treta entre Gabi Cattuzzo, a Razer e o machismo dos gamers

A gamer e influenciadora digital Gabi Cattuzzo, conhecida por transmitir jogos digitais, perdeu seu contrato de patrocínio da Razer, fabricante de acessórios e aparelhos de jogos eletrônicos, após se envolver em uma polêmica no Twitter, ao responder um comentário machista/sexista em uma foto sua no touro mecânico, postada na sexta-feira, dia 21.

Entenda a treta entre Gabi Cattuzzo, a Razer e o machismo no mundo dos gamers

O desentendimento entre a gamer e um seguidor teve início após Gabi postar uma foto, onde estava usando um touro mecânico. A foto, que não tinha nenhum conteúdo sexual apelativo, aparentemente mexeu com os hormônios de alguns seguidores, que acabaram extrapolando nos comentários. O comentário em questão, que fez Gabi "perder a cabeça", dizia à ela: "Pode montar em mim à vontade".

Entenda a treta entre Gabi Cattuzzo, a Razer e o machismo dos gamers

A gamer respondeu com a seguinte mensagem: "Sempre vai ter um macho f*para falar m* e sexualizar mulher até quando a mulher tá fazendo uma piada, né?. É por isso que homem é lixo".

A postagem, que acabou parando no Trending Topics do Twitter, abriu o pertinente debate sobre o machismo no mundo gamer. O público acabou dividindo opiniões, entre os apoiadores da gamer e os que condenavam a generalização dos homens, especialmente com a frase "homens são lixos".

A gamer ainda rebateu: "Quando a gente fala esse tipo de coisa vem os caras ‘ai, mas não generaliza, não é todo mundo’, e na primeira oportunidade fica sendo escroto com mina. Homem que não é m* é exceção, não maioria", afirmou a jovem.

Após seus tuítes repercutirem muito, Gabi optou por excluir o post. Ela ainda postou: "Eu não costumo responder a pessoa quando ela posta algo ofensivo, eu só ignoro ou bloqueio e sigo a vida. Mas, naquele caso e naquele dia, eu estourei e fiz o comentário infeliz, que foi interpretado de forma mais infeliz ainda por muitos".

Toda essa polêmica chegou até a Razer, empresa com a qual Gabi tinha um contrato para divulgar os produtos da fabricante. Na última segunda-feira (24), a Razer divulgou uma nota, esclarecendo que a opinião de seus influenciadores não condiz com as políticas da empresa, que é contra qualquer tipo de discriminação.

Além disso, a empresa afirma que não vai renovar o contrato com a gamer brasileira. Após o posicionamento da marca e aos ataques à Gabi e seus familiares, o que inclui ameaças, os fãs e seguidores da gamer começaram a pressionar, inclusive com petição on-line, a marca Razer.

Após este comunicado, Gabi ainda postou mais um tuíte, explicando "seu lado da história", e desculpou-se por seus comentários na rede social e também sua postura.

Gabi ainda lamenta a "caça às bruxas" que alega ter sofrido, e anunciou em um comunicado, que você pode ler na íntegra aqui, que irá se afastar temporariamente das redes sociais. Segundo a gamer, esse afastamento será porque ela vem sendo ameaçada.

"Esta é a minha última declaração sobre o assunto, espero que tenha sido esclarecedora aos que ainda tenham alguma dúvida. Tenham todos uma excelente semana".

Leia também: LG G8s é bom para jogos? - RODA LISO. Acompanhe as últimas notícias de tecnologia aqui no Oficina da Net. Sempre trazendo conteúdos novos e produtos interessantes.

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Minha foto
  • Minha foto
    Paula Souza    •    5 meses

    O título da reportagem ficou um lixo! A "treta" foi essa garotinha ter dito que todos os homens são um lixo. Não tem nada a ver com machismo. A propósito, o que essa Gabi Cattuzzo recebeu foi uma cantada de mau gosto, não "machismo". Vejo muitas feministas usando essa palavra pra tudo, sem nem saberem do que estão falando ou o que aconteceu.

  • Minha foto
       •    4 meses

    Eu concordo com você, em partes. Não foi machista, e nem feminista. Ela realmente generalizou uma situação nada favorecida para o lado dela, sim. Mas, em contrapartida, a razer patrocina também, usuários que já fizeram ou podem ter feito comentários de teor ainda pior, com relação ao machismo. ambos os lados estão errados. E se explicar, contra uma marca de grande nível, piorou ainda mais a situação.